Arte do macaron

 
Ana Cloris Soares tem uma loja de doces, em João Pessoa/PB, a Anita Pâtisserie, que é uma loucura para os amantes de açúcar. Entre os destaques, estão macarons de sabores inusitados, como pipoca, açaí e também jerimum. Nesta entrevista, ela fala sobre a arte do macaron.

 

Qual o macaron mais excêntrico que você faz hoje? Como chegou a esta ideia?
O de pipoca. Cheguei a este sabor num dia em que trabalhava com chocolate e pipoca. Quando abri a Anita Pâtisserie, lembrei desse sabor. Depois de dois testes, senti que o doce ficou exatamente como eu queria. Hoje é um dos mais procurados da loja.
 
Quais sabores regionais têm no seu cardápio?
Tenho o cajá, e, em breve, terei tapioca também.
 
O que um bom macaron deve ter?
Deve ter equilíbrio, não pode ser muito doce, casca crocante, mas macio por dentro. Tem que ter textura. Chocolate de boa qualidade também é essencial para um bom recheio.
 
Qual sabor testa no momento?
Estou testando abacate, adoro trabalhar com frutas.
 
Se fosse fazer um macaron salgado, qual seria?
De bacon com maple syrup e pancake (típico café da manhã americano).
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s