O melhor da baixa gastronomia

978-85-7881-275-1-Alta

Bianca Paulino Chaer, jornalista de 22 anos especializada em gastronomia, decidiu desbravar as ruas de São Paulo para conhecer a baixa gastronomia local.

A pesquisa originou no livro Comida de rua – O melhor da baixa gastronomia paulistana (editora Alaúde), com dezenas de opções para quem gosta de comer bem, lançado estes dias.

O volume traz descrição detalhada de cerca de 38 barracas tradicionais e food trucks selecionados, com comentários sobre pratos e fotos exclusivas que vão além do hot dog, do espetinho de carne e do pastel de feira. São opções como lula cozida a vácuo em baixa temperatura com mandioquinha, alho e tomates assados, brócolis e farofa de milho ou pratos da culinária internacional: temaki, falafel e porchetta.

Para facilitar a vida do leitor, a autora separou as barracas e os trucks entre “Por onde começar” – capítulo que reúne alguns de seus favoritos –, “Os clássicos da rua” – com comida simples e deliciosa –, “Outras gostosuras” – opções diferentes provadas e aprovadas –, e “Mais delícias pelo caminho” – com doces e bebidas para completar a refeição.

O livro ainda traz uma lista de festas típicas da cidade, feiras tradicionais e eventos. A autora também apresenta memórias dos cozinheiros e da origem de suas receitas.

Anúncios

Uruguai muito além da parrilla (parte II)

Panaderia
Texto e fotos: Giuliana Nogueira *
José Ignácio
Neste lugar, uma dica que é uma pérola: Panaderia de la Mama. Bem, a cidade é cara. Para quem quer comer bem sem gastar muito, a Panaderia é um oásis. Os pães são excelentes, fornecidos para as degustações na bodega Garzon. Sugestões de pratos do dia também são muito mais econômicos do que comer na maioria das casas de José Ignácio.  Na dúvida vá de empanadas e se sinta como num piquenique, duas valem por um bom almoço.
Santas negras 02
Se quiser tranquilo gastar um pouco a mais, deixe o concorrido La Huella de lado. Um pouco mais longe da costa fica o Santa Negras. É uma delicia, afastado da praia, com uma atmosfera campestre. Valeu esperar até as 21h pela jantar (sim, em José Ignácio muitos restaurantes só abrem para o almoço após 21h durante o verão).
Santas Negras
O cardápio é escrito diariamente numa lousa com o que tem de mais fresco. São cerca de 8 opções de pratos principais. Entre eles, estava o melhor peixe que comi na minha vida… por 400 pesos uruguaios (cerca de 48 reais). Fresco, temperado com excelente azeite uruguaio, acompanha legumes e batatas. Simples, mas muito bem feito. Voltaria nesse lugar uma dúzia de vezes.
Punta Del Este
L´incanto
Nada muito memorável e tudo caro. Na hora do almoço, ainda dá para conseguir um cardápio executivo na região que eles chamam de boulevard gourmet, na av. Pedregosa Sierra, onde ficam os restaurantes mais badalados da região urbana de Punta.
Alias, até feira gastronômica a região já vem abrigando. Para almoçar, provamos o L’ incanto Ristorante (foto acima e abaixo). Dica de um italiano, a refeição foi justa e o lugar realmente muito bonito faz valer a visita.
l'incanto02
Um quarteirão à frente, encontra-se o Felix Caffè (fotos abaixo). Se a ideia for um lanche rápido, um café com alfajor de maisena, ou mesmo uma pâtisserie local, o café é o lugar ideal. Um delicioso jardim com cadeiras reclináveis, uma varanda e uma casinha com uma bela vitrine de doces fazem o local muito agradável para uma pausa no meio do dia.
Felix Cafe
Cercado de verde e tranquilidade, gostaria de ter mais lugares assim em São Paulo, e menos cafeterias pasteurizadas imitando o visual descolado das casas americanas.
felix cafe 02
Colônia do Sacramento
Gimbelinne
Comer em Colônia pode sair caro. Por uma comida razoável, paga-se pela localização. Por isso foi uma surpresa quando descobrimos que jantar no Yacth Club saia mais barato, ou o mesmo preço, do que comer nos restaurantes do centro histórico.  A massa recheada com cogumelos e coberta por um molho vermelho espeço surpreendeu e encarou bem o Tannat, Los Cerros de San Juan, produzido ali mesmo, em Colônia. O salmão com batatas e molho cítrico estava equilibrado, outro acerto. E ainda agradável foi comer com vista para a marina.
Gibellinne
Pelas ruas de Colônia, também se esconde um lugar pitoresco, o restaurante Gibellinne. De fora se vê uma bela casinha com poucas mesas na calçada, no interior, o ambiente claustrofóbico e apinhado de quinquilharias chega a ser tão estranho que se torna simpático.
Na parede da sala, entre as muitas fotos antigas, a do chef chama atenção, de dólmã fumando um cigarro, me fez imaginar se algum dia ele fumou cozinhando. Uma única garçonete tenta dar conta do recado de atender a todos. A impressão que tivemos é que não havia mais que três funcionários na casa. Ainda sim, a comida foi excelente. Comemos pizza e massa, mas ambas surpreenderam pela qualidade, e tudo feito na casa. O acompanhamento foi um bom vinho do país.
*
Giuliana Nogueira é fotógrafa e RP da área da gastronomia

