Aprenda a fazer 10 receitas do livro novo da chef Ana Luiza Trajano

Livro Básico_Capa_Alexandre Schneider.jpg

SALADA DE MAIONESE 

12 porções

1 hora

Fácil

4 batatas em cubos médios

3 cenouras em cubos médios

3 chuchus em cubos médios

1½ xícara (chá) de ervilha fresca

1 gema

1 colher (sopa) de mostarda amarela

½ garrafa de óleo milho

Suco de ½ limão

Salsinha picada

Sal e pimenta-do-reino a gosto

Cozinhe os legumes separadamente em água com um pouco de sal até ficar al dente; retire e coloque em uma vasilha com água e gelo, para interromper o cozimento. Enquanto esfriam, prepare a maionese: bata a gema com a mostarda e despeje o óleo em um fio contínuo, batendo sem parar até engrossar. Tempere com o suco de limão, salsinha, sal e pimenta-do-reino. Junte os legumes e misture com cuidado, para não amassar. Sirva fria ou gelada.

TUTU DE FEIJÃO 

6 porções

30 minutos

Fácil

½ xícara (chá) de toucinho defumado picado

2 colheres (sopa) de banha ou manteiga de garrafa

½ cebola picada

3 dentes de alho picados

500 g de feijão cozido com caldo

¾ de xícara (chá) de farinha de mandioca fina

½ maço de cebolinha-verde em rodelas finas

Torresmo, para acompanhar

Sal e pimenta-do-reino a gosto

Refogue o toucinho na banha, até dourar. Junte a cebola e o alho e refogue mais um pouco. Acrescente o feijão com o caldo e aqueça. Com uma colher, amasse os grãos – se quiser, pode bater no liquidificador, mas o objetivo é deixar rústico. Tempere com um pouco de sal e pimenta-do-reino e acrescente a farinha de mandioca aos poucos, mexendo sem parar. Cozinhe por alguns minutos e finalize com a cebolinha. Sirva com os pedaços de torresmo por cima.

PICANHA ASSADA COM SAL GROSSO

4 porções

1h10

Fácil

1 picanha com 1 kg

Sal grosso

Tempere a picanha com sal grosso de todos os lados, sem exagerar. Coloque numa assadeira e cubra com papel-alumínio. Leve ao forno 180°C por cerca de 1 hora, ou até ficar macio. Tire o papel e deixe dourar um pouco antes de servir.

 LEITOA PURURUCA

10 porções

5-6 horas, mais o tempo para marinar

Difícil

½ leitoa cortada no sentido do comprimento

1 garrafa de vinho branco

5 dentes de alho amassados

2 garrafas de óleo de milho

Sal e pimenta-do-reino a gosto

Faça furos na leitoa e tempere com o vinho, o alho, sal e pimenta-do-reino – esfregue principalmente na parte de dentro. Deixe marinar por 2 horas. Cubra a carne com papel-alumínio e asse em forno preaquecido a 200°C, por cerca de 2h30, ou até estar macia. Coloque a leitoa sobre uma grade e seque a pele com papel-toalha, para retirar o excesso de líquido. Aqueça bem o óleo. Coloque uma luva de pano e, com uma concha, despeje o óleo quente sobre toda a pele do porco, até pururucar. Tome muito cuidado para não se queimar.

ESMIUÇANDO: Foi por causa dessa receita que eu quis aprender a cozinhar. Quando Dona Altina preparava a leitoa para a ceia, os mais velhos se serviam primeiro. Só depois vinham as crianças e, na minha vez, eu ficava apenas com a carne, pois a pele pururuca que eu tanto adorava já tinha acabado. Quando comecei a cozinhar, portanto, me dei o direito de tirar umas lasquinhas assim que a pele pururucava. O nome desse preparo, tão tradicional no interior de São Paulo e Minas Gerais, tem uma origem curiosa. Pururucar é um termo que vem do tupi-guarani como variação da palavra pororoca, que significa “estrondo”.

ARROZ DE FORNO 

6 porções

1h40

Médio

 1 kg de tomates

750 g de carne moída (patinho)

5 colheres (sopa) de óleo de milho

1 cebola picada

2 dentes de alho picados

1 folha de louro

2½ xícaras (chá) de arroz branco

2 xícaras (chá) de queijo muçarela ralado grosso

½ xícara (chá) de azeitona verde picada

3 ovos batidos

½ maço de cheiro-verde picado

3 xícaras (chá) de queijo parmesão ralado

Sal e pimenta-do-reino a gosto

Coloque o tomate em uma panela e cozinhe em fogo baixo, sem água, até desmanchar. Bata no processador, passe por uma peneira e reserve. Tempere a carne com sal e pimenta-do-reino. Refogue em 3 colheres (sopa) de óleo, até ficar sequinha. Junte ½ cebola e 1 dente de alho; refogue mais um pouco, até murchar. Acrescente o molho de tomate e o louro; cozinhe por 20 minutos. Enquanto isso, prepare o arroz branco: refogue a cebola e o alho restantes em 2 colheres (sopa) de óleo. Adicione o arroz, cubra com 5 xícaras (chá) de água morna e tempere com sal. Quando estiver cozido, acrescente o molho de carne moída. Deixe esfriar um pouco e junte a muçarela, a azeitona, os ovos e o cheiro-verde, misturando bem para ficar uniforme. Coloque em um refratário, cubra com o queijo parmesão e leve ao forno preaquecido a 180°C, até dourar. Sirva quente. O arroz de forno é uma receita de aproveitamento – ou seja, bem versátil. Dá para acrescentar ingredientes como milho ou ervilha, por exemplo, e trocar a carne moída por frango desfiado ou carne de porco em cubinhos.

