Sonhando e criando laços

David_Hertz

David Hertz foi nomeado Young Global Leader, no ano passado, pelo Fórum Econômico Mundial. O reconhecimento é concedido a empreendedores entre 30 e 40 anos, por seus notáveis projetos, compromisso com a sociedade e potencial para moldar o futuro mundial. Seu trabalho também tem a chancela da Fellow Ashoka, organização global que reconhece e investe em líderes sociais.

O seu projeto é a Gastromotiva, organização que dissemina o potencial, o poder e a responsabilidade da gastronomia como um agente de mudanças capaz de conectar pessoas e desenvolver ações e comunidades, formando assim, o Movimento da Gastronomia Social.

Para isso, usa como principal ferramenta cursos de qualificação profissional oferecidos a jovens talentos de baixa renda, por meio de uma rede do mercado gastronômico e de investidores sociais – empresas, fundações, institutos e indivíduos. Na prática, a Gastromotiva também promove a transformação social ao atuar como ponte entre realidades distantes, buscando soluções para diminuir essa distância, desenvolvendo negócios sociais e organizando experiências e  eventos gastronômicos. Segue a entrevista que David concedeu ao Tudo al Dente:

Qual foi a história ligada à gastronomia que mais lhe inspirou nos últimos tempos?
São muitas histórias… de pessoas transformadas, são incríveis, mas, ultimamente, tenho me motivado por articulação e mudanças coletivas. Em junho passado, moderei uma atividade em Myanmar (ou Birmânia), onde mais de 50 líderes globais e locais, que participam da cadeia de valor da alimentação, mostraram a forma pela qual a alimentação pode ajudar no desenvolvimento de um país. Esse projeto me mostrou novas perspectivas e sonhos, além de me conectar com a comida do oriente, que sempre me inspirou.

E a história que mais lhe emocionou?
A de um aprendiz do Rio de Janeiro que, recentemente, me contou porque escolheu o curso da Gastromotiva por email. Ele cresceu numa cozinha e tinha um sonho que ninguém queria bancar. São sempre as histórias de superação que me surpreendem e me fazem continuar.

Como tem sido seu trabalho junto a comunidade do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro?
Tem sido de construção coletiva. Estamos ainda em fase de descoberta do potencial, de construção do sonho. Realizar um curso e montar um evento nos proporcionou o crescimento de uma rede que realmente quer fazer o local mudar.

Quais as últimas boas descobertas que fez nesse lugar?
Foram os empreendedores que já tinham sido selecionados pela Phio e pelo Sergio Block (autor de um guia de restaurantes de favelas do Rio, já entrevistado pelo Tudo al Dente). Eles foram essenciais para aumentarmos nossa rede de contatos locais. Durante o evento Prazeres da mesa ao Vivo no Rio, no começo deste mês, conheci o novo Bistrô de Cervejas. As bebidas que ali provei, não conhecia ainda.

Poderia contar alguma curiosidade que tenha vivido nessa comunidade?
A minha chegada no Alemão foi marcante. Além de ganhar amigas para vida, a Lia, do Slow Food, a Kátia e a Bianca Barbosa, do restaurante Aconchego Carioca, conheci a Kelly, moradora do complexo que nos disse que o sonho dela era transformar aquele espaço em Santa Teresa. Compramos esse sonho juntos e isso nos uniu e trouxe tantos outros colaboradores! Hoje, um chef de Nova York, o Daniel Humm, considerado o número cinco do mundo, pela Revista Inglesa Restaurant, nos disse que sua vida mudou depois que pisou no Alemão. Agora, ele quer contribuir para o sonho da Kelly, fazendo um evento no restaurante dele para arrecadar fundos e ajudar na transformação do lugar. Sonhar e criar laços juntos muda tudo!

Serviço: Tel: (11) 2924-0300

 

Anúncios