La Frontera apresenta menu especial de Páscoa

15marco_241

O La Frontera, em São Paulo, é um restaurante que adoro, da iluminação à trilha sonoro, passando pela cozinha, claro. A casa serve menu especial de Páscoa.

15marco_304

Na sexta-feira Santa (3 de abril), serve a sua tradicional receita de bacalhau do almoço (R$46), e também no jantar. Já para o domingo (5 de abril), além do a la carte, a casa conta com um menu especial (R$ 92, por pessoa), com água mineral e couvert inclusos.

15marco_317

Os clientes poderão escolher entre as seguintes opções de entrada: crostoni de gorgonzola, figos, rúcula e balsâmico ou escabeche de sardinha ao tomate com polenta grelhada (primeira foto do post); nos principais: bacalhau, mandioquinha e brócolis assados no azeite com tomatinhos e farofa cítrica ou ragu de cordeiro com azeitona, espinafre e damasco sobre cremosa polenta (foto acima). De sobremesa, há bolo molhado de chocolate belga 70% com mascarpone (abaixo) ou triffle de morango, curd de limão siciliano e farofa de amêndoas.

***

13

E falando em bolo de chocolate e Páscoa, vamos para o Rio de Janeiro… Lá, em vez de propor ovos de Páscoa, a loja Brauni investe nos brownies… vendidos via site (www.comabrauni.com.br). As embalagens são lindas e há doces para todos os paladares, o tradicional, um feito com chocolate branco, um feito com Jack Daniel’s, de pimenta, café, flor de sal e mel.

Serviço:

La Frontera: Rua Cel José Eusébio, 105 – Consolação, SP, tel.: (11) 3159-1197

Brauni: http://www.comabrauni.com.br 

Fotos: Giu Gnr e divulgação

Brasil a Gosto visita o Espírito Santo

SCH

A chef Ana Luiza Trajano é danada! Nas suas últimas andanças Brasil afora, em busca de sabores e receitas, visitou o estado do Espírito Santo, encontrando uma culinária que vai muito além do oceano.

As receitas do litoral se unem aos sabores do interior, onde os imigrantes, principalmente os italianos, incorporaram novos ingredientes e aromas. A passagem pelas terras capixabas, revelou embutidos, diferentes queijos como o resteia e o puína, frutas e outras marcas deixadas pelos índios, italianos, africanos, pescadores, agricultores e artesãos.

Brasil-a-gosto_moqueca-baixa

Inspirada em sua recente viagem, acaba de lançar um menu para celebrar a região. Para começar, serve petisco formado por um trio composto por caldo de peixe, bolinho de arroz de polvo e marinado de siri. Para a entrada, Polenta braseada com molho de queijo resteia e socol (primeira foto do post).

Entre as sugestões de pratos principais estão a Moqueca capixaba (segunda foto) e a Rabada com feijão manteiga, acompanhada de purê de jaca. Para sobremesa, o Bolo de jaca com sorvete de puína é servido com calda de araçauna (abaixo). Tudo impecável, dos sabores dos ingredientes ao cozimento dos pratos, das fotos espalhadas pelo salão ao sorriso dos funcionários.