FEIJÃO TROPEIRO 

16 porções

2 horas

Fácil

1 kg de feijão carioca ou roxinho

4 colheres (sopa) de banha de porco

2 xícaras (chá) de toucinho defumado em cubinhos

2 linguiças frescas sem a pele

1 cebola picada

3 dentes de alho picados

4 xícaras (chá) de farinha de mandioca torrada fina

8 ovos cozidos em rodelas

1 maço de cebolinha-verde em rodelas finas

Sal a gosto

Cozinhe o feijão com um pouco de sal até ficar al dente; descarte o caldo e reserve. Aqueça a banha e frite o toucinho até dourar; junte a linguiça, frite até ficar cozida e, por fim, refogue a cebola e o alho. Coloque o feijão, adicione a farinha de mandioca, misture bem e deixe dourar levemente. Acerte o tempero e finalize com os ovos e a cebolinha. Se quiser, sirva com torresmos

ESMIUÇANDO: O nome remete aos comerciantes que viajavam por todo o país, especialmente entre os estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás, a partir do século 17. A receita nada mais é do que uma refeição completa feita a partir de ingredientes que poderiam ser carregados por eles ou facilmente encontrados pelo caminho.

GELATINA COLORIDA 

6-8 porções

3-4 horas

Médio

4 caixas de gelatina (sabores a gosto)

1 colher (sopa) de gelatina em pó sem sabor

½ xícara de leite

2 xícaras de creme de leite fresco

5 colheres (sopa) rasas de açúcar

Prepare as quatro caixas de gelatina separadamente, seguindo as instruções da embalagem. Quando endurecer, corte em cubinhos e mantenha na geladeira. Coloque 2 colheres (sopa) de água em uma vasilha pequena, polvilhe a gelatina em pó e misture bem. Deixe hidratar por 2 a 3 minutos. Aqueça o leite, acrescente a gelatina hidratada e mexa para incorporar. Junte o creme de leite e o açúcar e misture delicadamente à gelatina colorida. Leve à geladeira até firmar.

PAVÊ DE CHOCOLATE COM BISCOITO CHAMPANHE 

8 porções

4 horas

Média

5 xícaras (chá) de leite, mais um pouco para umedecer os biscoitos

1 xícara (chá) de açúcar

2 ovos

½ xícara (chá) de amido de milho

1 colher (sopa) de manteiga

3 pacotes de biscoito champanhe

4 colheres (sopa) de chocolate em pó

1 ½ xícaras (chá) de chocolate meio amargo picado

1 xícara (chá) de chocolate ao leite picado

½ xícara (chá) de creme de leite fresco

Para o creme, leve o leite e o açúcar ao fogo. Bata os ovos na batedeira até dobrar de tamanho. Dilua o amido no leite quente e adicione aos ovos, aos poucos, para não coagular. Volte ao fogo brando até engrossar. Tire do fogo e adicione a manteiga. (Se desejar, adicione 4 gotas de essência de baunilha ou 1 fava de baunilha.) Espere esfriar. Umedeça os biscoitos em um pouco de leite misturado ao chocolate em pó. Em um refratário, monte uma camada de biscoitos e uma de creme; repita. Derreta o chocolate meio amargo e ao leite em banho-maria e misture ao creme de leite fresco, até formar uma calda densa. Cubra o pavê com a calda e leve ao freezer para gelar.

RABANADA

6 porções

20 minutos

Fácil

3 pães de sal

2 xícaras (chá) de leite

2 xícaras (chá) de açúcar

3 ovos

4 colheres (sopa) de manteiga

½ xícara (chá) de canela em pó

Corte os pães em fatias. Misture o leite, metade do açúcar e os ovos bem batidos. Passe os pães no leite, dos dois lados, e frite em manteiga. Depois passe no açúcar e na canela e sirva.

ESMIUÇANDO: Presente até hoje nas ceias de Natal em Portugal, a rabanada também se conhece como fatia de parida ou fatia dourada. Na Bahia, comia-se com café do mesmo modo que banana frita com canela e açúcar ou fruta-pão cozida e assada.

BOLO GELADO DE COCO 

Rendimento: 1 forma retangular
Tempo de preparo: 1h30

2 xícaras (chá) de açúcar

4 ovos

2 colheres (sopa) de manteiga sem sal

1 xícara (chá) de leite

2 xícaras (chá) de farinha de trigo

3 colheres (sopa) de coco fresco ralado fino

1 colher (sopa) de fermento químico

Ingredientes cobertura:

1 xícara (chá) de açúcar

1½ copo (americano) de leite de coco

1 xícara (chá) de coco ralado fresco

Bata no liquidificador o açúcar, os ovos, a manteiga e o leite. Adicione a farinha de trigo e o coco ralado; misture. Incorpore o fermento e transfira para uma forma quadrada ou retangular untada e enfarinhada. Asse em forno preaquecido a 160°C por cerca de 35 minutos. Misture os ingredientes da cobertura. Retire o bolo do forno, deixe esfriar e corte em quadrados. Mergulhe os pedaços na cobertura e esprema delicadamente para tirar o excesso de líquido; se desejar, embrulhe em papel-alumínio. Leve à geladeira antes de servir.

