Um alentejano pernambucano

 

 

Desde que conheceu o Recife, José Júlio Vintém, do restaurante Tombalobos, em Portalegre (Portugal), nunca mais deixou as terras pernambucanas. Sempre que encontra um tempinho, deixa seu restaurante, que é listada no guia Michelin, como uma das melhores de seu país, para visitar amigos no Nordeste. Só este ano, já veio três vezes ao País, em janeiro, fevereiro e agora novamente, para participar do Festival Gastronômico de Pernambuco, do qual é convidado de honra.  Segue sua entrevista.

Qual ingrediente brasileiro de que mais gosta?
Muitos… a macaxeira, o bode, a galinha caipira, entre tantos outros.

No ano passado, em uma de suas visitas ao Brasil, você me disse que queria sair para caçar. Chegou a realizar seu sonho gourmand?
Não saí, mas quero conseguir carne de caça para cozinhar, desta vez.
Qual prato faria com um corte de bode?
Costumo fazer um que é um sucesso, bode assado no forno, com muita cebola, e, depois, prensado, com um peso em cima. Sirvo-o cortado em cubos. É delicioso.

Qual a sobremesa pernambucana de que mais gosta?
Gosto da cartola (banana grelhada, com queijo-manteiga derretido, canela e açúcar). A banana daqui é fabulosa, a manga espada também.

Qual a novidade do restaurante Tombalobos?
Neste momento é a caça, coelhos, lebres, entre outros…

Há algum prato de lá que tenha sotaque pernambucano?
Sim, sirvo macaxeira e batata doce como guarnições. A macaxeira é frita em chips e a batata doce vira purê. É um sucesso.

Anúncios