SCH_2

Serviço: Brasil a Gosto http://brasilagosto.com.br/

Fotos: divulgação

Aprenda a fazer leite condensado cremoso em casa

leitin (1)
A Nestlé acaba de anunciar o relançamento do Moça Cremoso, versão mais consistente do leite condensado tradicional. O lançamento aconteceu em 2011, mas o produto saiu de linha em seguida. O gosto é o mesmo do tradicional, porém a versão cremosa é menos doce. Há também um leve amargor de fundo.
É possível fazer a receita caseira deste leite condensado cremoso! Isso mesmo! É bem simples. Basta colocar uma lata de leite Moça no liquidificador, algumas gotinhas de limão (atenção, apenas cinco ou seis gotas, senão o doce fica com gosto cítrico) e bater por cinco minutos. Você vai ver que a textura e o gosto ão os mesmos do leite condensado cremoso vendido pela marca.
Feito em casa, o doce custa duas ou três vezes menos do que o valor cobrado nos supermercados (R$ 6, mais ou menos)

Tempo de bacalhau

pastel de bacalhau - quatro unidades

Almocei hoje na Mercearia do Francês, em São Paulo, e soube que a casa comemora dez longos anos. Bacana, né? O restaurante funciona numa esquina bastante agradável de Higienópolis e às vezes tenho almoços longos de domingo por lá… Bem, hoje fui provar pratos do ‘Festival de Morue’ – menu especial de bacalhau com petisco, entrada, prato e sobremesa por R$ 69,50, de seis de março a cinco de abril.

Raviole de Morue e brócolis  (1)

Comecei com pastéis de bacalhau e bolinhos tradicionais, que vieram sequinhos. De entrada, provei a brandade de bacalhau, servida com purê de lentilha e alho confit. Depois, foi a vez do ravióli aberto de bacalhau, purê de brócolis, tomate cereja e pesto. Pulei a sobremesa, mas a casa oferece menu de almoço completo por R$ 69,50 com creme brulée. Tel. (11) 3214-1295

*

bacalhau a narciso - rancho portugues - credito marcelo cabral

E falando em bacalhau, o Rancho Português , também de São Paulo, me mandou uma de suas receitas com o peixe. Segue:

Bacalhau Narciso: Ingredientes: 1 posta de Bacalhau de 800g dessalgada; 3 folhas de louro; 8 dentes de alho; 8 batatas pequenas; 2 cebolas médias; 10 azeitonas portuguesas; 3 fatias de pimentão (verde, vermelho e amarelo); 1 colher de chá de páprica; salsinha e azeite.

Modo de fazer: Pré-cozer a posta de bacalhau em água com as folhas de louro e com 5 dentes de alho por 3 minutos. Retirar o bacalhau da água e levar ao forno junto com as batatas por 10 minutos. Picar e fritar os 3 dentes de alho remanescentes. Picar uma cebola em pedaços bem pequenos e misturar com a páprica, salsinha e azeite. Fatiar a outra cebola em tiras finas e dourar no azeite. Retirar o bacalhau e as batatas do forno. Montagem: Colocar o bacalhau e as batatas em uma travessa. Passar uma camada da cebola com páprica sobre as batatas e depois colocar as cebolas em tiras por cima de tudo. Finalizar com a salsinha, o alho frito, as azeitonas e as fatias de pimentão.