ESMIUÇANDO

As fatias desse bolo embrulhadas em papel-alumínio foram um clássico das festas infantis na década de 1980. Eu mesma me lembro de ter participado de vários aniversários no interior em que o “bolo” era uma grande estrutura de isopor, decorada com o motivo da festa. Dentro estavam os pedaços de bolo gelado de coco, embrulhados no alumínio para manter a temperatura e a umidade. No Sul, é conhecido como “toalha felpuda”.

Ana-Luiza-Trajano.jpg

Sobre a obra: Básico, o novo livro de Ana Trajano, apresenta a cozinha brasileira viva em várias versões. São 512 receitas, resultantes dos dezenove anos de andanças pelo nosso país e de muitas pesquisas da autora sobre a nossa culinária de raiz. Ele começa com um Tira-gosto, capítulo de petiscos que dá boas-vindas ao leitor da mesma maneira que recebemos nossos amigos em casa. Depois vêm os pratos principais, Mistura, seguidos pelos acompanhamentos que ajudam dar Sustância ao prato. Em seguida, as Sobremesas que revela a Fartura da doçaria brasileira e por fim, os Pães e Quitandas que acompanham nosso tradicional cafezinho. O livro revela toda a diversidade gastronômica brasileira com belíssimas fotos de encher os olhos. A obra convida a todos a manter e a resgatar a autoestima de nossa cozinha e incentivar a presença dessa cozinha cada vez mais nos cursos, pesquisas e bibliografias, torcendo para que ingredientes como azeite de dendê, manteiga de garrafa e boas farinhas de mandioca, entre outros, abandonem o rótulo de “regionais” para tornar- se, como o arroz e o feijão, parte de nosso dia a dia.

Serviço:
Básico: enciclopédia de receitas do Brasil, de Ana Luiza Trajano, formato: 21 x 28, 416, 2017

 

 

 

 

Anúncios

Receitas de Natal e Ano Novo

Cuscuz natalino, Petit Comité, foto Welligton Nemeth (1).JPG

CUSCUZ DE BACALHAU E PUPUNHA

Chef Rita Atrib

Petit Comité Rotisserie & Deli

Ingredientes

1 cebola pequena picada

4 dentes de alho espremidos

4 colheres de sopa de azeite de azeite

300 g de palmito em conserva picado

2 colheres de sopa cheias de azeitonas verdes

2 colheres de sopa cheias de azeitonas pretas

2 tabletes de caldo de galinha dissolvidos em 2 xícaras (chá) de água quente

600 g de bacalhau dessalgado em lascas

4 tomates para molho picado

150 g de pimentões vermelhos em conserva cortados em tiras

1 colher de café de molho de pimenta

200 g de farinha de milho

Sal a gosto

4 ovos cozidos picados

2 colheres de sopa cheias de salsinha picada

Modo de preparo

Separar um pouco dos ingredientes à gosto para decorar o fundo da forma.

Refogar a cebola e o alho no azeite até dourar. Acrescentar o tomate e refogar mais um pouco até começar a desmanchar.

Juntar os demais ingredientes, exceto os ovos, a salsinha e a farinha de milho, até começar a levantar fervura.

Acrescentar a farinha de milho, mexer bem até soltar do fundo da panela. Se for necessário, acrescentar um pouco mais de farinha ou água, pois o importante é uma massa grossa porém pegajosa, que solta do fundo da panela.

Acrescentar os ovos cozidos e a salsinha. Acertar o sal.

Untar uma forma de pudim com azeite.

Decorar o fundo da forma com os ingredientes reservados e despejar a massa do cuscuz.

Deixar esfriar e desenformar .

Rendimento médio: 10 pessoas

Salada de frutos do mar com rúcula selvagem, vinagrete mediterrâneo e tomate confit_EXECUTIVO_KAA_5_menor.jpg

SALADA DE FRUTOS DO MAR COM RUCULA SELVAGEM E VINAGRETTE MEDITERRÂNEO

Chef Massimo Barletti

Restaurante Kaá

INGREDIENTES P 4 PESSOAS

120 g Camarão rosa limpo fresco

160 g de polvo cozido

300 g de Lula fresca limpa

1 unidade de Limão siciliano

80 ml de Azeite extra virgem

80 g de Tomate sem pele e sem semente em cubos

40 g de Tomate cereja

Manjericão QB

Salsinha picada QB

Sal QB

Rúcula selvagem 40 g

MODO DE FAZER

Em um bowl colocar o azeite, o suco de ½ limão siciliano, sal, manjericão, salsinha e com um batedor emulsionar o molho até ficar bem cremoso.

Coloque uma panela com agua para ferver com uma pitada de sal e o suco de ½ limão.

Assim que agua ferver colocar o polvo cozido, e o camarão, deixar levantar a fervura e juntar a lula cortada em pedacinhos, assim que a agua levantar novamente a fervura, escorrer e temperar com o vinagrete, o tomate em cubos e o tomate cereja.

No centro de um prato fundo, colocar a rúcula selvagem, dispor os frutos do mar com harmonia, juntar o vinagrete mediterrâneo, uma raspa de limão siciliano e um pouco de pimenta do reino branca moída na hora.

