Eataly tem cursos para a meninada

eatalySP

O novo Eataly, a disney da gastronomia, oferece cursos para as crianças colocarem a mão na massa. Eles são organizados em parceria com o Slow Food Brasil.

Um encontro custa R$ 60,00 e o pacote de seis encontros custa R $300, 00 (1 aula gratuita).

Veja os cursos abaixo:

1 – A arte comestível

06/06/2015 | das 14h00 às 16h00

As crianças terão a possibilidade de viver experiências que ajudem a reconhecer e interpretar os estímulos sensoriais, utilizando alimentos da cultura local em sua sazonalidade e explorando suas cores, cheiros e sabores, criando obras comestíveis.

Daniela Lisboa é nutricionista e chef de cozinha, membro do Slow Food e uma das fundadoras da Escola Como Como de Ecogastronomia.

2 – Mão na massa

13/06/2015 | das 14h00 às 16h00

A criançada vai arregaçar as mangas e, de forma divertida, preparar a própria refeição: massa de macarrão aromatizada com cenoura e molho pesto brasileiro, feito com ramas de cenoura e castanha de baru!

Adriana Vernacci formou-se em gastronomia e ministrou aulas de gastronomia para crianças. Atualmente, proprietária da Oficina D’Orgânico Masseria e Torteria e articuladora do projeto Chefs na Feira, no Ibirapuera.

3 – Brincando com a Arca do sabor: uma aventura através dos sentidos

20/06/2015 | das 14h00 às 16h00

De forma lúdica, convidamos os pequenos a tocar, cheirar, vivenciar e falar sobre ingredientes típicos e manipular tintas com esses alimentos, elaborando duas receitas com ingredientes da arca, uma salgada e uma doce.

Cláudia Mattos é consultora, pesquisadora gastronômica, chef de restaurante e líder do convívio Slow Food São Paulo.

4 – ChocoMagia

27/06/2015 | das 14h00 às 16h00

Uma aventura pelas origens do sabor irresistível do chocolate, através da manipulação do fruto do cacau e da magia de receitas que vamos criar e experimentar juntos!

Maria Helena Caldas é historiadora especializada em patrimônio cultural e meio ambiente, consultora de ecogastronomia e cultura alimentar, membro Movimento Urbano de Agroecologia.

5 – A natureza de comer

04/07 /2015 | das 14h00 às 16h00

O que podemos comer quando caminhamos na mata ou no parque? Raízes, flores, cascas, fungos, sementes. Através de uma brincadeira, as crianças são estimuladas a perceber a natureza e os alimentos à sua volta de um jeito diferente.

Bia Goll é cozinheira, pesquisadora de comida. Abriu o Otto Bistrot em 2007. Realiza eventos sustentáveis, facilita hortas em escolas e espaços comuns públicos e privados, além de escrever sobre o gastronomia e natureza.

Os cursos são aconselhados para crianças de 6 a 12 anos.

Serviço: Eataly São Paulo, Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 1.489, São Paulo

Horário de funcionamento: Todos os dias das 8h00 às 23h00

Para informações sobre cursos, entre em contato através do e-mail cursos@eataly.com.br ou ligue para: (11) 3279-3300

Anúncios

Veja quanto custam os cursos de culinária do Eataly

pasta_eataly

Você sabia que o Eataly, em São Paulo, também tem uma escola de culinária? Veja abaixo quem são os chefs que vão dar aulas no lugar, nos próximos meses, e quanto custa cada curso.

O Eataly vai receber os dez chefs que fizeram e fazem a história da culinária italiana em São Paulo para cozinhar seus pratos exclusivos. Você poderá assistir á uma aula de cozinha todas as quintas-feiras (a partir de hoje, 28 de maio) e aprender as receitas, em aulas que celebram o melhor da italianidade. O curso terá duração de 1 hora. Você receberá uma apostila com a receita do prato que será preparado pelo chef convidado com a sua ajuda. Uma aula para aprender e saborear um prato tradicional, com ingredientes 100% italianos do Eataly.

eatalySantis

  • Rodolfo de Santis

R$ 180,00 | 28/05/2015 | das 18h00 às 19h30

R$ 180,00 | 28/05/2015 | das 20h00 às 21h30

Em degustação: Raviolo ao duplo recheio de cebola caramelada e abobrinha na manteiga e sálvia, avelãs e creme de queijo taleggio

Nascido em Gallipoli, passou pelas prestigiadas casas Le Cinq Four Seasons (duas estrelas no Guia Michelin), em Paris, e La Pergola (três estrelas), em Roma. Desembarcou no Brasil em 2010, para chefiar a cozinha do Biondi. O promissor chef também passou pelo Domenico e, por fim, comandou a cozinha do Tappo Trattoria. Está pronto para abrir o seu próprio restaurante em SP.