Uruguai muito além da parrilla

Texto e fotos: Giuliana Nogueira *
Jacinto01
Nos últimos anos o brasileiro descobriu seu vizinho, o Uruguai. Embora a vida para o turista seja quase tão cara quanto São Paulo, a combinação perfeita entre campo, cidade e litoral atrai bastante.
Cidades gostosas para caminhar, com boa parte da sua costa cercada por praias de água doce e ainda sim a poucos quilômetros do campo. Assim é o país, que ainda apresenta bons vinhos e boa comida.
jacinto 00
Com a chegada dos turistas, surgiu a inflação. Um taxista em Montevideo disse “Punta Del Este é para brasileiros e argentinos cheios de plata, não para nós.”
Comer em Punta Del Este pode sair caro, bem como se hospedar na cidade. Assim, restaurantes em cidades menores da moda têm chamado atenção dos turistas, como o La Huella em José Ignácio ou El Garzón, restaurante de Francis Mallman em Pueblo Garzón.
Jacinto02
As dicas a seguir não são de uma profunda conhecedora local, foi minha segunda vez no país. São dicas que consegui com uma uruguaia do ramo de restaurantes. A questão não é preço, nem lugares da moda, mas locais interessantes para descobrir um Uruguai que vai além dos famosos cortes de carne na parrilla.
 Jacinto03
Montevideo
O Mercado de Puerto é realmente curioso, vastas opções de carnes assando na grelha em meio a um ambiente com áreas de bagunça, vale o passeio mas caminhe um pouco mais em direção ao centro para almoçar.
Jacinto04
Sem dúvida, um dos melhores lugares para se comer bem em Montevideo pertence a uma argentina. O Jacinto, de Lucia Soria, fica na Cidad Vieja, produz pães deliciosos e tem um menu muito bem executado a preço justo. Ambiente agradável e com um cardápio fixo incrementado por sugestões do dia, o restaurante certamente seria um sucesso em São Paulo. O risoto de beterraba com gorgonzola e nozes foi uma excelente pedida, bem como o malfati de espinafre com creme de leite fresco, amêndoas e pecorino.
A sobremesa do dia também foi uma surpresa, um mousse branco com aguaymanto (nossa conhecida como physalis), mais interessante que a torta de chocolate do cardápio fixo. Certamente, se eu voltar a Montevideo, visitarei o Jacinto (todas as fotos acima)
Trouville
Para comer a comida típica, o mega sanduíche uruguaio, o clássico chivito, vá sem dúvida o Trouville, no bairro de Pocitos. A apresentação é simples, mas a porção farta e o preço justíssimo. Provei também o pescado com manteiga negra e purê, de apresentação simples mas quantidade generosa, estava excelente (foto acima).
Las dos estrellas
Para quem vai para os lados do Hotel Carrasco, certamente será bem atendido se estiver disposto a gastar muita “plata” no restaurante do hotel, onde uma taça de vinho branco sai por 12 dólares. Se a ideia for mais econômica, de uma volta por trás do hotel, ali está a melhor empanada que provei em toda viagem e a um preço muito camarada, na rotisserie La Dos Estrellas (acima),  prove 3 ou 4 dessas pequenas delícias.
al forno 00
Em Montevideo  você também pode ir ao irmão caçula, e mais econômico, do El Forno de La Barra, mas a casa não é tão bela quanto a original (foto acima).
La Barra
Próximo a Punta del Este fica a pequena praia de La Barra, seguindo o gps por uma hora onde parecia não haver nada a não ser mato, encontramos escondido o restaurante Al Forno (fotos abaixo).
al forno 01
O cardápio apresenta ingredientes intrigantes trabalhados de formas pouco usual. A lasanha de centolha com abóbora chama atenção, e a Brótola (um peixe) com legumes na caixa de ferro também se saiu bem.
al forno 02
Para mimar o cliente, a refeição começa com um ovo de codorna com dill e caviar. Mas vá sem pressa. Duas garçonetes são responsáveis pelo salão todo, o que é comum no Uruguai, então não se estresse.
(Leia na semana que vem a segunda parte do post sobre o Uruguai) 
Giuliana Nogueira é fotógrafa e RP da área da gastronomia

Degustação da Sucré Pâtisserie

Jujuba de Caju (1)

A confeiteira especialista em chocolate Lia Quinderé esteve em São Paulo para degustação de doces da sua loja, Sucré, que fica em Fortaleza (CE). A prova aconteceu na Chocolate Academy, e ela mostrou um trabalho delicado e saboroso.

Brigadeiro de chocolate Belga (1)

Em 2008 ela abriu a sua primeira loja, que hoje é considerada a mais bem sucedida doceria do Ceará.  Hoje conta com mais duas unidades na capital cearense e mais de 20 pontos de vendas no Brasil.

Chocolate 33% com crocante de massa folhada (1)

Lia Quinderé utiliza chocolate belga Callebaut e valoriza produtos brasileiros e regionais em receitas especiais. Eleita “Chef patissière 2013” pela revista Prazeres da Mesa, é considerada uma das melhores de sua geração.

Caramelo de mel de jandaira com crocante de farofa de farinha d´agua (1)

Na prova, havia jujuba de caju, brigadeiro de chocolate belga, chocolate com crocante de massa folhada, caramelo de mel de jandaira com crocante de farinha d’água e bombom de chocolate branco recheado de caramelo de caju. Tudo de comer ajoelhado.