Pode ser servida com uma torrada de pão italiano bem fina

ITALY0008.jpg

Receita: Paleta de cordeiro 

Chef David Kasparian

Restaurante Italy

Ingredientes:

1kg Paleta de cordeiro
50g Cenoura
100g Cebola
50g Salsão
5g Alecrim
5g Salvia
5g Tomilho
300ml Vinho branco seco
Sal e pimenta a gosto

Modo de preparo

Cortar todos os legumes em cubos grandes e reservar. Picar todas as ervas e misturar à carne, temperar com sal e pimenta. Em uma assadeira, juntar a paleta com os legumes e o vinho branco. Levar ao refrigerador para marinar por 24 horas, virando a carne na metade do tempo. No dia seguinte, retirar do refrigerador, cobrir com o papel alumínio e levar ao forno a 160 graus por 5 horas. Retirar do forno, e transferir a carne para o prato, coar o caldo da cocção, reduzir e dispor sobre a paleta. Servir com Tagliatele na manteiga e sálvia.

www.raphaelcriscuolo.com.br
Foto: Raphael Criscuolo
ATENÇÃO:

 

Clafoutis de figos e amêndoas

para 1 forma de fundo falso 25cm diâmetro

rendimento médio 12 cm

Petit Comité Roti

Chef Rita Atrib

 Ingredientes

200 gramas de manteiga sem sal

200 gramas de açúcar mais um pouco para polvilhar a forma

03 ovos grandes

180 gramas de farinha de amêndoas(pode substituir por de castanhas)

100 gramas de farinha de trigo

1 pitada de sal

01 colher de chá de baunilha

01 colher de café de anis estrelado em pó(pode ser substituído por canela)

100 ml de iogurte integral

08 a 10 figos maduros porém firmes

Modo de preparo

Pré aqueça o forno a 200°c . Corte os figos em 4, no sentido longitudinal e reserve. Misture a farinha de amêndoas, a farinha de trigo, o anis estrelado e o sal e reserve. Bata manteiga com o açúcar até ficar um creme fofo(batedeira). Adicione os ovos 1 a 1, deixando bater entre um e outro. Na sequencia, adicione a mistura de farinhas, até ficar uniforme e macio. Em seguida, adicione o iogurte (não bater demais). Forre uma assadeira com papel manteiga culinário ou papel alumínio(com a parte brilhante para cima)sendo a folha maior que o fundo da forma, para subir nas laterais e ficar um pouco para fora – apertar bem, como se fosse um “segunda pele” da forma, e cortar o excesso). Despeje a massa na assadeira, e em seguida vá colocando os figos de forma circuncêntrica na massa até finalizar a forma(não enfiar os figos totalmente na massa) Assar por 15 minutos, reduzir para 100°c, e assar aproximadamente mais 30/40 minutos ou, até que ao enfiar um palito no centro, este saia razoavelmente limpo(a torta é um pouco molhadinha). Deixe esfriar e desenforme, retirando o papel delicadamente. Sirva gelada ou em temperatura ambiente. A torta por si já é maravilhosa, mas se desejar acompanhe com creme inglês ou sorvete de creme.

torta de avelãs, petit Comité, foto wellington nemeth (1).jpg

 

TORTA CARAMELADA DE AVELÃS

Petit Comité

Chef Rita Atrib

Rendimento: 10 a 12 pessoas

Para a massa:

3 xícaras de farinha de trigo

6 colheres (sopa) de açúcar mascavo

225g manteiga

Para o recheio:

1 xícara de glucose de milho ou mel

1 xícara de açúcar mascavo

1 colher (chá) de sal

1/3 xícara de manteiga derretida

3 ovos

2 xícaras de avelãs

Modo de preparo

Para fazer a massa:

Misture todos os ingredientes e amasse bem até ficar homogêneo

Abra a massa e forre uma forma de 23cm e com fundo removível.

Pré asse por 10 minutos a 180 graus.

Para preparar o recheio:

Misture bem todos os ingredientes, menos as avelãs, até ficar homogêneo.

Despeje sobre a massa pré-assada e acrescente as avelãs por cima.

Asse em forno preaquecido a 180ºC por aproximadamente 40minutos, até que o recheio fique firme.

Desenforme morno ou frio.

Sirva puro ou com sorvete de vanilla.

Mc Vegan em teste na Finlândia

mcdonalds.jpg

Novidade do bem no McDonald’s: A rede começa a servir uma Mc oferta de sanduíche vegano, com soja no lugar da carne, molho, tomate, salada e picles, completamente sem ingrediente animal. O Mc Vegan será ofertado em cinco restaurantes da cidade finlandesa de Tampere e estará disponível nas unidades até 21 de novembro.

Christoffer Rönnblad, diretor de marketing da rede na Finlândia, diz: “Consideramos o lançamento do produto em todos os restaurantes do McDonald’s na Finlândia em 2018. A decisão dependerá da opinião do público. Os primeiros resultados dos testes de vendas, os comentários dos clientes e a atenção que o produto está recebendo em diferentes comunidades veganas são promissores”.

Por enquanto, a rede não se pronunciou sobre a chegada do sanduíche em outros países. No Brasil, o mercado vegano cresceu nos últimos tempos 40%. Quem sabe este índice contribua para que a marca traga a novidade para cá. Vamos torcer!

Cidade paulista cria ‘corrida do vinho’

Roteiro do Vinho3.jpeg

O Roteiro do Vinho – bucólico trecho turístico de 12 km – localizado em São Roque (SP) promove sua ‘1ª Corrida do Roteiro do Vinho’, dividida entre corridas e caminhadas – todas na paisagem de produtores de vinho da região.

As corridas de 5 e 10 km e caminhadas de 3 km são destinadas a atletas profissionais e amadores, de diversas idades, de ambos os sexos, ao estilo Trail Run (Estrada de Terra), com largada e chegada na Vinícola Palmeiras, situada no Km 10 do Roteiro do Vinho.