eatalyRaviole

  •  Roberto Ravioli, do Empório Ravioli

 R$ 180,00 | 11/06/2015 | das 18h00 às 19h30

R$ 180,00 | 11/06/2015 | das 20h00 às 21h30

Em degustação: Raviolone d’oro

Personalidade da gastronomia italiana em São Paulo, dedica-se a criar pratos baseados na culinária da Toscana, terra de seus avós, à frente do clássico Empório Ravioli e do mais refinado La Madonnina Ravioli.

eatalyFasano

  •  Luca Gozzanido, do Fasano

R$180, 00 | 18/06/2015 | das 18h00 às 19h30

R$180, 00 | 18/06/2015 | das 20h00 às 21h30

Em degustação: Codorna recheada ao lardo

Nascido na Itália há 37 anos, Luca Gozzani faz parte do Grupo Fasano desde 2007. Foi por influência da avó, que entrou para o Instituto Professionale Alberghiero Di Stato Bernardo Buontalenti. Foi convidado para trabalhar no restaurante Enoteca Pinchiorri, em Florença, três estrelas no Guia Michelin, para onde voltou como sous-chef depois de um ano e meio no três estrelas Don Alfonso, em Sorrento.

dueEataly

  • Giampiero Giuliani, do Due Cuochi Cucina

R$ 180,00 | 25/06/2015 | das 18h00 às 19h30

R$ 180,00 | 25/06/2015 | das 20h00 às 21h30

Em degustação: Risotto allo Scoglio

Giampiero Giuliani nasceu em Frankfurt, na Alemanha, mas mudou-se para a Itália ainda criança. E foi lá que começou a dedicar-se às panelas, passando por restaurantes da família Cipriani – em Veneza, Londres e, por fim, Nova York. É o chef-executivo do premiado Due Cuochi há oito anos. A casa, que completa 10 anos em 2015, foi premiada diversas vezes como melhor restaurante italiano da cidade pela publicação Veja São Paulo Comer & Beber.

eataly2

  •  Tony de Sousa, do Nello’s

R$ 180,00 | 02/07/2015 | das 18h00 às 19h30

R$ 180,00 | 02/07/2015 | das 20h00 às 21h30

Em degustação: Spaghetti Primavera

Um clássico italiano da cidade, o restaurante foi aberto pelo casal Nello e Rina de’Rossi em 1974. O braço direito da chef romana, d. Rina, nos fogões é o Tony. Hoje primeiro chef, ele começou no restaurante em 1976, como lavador de pratos.

eataly1

  •  Sergio Arno, do La Pasta Gialla

 R$ 180,00 | 09/07/2015 | das 18h00 às 19h30

R$ 180,00 | 09/07/2015 | das 20h00 às 21h30

Em degustação: Pasta alla carbonara e pasta com ragú alla bolognese

A carreira de Sergio Arno começou na Itália, em um restaurante de Firenze. De volta ao Brasil, abriu, em 1987, o aclamado La Vecchia Cucina, que tornou-se referência de culinária italiana em São Paulo. Em 2001, lançou a rede La Pasta Gialla, com a proposta de ser uma opção de qualidade, mas mais acessível.

eataly3

  • Marco Renzetti, da Osteria Del Pettirosso

R$ 180,00 | 13/07/2015 | das 18h00 às 19h30

R$ 180,00 | 13/07/2015 | das 20h00 às 21h30

Em degustação: Linguine nere com camarões, tomate cereja confit e burrata

Em sua casa inaugurada em 2007, o chef Marco Renzetti apresenta receitas de sua terra natal, Roma. O menu é dividido em duas partes: Tradizione, com receitas tradicionais romanas, e Fantasia, em que o chef cria suas versões dos clássicos. Em 2013, foi eleito como a melhor cantina pela publicação Comer & Beber de Veja São Paulo.

eataly4

  •  Tássia Magalhães, do Pomodori

R$ 180,00 | 16/07/2015 | das 18h00 às 19h30

R$ 180,00 | 16/07/2015 | das 20h00 às 21h30

Em degustação: Gnocchi de funghi com creme de queijos e castanha do Pará

O Pomodori, inaugurado em 2004, comemora 11 anos de história. Um dos bistrôs mais cobiçados de São Paulo, vêm se adaptando e renovando seu cardápio desde o comando da jovem Tássia, experiente cozinheira de 25 anos, que comanda a cozinha do Pomodori desde 2013, sendo indicada a diversos prêmios como chef revelação. Com ela, o tradicional restaurante italiano ganhou ares mais modernos.