Bombom recheado de caramelo de caju (1)

Ela ainda mostrou os ovos que fez para a Páscoa deste ano. 

OvoÓreo

Serviço: http://www.liaquindere.com.br

Fotos: Divulgação

Drinks a base de chá

Jasmin Rubi
Novidades no Bistrô Ó-Chá. Depois do sucesso do gin com perfumes, bebida elaborada com Gin Bombay Sapphire e tônica, perfumado com bagas de zimbro, cardamomo, hibiscus e zesto de laranja (R$ 25) a proprietária Mónica Costa elaborou quatro novos cocktails alcóolicos base de chá.
Gim com perfumes
São eles: Pera must preparado com chá verde sencha, vodka, suco de pera (R$15), o Kir de Hibiscus, uma infusão de flores de hibiscus, espumante, licor de cassis (R$15), o Jasmim Rubique leva chá verde Jasmim Flor dourada, espumante, fruta vermelhas (R$16) – foto acima – e o Teana Colada a base de chá preto darjeeling, vodka, leite de coco (R$15) – foto abaixo.
Teana Colada
Para quem prefere as bebidas sem álcool o clássico Mazagram muito consumida em Portugal, é uma bebida refrescante preparada com café forte, suco de limão, açúcar e gelo (R$10) e o smoothie Mil e uma Noites preparado com base de chai – chá preto com especiarias – e suco de ameixas frescas (R$12) – foto abaixo.
 Mil e uma noites
A casa ainda conta com opções de sucos especiais e smooths para refrescar e inclui entres os pratos de verão opções como sanduíche de rosbife e geleia de pimenta  (R$26) e a torta tatin de figo com queijo manchego (R$20).
 Tartin de Figo
 Para quem não dispensa o chá quente mesmo nos dias de mais calor, a casa ainda oferece cerca de 70 tipos de chás e tisanas (infusões) vindos da China, Japão, Índia, Nepal, Sri Lanka, Indonésia, Laos, Quênia, Vietnã, África do Sul, entre outros.
Serviço:
Bistrô Ó-Chá, Rua Aspicuelta, 194 – Vila Madalena (SP), Tel.: (11) 2737 8001
Fotos: Giu Gnr

Aprenda a fazer prato da culinária chinesa

Kung Pao Chicken 3_bx (1)

A receita de Kung Pao Chicken é do PF Chang’s. 

Ingredientes: Molho Kung Pao: 50 ml  de molho de soja sabor cogumelo; 25 ml  saquê (com baixo teor de álcool); 30 g açúcar; 1 pitada de pimenta branca; 20 ml de vinagre de álcool. Para o Kung Pao Chicken,, use 200 g peito de frango cortados em cubos de 2 cm; 1 xícara  de fécula de batata; 6 unid. de pimenta dedo de moça desidratada; 20 g de aipo fatiado bem fino; ½ colher de sopa de molho de pimenta; ½ colher de chá de alho picado; 1 colher de sopa de cebolinha cortada bem fina; 1 colher de chá de óleo de soja; 1/2 colher de chá de óleo de gergelim; 20 g de amendoim torrado sem sal; óleo de soja para fritar. Modo de preparo: Molho Kung Pao: Mesclar o açúcar com a pimenta branca em uma tigela. Siga adicionando o molho de soja sabor cogumelo, o saquê, água e por último o vinagre de álcool. Utilize um batedor de arame e misture de forma que o açúcar incorpore completamente ao molho. Reserve. Kung Pao Chicken: Empane o frango cortado em cubos com a fécula de batata e frite no óleo quente até que fique totalmente cozido. Reserve. Em uma panela wok bem quente, adicione 1 colher de chá de óleo limpo, refogue o alho picado e a pimenta dedo de moça desidratada, o aipo, a cebolinha picada e o molho de pimenta. Adicione também 50 ml do molho Kung Pao reservado, o frango frito e o amendoim torrado. Mescle bem até que o molho esteja bem incorporado e finalize com ½ colher de óleo de chá gergelim. Sirva imediatamente. Rendimento: Uma pessoa. Tempo de preparo: 15 a 20 minutos.

Serviço:  (11) 3044-0571

Foto: Divulgação