De acordo com Túlio Patto, Presidente do Roteiro do Vinho, a iniciativa faz parte do novo calendário de eventos. “Recebemos uma média de 20.000 turistas aos finais de semana e acreditamos que uma corrida em meio à natureza e próxima aos produtores e parreirais seja algo interessante, divertido e inovador; a primeira de muitas”, avalia.

 As provas estão assim divididas. ‘Kit Tinto’(R$69), ‘Kit Rosé’(R$89), ‘Kit Espumante’(R$119), ‘Kit Tinto Acima de 60 anos’ (R$34,50), ‘Kit Rosé Acima de 60 anos’ (R$44,50), e ‘Kit Espumante Acima de 60 anos’ (59,50) – todos com corridas de 5 e 10km e caminhada de 3km.

Os interessados devem fazer sua inscrição pelo site do PROEESP (Profissionais de Eventos Esportivos):  www.proeesp.com.br  As inscrições para todas as provas vão até o dia 17 de novembro e dão direito a kits. Haverá ambulância e segurança no local. Regulamento completo no site da PROEESP.

Roteiro do Vinho2

Apoiadores:

Descrição: Descrição: cid:image002.png@01D33251.A654C730 Terra do Vinho; Descrição: Descrição: cid:image002.png@01D33251.A654C730Vila Don Patto; Descrição: Descrição: cid:image002.png@01D33251.A654C730 Quinta do Olivardo; Descrição: Descrição: cid:image002.png@01D33251.A654C730 Ferreira & Passero; Descrição: Descrição: cid:image002.png@01D33251.A654C730 Vinícola Góes; Descrição: Descrição: cid:image002.png@01D33251.A654C730 Gillian´s; Descrição: Descrição: cid:image002.png@01D33251.A654C730 Vinícola Palmeiras

 Sobre o Roteiro do Vinho: O Roteiro do Vinho fica localizado na cidade de São Roque (SP). Trata-se de trecho de 12 quilômetros, que contém cerca de 35 estabelecimentos, dentre Vinícolas e Adegas, Restaurantes, Pousadas, Entretenimento e Compras. Há restaurantes de Gastronomia Brasileira, Comida Caipira, Tropeira, Portuguesa, Italiana e Contemporânea, oferta de lazer e toda uma programação voltada ao universo dos vinhos. Em meio à Mata Altântica, abriga animais como maritacas, tucanos, corujas e macaquinhos. O clima é bastante agradável, de montanha, com sol durante o dia e baixas temperaturas à noite.

Serviço:

1ª Corrida do Roteiro do Vinho

Data: 26 de novembro de 2017, às 7h, em pelotão único, para ambos os sexos, sob qualquer que seja a condição climática.

Inscrições: até o dia 17.11.2017 via site   www.proeesp.com.br

Endereço da Prova: Roteiro do Vinho. Largada e Chegada: Vinícola Palmeiras, Km 10 do Roteiro do Vinho, São Roque – SP – contato@roteirodovinho.com.br | receptivobrazil@raizbrazil.com.br |Instagram: @roteirodovinho | http://www.roteirodovinho.com.br Tels.: (11) 4712-2955 | (11) 94302-2753 | (11) 95781-9468

Modalidade: Trail Run

Público: Atletas amadores e profissionais, de ambos os sexos e maiores de 18 anos (regulamento completo no Site www.proeesp.com.br )

Observação: A entrega do Kit será feita local e horário a ser divulgado 7 dias antes do evento NO FACEBOOK NA PAGINA DO EVENTO – NO SITE DA PROEESP e por email cadastrado.

***

Para comemorar o dia das crianças (12), a 25ª Expo São Roque preparou uma séria de atrações. Durante todo o dia, o Recinto da Cascata, na cidade, receberá apresentações teatrais com alguns dos principais personagens do mundo infantil: Homem de Ferro, Hulk, Capitão América, Homem Aranha, Superman, Power Rangers, Mulher Maravilha, Anna, Elsa, Olaf, Bela, Fera e a Branca de Neve.

Outra atração é o espetáculo musical de marionetes produzido por Edilson Pollarah. O artista estudou com dois dos melhores marionetistas do mundo: Manoel Kobachuck, do Brasil, e Viktor Antonov, da Rússia. As apresentação será ao meio dia.

Para quem gosta de mágicas, outro espetáculo que vai chamar a atenção de todas as idades é o mágico Osamá Sato, que também é ator e empresário no ramo de brinquedos e livros que incitam a prática da mágica. Ossamá também faz parte do elenco do programa A Praça é Nossa, do SBT, com o bordão “Ih, compricô!”.

A diversão também estará garantida para os adultos. Na Expo São Roque, a apenas 60 km de São Paulo, será possível conhecer mais sobre as vinícolas da cidade, participar de workshops sobre vinhos e alcachofra, curtir música e dança e ainda se divertir em espetáculos artísticos.

A festa contará com mais de 30 estandes de vinicultores da cidade. Quem quer aprender mais sobre a bebida, poderá participar do workshop do enólogo Fábio Goés, que vai contar um pouco sobre a história do vinho, as harmonizações perfeitas com os mais variados pratos e como degustar os melhores vinhos. Os workshops ocorrerão durante a festa, sempre aos sábados, domingos e feriados, às 15h.

A culinária com base na alcachofra estará nos restaurantes dentro do recinto, que servirão alcachofra recheada, à milanesa, no yakissoba, no pastel, na salada, e em diversos outros pratos. O visitante também poderá participar de workshops gratuitos de gastronomia com o chef Osley José, especialista na iguaria, que ensinará todas as dicas sobre como escolher, higienizar e degustar a iguaria. Os workshops ocorrerão durante a festa, sempre aos sábados, domingos e feriados, às 12, 14 e 16h.

A Pisa da Uva também é atração para os adultos. Essa é uma viagem no tempo que remete à tradição de pisar nas uvas, um dos primeiros processos para a elaboração e produção do vinho. O público será convidado todos os dias a colocar os pés em enormes tinas cheias de uvas. Mais informações no site:  www.exposaoroque.com.br

Aprenda a fazer ravioli de alcachofra para saudar a primavera

IMG-20170913-WA0009
A receita é do chef Cleber Antonangellio. Boa primavera a todos os nosso leitores!

RAVIOLI DE ALCACHOFRA AO MOLHO DE VINHO

INGREDIENTES

Massa Verde:

300g de farinha de trigo

1 ovo

1 colher de sopa de Azeite

100g de espinafre

Massa Vermelha:

300g de farinha de trigo

1 ovo

1 colher de sopa de Azeite

100g de beterraba cozida

Recheio:

500g de fundo de alcachofra.

3 dentes de alho

1 cebola media picada.

Sal e pimenta e salsinha a gosto.

1 cálice de vinho branco Seco

 Molho:

750ml vinho tinto seco.

250ml de creme de leite fresco.

Sal e pimenta a gosto

MODO DE PREPARO

Modo de preparo massas:

Coloque o ovo, azeite e o espinafre em um processador e processe até ficar homogêneo. Acrescente a farinha aos poucos até dar a liga. Se preferir, misture a farinha com os ingredientes processados em cima de uma mesa e finalize com as mãos. Envolva em um plástico filme e deixe descansar por 30 min.

Para massa vermelha substitua o espinafre pela beterraba e repita o processo.

Modo de preparo recheio:

Refogue em uma panela o alho e a cebola até dourar. Acrescente o fundo da alcachofra cortada em cubos e o vinho branco e deixe apurar por aproximadamente 5min em fogo baixo. Deixe esfriar e recheie a massa.

Modo de preparo molho:

Coloque o vinho em uma panela e deixe reduzir pela metade em fogo baixo. Acrescente o sal e a pimenta. Finalize com o creme de leite fresco até engrossar.

Montagem:

Abra as massas separadamente em uma superfície lisa polvilhada com farinha, com um rolo para abrir massas. Coloque o recheio separadamente em porções pequenas sobre a massa vermelha e cubra com a massa verde. Com os dedos, remova um a um todo o ar entre as massas. Utilizando um cortador quadrado para massas, corte os raviólis e deixe-os separados. Em uma panela grande cozinhe a massa até eles subirem para a superfície. Retire-os e sirva-os com o molho quente.

Destaque da semana: Festival Tempero Bahia, em Salvador

salvador.jpg

Estou voltando de Salvador, onde participei do festival Tempero Bahia, que nasceu a partir do já tradicional Tempero do Forte. A festança ocorre na capital do estado até domingo que vem (dia 24). Para a primeira edição, o tema escolhido foi “Baía de Todos os Santos – da carne de fumeiro aos frutos do mar”.

28122012casa-de-terezatereza-paim-foto-solange-rossini-24.jpg

A festa reuniu 25 restaurantes, de Stella Maris ao Centro Histórico, que criaram pratos que valorizam ingredientes locais. Ocorreu também no Passeio Público, uma charmosa praça do século XIX, com música, arte, artesanato, produtos da terra, comidinhas da Bahia e aulas de gastronomia brasileira.

ANA

Assim que cheguei, no sábado, fui conhecer a Casa de Tereza, da chef Tereza Paim, que fica num casarão incrível, no coração do Rio Vermelho, bairro boêmio da cidade. Nunca tinha ido ao belo restaurante da Tereza.  Ainda não conhecia o local, que é lindo de morrer e tem pratos incríveis, como a moqueca Ana Bueno, que provei ontem, e que traz peixes e camarões, além de outros frutos do mar e banana da terra. Por falar em Ana Bueno e em banana da terra, a chef de Paraty cozinhou na Casa de Tereza, durante os dias iniciais do festival. O prato chamado “De Aninha para Tereza”trazia quinua, camarões, uma telha de acarajé e espuma de vatapá. Pensa num acarajé descontraído. O prato tinha sabor do quitute mais conhecido da Bahia, mas com apresentação criativa. Estava delicioso.

restaurantes-em-salvador-01.jpg

No sábado, almocei tres vezes. Chez Tereza, depois no italiano Bela Napoli, onde comi um levíssimo e delicioso Ravioli de Fumeiro com cebola caramelizada, musselina de banana da terra e queijo coalho grelhado. Mais tarde, fui ao Mistura, que tem uma das mais belas vistas para a Baia de Todos os Santos, que recebeu Andrea Ribeiro (RJ) e Elismar Anselmo (SE). A dupla apresentou Arroz de São Francisco do Conde, prato do Recôncavo, com aratu, camarão e carapeba, com vinagrete de andu e farofinha crocante de beiju com dendê. Pensa numa mistura de sabores deliciosa, crocante, a cara da Bahia.

Restaurante-Mistura-Cloc-Salvador1.png

Um dos destaques no Passeio Público, além das aulas der gastronomia com cgefds como César Santos, de Olinda, foram shows, entre eles, da Orquestra Paulista de Viola Caipira, uma beleza.

Ainda dei sorte e peguei o coquetel da Boa Lembrança – organização que tem como símbolo aqueles pratos lindos – no hotel Sheraton, na capital baiana. Enfim, um fim de semana maravilhoso.

 

Já pensou em fazer roteiro turístico por vinícolas da Inglaterra?

 

Credit Helen Dixon - autumn view - lo-res

Quem ainda não provou pode nem acreditar, mas a Inglaterra está definitivamente na rota de produção de bons vinhos, em especial espumantes. O aquecimento global tem favorecido experimentações no plantio de diversas uvas ao sul do país, algumas inimagináveis no Reino Unido meio século atrás, como Pinot Noir, Pinot Meunier e Chardonnay – as principais usadas em Champagne. Quase nada chega ao Brasil. As produções são pequenas, e as garrafas, caras para atravessar o Atlântico.

Agora surge uma oportunidade para entender o que está acontecendo por ali e provar vinhos raros, dificilmente encontrados mesmo em outras regiões britânicas: um roteiro guiado e comentado em português a uma das mais icônicas vinícolas da região de Surrey, a Denbies Wine Estate, localizada a apenas 50 minutos de trem do centro de Londres. O roteiro é oferecido pela Londres Tours (canallondres.tv), empresa de turismo segmentado especializada em Reino Unido.

Visitor centre 5

O roteiro inclui degustação de seis rótulos da casa, comentada em português pela jornalista Marta Barbosa Stephens, colunista de Prazeres da Mesa, que escreve sobre vinhos há uma década. Há três anos morando na Inglaterra, Marta mora nos arredores de Denbies e acompanha o grupo de turistas durante toda a visita, explicando sobre o terroir e as experimentações no plantio de uvas. Com vinhas jovens plantadas em 1986 e espumantes premiados no Reino Unido, os rótulos de Denbies resumem o British style. São espumantes com ótimo perlage, secos e refrescantes, com sabor mais mineral que o francês.

Para quem está de passagem em UK e gosta de vinho, essa é ainda uma oportunidade de desfrutar dos bons ares do country side e da atmosfera clássica britânica. Custa 99£ em grupos de no mínimo quatro pessoas, e dura aproximadamente cinco horas, incluindo a viagem de trem com saídas de Waterloo ou Victoria Station.

Copy of Visitor Centre 2.JPG

Nesta visita, além de um passeio pelas vinhas e pelo centro de fermentação e envelhecimento, com explicação sobre todo o processo de produção, há uma degustação dos principais rótulos da casa – três vinhos e três espumantes. No final, uma refeição no The Gallery Restaurant, que fica no terceiro andar da vinícola, com vista panorâmica para as vinhas.

Mais informações: tours@canallondres.tv

 

Curso na Casa do Saber apresenta vinhos franceses

BORGONHA

Em três encontros, neste mês, alunos poderão degustar e conhecer mais sobre o mundo do vinho, na Casa do Saber, em São Paulo, com Aguinaldo Záckia, além de degustar deliciosos Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot e Pinot Noir.

A França se destaca pelo capricho com que a bebida é tratada: não à toa, o país é a grande escola de enologia para produtores do mundo inteiro, produzindo 60 milhões de hectolitros por ano, com consumo médio de 42 litros por habitante ao ano – aqui no Brasil, para comparação, bebe-se cerca de 2 litros ao ano.

Os encontros, com degustação de vinhos escolhidos pelo professor, apresentam a história da vinha e do vinho na França, suas uvas, as appellations d’origine contrôlées, seus terroirs e os múltiplos estilos de seus vinhos.

Biografia: Aguinaldo Záckia

Encontros:

13/09 Introdução ao vinho francês: Bordeaux e Loire

20/09 Bourgogne, Champagne e Alsace

27/09 Vallé du Rhône, Provence e Languedoc-Roussillon

Serviço:

 O Mundo do Vinho: a França – com degustações – por Aguinaldo Záckia

Quartas, 13, 20 e 27/09, às 20h. 3x R$ 180,00.  Inscrições:  http://casadosaber.com.br/sp/cursos/gastronomia/o-mundo-do-vinho-a-franca.html

Casa do Saber: R. Dr. Mario Ferraz, 414, Jardim Paulistano, SP. Tel: 11 3707-8900​

Marca aposta na chamada ‘Terceira Onda do Café’, com blends autorais

image005

A Rede IL Barista – comandada pela empresária Gelma Franco -, com seis lojas, criou um aplicativo, no qual o cliente pode escolher o seu próprio Blend, de forma lúdica e baseada em suas preferências sensoriais (http://www.ilbarista.com.br/coffee-store/). 

 Sobre produtos exclusivos, Gelma atesta: “A marca IL Barista tem orgulho de ser a única  do setor  de Cafés Especiais que  torra  seus próprios  cafés, disponibiliza todos os seus  10 Blends no formato  grãos, torrado e moído e em cápsulas  compatíveis  com Nespresso, em todas  as  suas  unidades, todos os  dias.”

Os grãos são selecionados pela própria Gelma e são provenientes de Fazendas Certificadas – e batizados com ritmos ou nome ligado à música, como ‘Salsa’ (Chapada Diamantina), ‘Bossa’ (Cerrado), ‘Maestro’ (Sul de Minas), ‘Ópera’ (Matas de Minas), ‘Soul’ (Chapadão de Ferro), ‘Jazz’ (Mogiana) e ‘Tango’ (Norte do Paraná). Há ainda o ‘Samba’ (Orgânico), o ‘Blues (Bourbon Vermelho’) e o ‘Blues( Bourbon Amarelo).

 O cardápio IL Barista traz destaque para os diversos Drinques com Café, o ‘Petit  Gateau  de Café’  e  a ‘Torta Crocante de Doce de Leite Argentino’. A marca oferece, também, Treinamentos, Cursos, Palestras e Coffee Bar para eventos.

Serviço: MORUMBI SHOPPING  Av. Roque Petroni Jr., 1.089 – Piso Lazer – loja 41- (11) 5181 4784; SHOPPING VILA OLÍMPIA Rua Olimpíadas, 360  – 3º piso – loja 405. (11) 3045 8191; ITAIM CASA DO SABER Rua Dr. Mário Ferraz, 414 – São Paulo, SP. (11) 3297-7131; ALTO DE PINHEIROS  Av. Gnl Furtado Nascimento, 66 – Alto de Pinheiros – São Paulo, SP. (11) 2565 3000; FARIA LIMA Av. Brigadeiro Faria Lima, 2.113 – Jardim Paulistano – São Paulo, SP. (11) 2565 1505; RIO DE JANEIRO Rua Visconde de Pirajá, 459A – Ipanema – Rio de Janeiro, RJ.

Já foi ao novo Fôrno? Pois então vá!

ambiente9


Esta semana fui conhecer o novo Fôrno, casa nova dos mesmos sócios do Holy Burger, um restaurante casual que serve sanduíches, embutidos e pizzas de fermentação natural, tudo feito na casa.

ambiente10.jpg

 Localizado no centro de São Paulo, rua Cunha Horta, 70, bem pertinho do Holy, tem cardápio enxuto, com cardápio desenvolvido por Filipe Fernandes. Os sanduíches são criados com quatro tipos de pães feitos na casa – focaccia, ciabatta, brioche e campagna. As quatro pizzas são de fermentação natural – 48 horas, são elaboradas com farinha napolitana 5 Stagioni, conta o empresário Gabriel Prieto, sócio do local. Outro destaque na casa é a coquetelaria, onde há clássicos e opções de própria autoria.

ambiente11

 Com projeto de Herbert Holdefer, o mesmo do Holy Burger, o Fôrno foi projetado no primeiro andar de uma casa do ano de 1860 na Vila Buarque. Tem cozinha aparente, e é um misto das salumerias de Milão e delis nova-iorquinas. Exemplo de projeto que deu certo, não apenas de ambiente, mas em seu conjunto.

Calabresa (1).jpg

Tudo o que eu comi estava ótimo (provei a schiaccata, pizza de marguerita, sanduíche de pastrami, o cubano e o hot dog)! Mas, na dúvida, vá de sanduíche de pastrami feito na casa. Será um dos melhores da sua vida. Segue abaixo o cardápio, que tem preços ótimos.

Cubano (6).jpg

O Cardápio

Entradas

Heritage Tomato Salad (R$ 23) – Salada de cinco tipos de tomate, ricota e ervas.

Carne Cruda (R$ 35) – Wagyu, Grana Padano, azeite, sal, pimenta e limão.

Burrata (R$ 15) – Burrata, tomate confitado, pesto e azeite.

Schiaccata (R$ 20) – “Pizza amassada”, Grana Padano, rúcula, burrata, cebola roxa e azeite.

Tábua de frios (R$ 33 e R$ 50) – Seleção do dia de embutidos e queijos.

Heritage Tomato Salad (5).jpg

 Pizzas

Calabreza (R$ 28) – Molho de tomate da casa, calabresa artesanal curada e cebola roxa.

Margherita (R$ 25) – Molho de tomate da casa, Scamorza e manjericão.

Marinara (R$ 23) – Molho de tomate da casa, alho, cebola roxa e Grana Padano 18 meses.

Prosciutto (R$ 35) – Molho de tomate da casa, Scamorza, rúcula e presunto cru.

Marguerita (3).jpg

 Sandwiches

Cubano (R$ 23) – Ciabatta, presunto cozido feito aqui, maionese e picles de cebola roxa.

Pastrami Sandwich (R$ 40) – Pão de campagna, pastrami feito aqui, picles caseiro e mostarda.

Hot Dog (R$ 15) – Pão de brioche, salsicha Frankfurt, maionese de Tabasco Chipotle e picles de cebola roxa.

Focaccia Basilica (R$ 25) – Focaccia, mozzarela, pesto e tomate confitado.

Prosciutto (1).jpg

Sobremesas

Mousse de chocolate (R$ 20) – Chocolate belga 80%, raspas de laranja e Bourbon.

Pudim na Latinha® (R$ 16) – Sim, é o mesmo do Holy Burger!

Donuts (R$ 15) – Donuts

Coquetéis

Na carta de coquetéis, clássicos como Negroni, Manhattan, Old Fashioned, Fitzgerald, Ny Sour, e os assinados Smoked Boulevardier, Fôrno G&T e Milano Torino.

menu_cocktails

 Serviço:

R. Cunha Horta, 70, V. Buarque, (11) 2645-9499

Horário de funcionamento:  Terça à quinta das 19h à 0h. Sexta até à 1h; Sáb. 12h/1h; dom. 12h/23h; fechado às segundas.