eatalycursos

  • Pier Paolo Picchi, do Picchi

R$ 180,00 | 23/07/2015 | das 18h00 às 19h30

R$ 180,00 | 23/07/2015 | das 20h00 às 21h30

Em degustação: Fettuccine de pupunha com atum

Filho de italianos, Pier Paolo se interessou pela cozinha logo cedo. Aos 17 anos, estagiou no restaurante Filomena, então comandando pelo chef Alex Atala. De volta ao Brasil, passou pelas cozinhas do Hotel Emiliano e Café Antique, antes de abrir o próprio restaurante. Hoje, à frente do Picchi, o chef foi o primeiro brasileiro a vencer a competição do Festival Girotonno da Italian Culinary Institute for Foreigners, com o mesmo prato que ensina nessa aula.

eataly

  •  André Guidon, da Leggera Pizza Napoletana

R$ 180,00 | 30/07/2015 | das 18h00 às 19h30

R$ 180,00 | 30/07/2015 | das 20h00 às 21h30

Em degustação: Pizza Margherita Casalinga

O chef segue à risca a tradição de Nápoles. Ele é delegado brasileiro da Associazione Verace Pizza Napoletana e dá o aval para restaurantes que queiram usar o selo de verdadeira pizza napolitana. Guidon também venceu o concurso italiano Trofeo Emergente, sendo considerado o melhor pizzaiolo estrangeiro de 2014. Em seu restaurante, os ingredientes são artesanais e importados da Itália.

Não deixe de informar sobre qualquer alergia a alimentos no início da aula.

eataly33

  • A pizza caseira

R$120 | 16/06/2015 | das 19h30 às 21h30

Um workshop com Marco Di Roma, nosso especialista da pizzaria diretamente de todos os Eataly do mundo, vai nos mostrar todos os segredos para criar a melhor pizza caseira. Vamos falar de farinhas nacionais e internacionais, fermentação e diversos recheios. Degustação de: pizza margherita, pizza com prosciutto cotto e uma pizza surpresa.

Serviço: Eataly

Fotos: divulgação

Aprenda a fazer em casa SEIS receitas do EATALY

eataly_sãopaulo

1) Arancini – bolinho de risoto com ragu de calabresa e mussarela – receita do restaurante La Piazza – chef Du Cabral – rendimento: 2

Ingredientes:
Para o ragu de linguiça:
200 gramas de calabresa moída
100 ml vinho tinto
1 colher de sopa de cebola picada finamente
1 colher de sopa de alho-poró picado finamente
1 colher de sopa de folhas de manjericão
800 gramas de tomate pelatti
2 colheres de sopa de azeite extra virgem
Sal a gosto

Para o risoto:
100 gramas arroz carnaroli
300 ml caldo de legumes
100 ml azeite extra virgem
150 ml vinho branco
200 gramas parmesão ralado

Para o arancini:
60 gramas de mussarela de búfala cortada em cubos
60 gramas de farinha de rosca

Modo de preparar:
Para o ragu:
Em uma panela, aqueça o azeite e doure a cebola e o alho-poró. Adicione a calabresa moída e doure por mais 5 minutos. Coloque o vinho tinto e deixe evaporar. Adicione o tomate e deixe em fogo baixo até reduzir. Adicione as folhas de manjericão. Reserve.

Para o risoto:
Em uma panela, aqueça o azeite e doure o carnaroli por alguns minutos. Adicione o vinho branco e adicione caldo de legumes. Deixe evaporar, sempre mexendo. Adicione o ragu de calabresa e cozinhe até ficar al dente.

Para o arancini:
Espalhe o risoto já cozido em uma travessa e deixe esfriar. Faca bolinhos com o risoto e recheie com 30 gramas de mussarela de búfala. Empane na farinha de rosca e frite.

2) Salada do mar com polvo, camarão, batata, salsão e mostarda – do restaurante Pesce – Chef Du Cabral – rendimento: 2

Ingredientes:
200 gramas de batatas já cozidas e cortadas em cubos
50 gramas de mostarda dijon
2 colheres de sopa de azeite extra virgem
sal a gosto
pimenta do reino a gosto
salsa a gosto
50 gramas de camarão já pré-cozido
50 gramas de lula já pré-cozida
50 gramas de polvo já pré-cozido
30 gramas s de salsão cortado e m cubos
1 colher de chá de suco de limão
1 ramo de manjericão

Modo de preparar:
Em um recipiente, tempere as batatas com sal, pimenta, azeite e a dijon. Reserve na geladeira. Em outro recipiente, tempere todos os frutos do mar.
Para servir, coloque a salada de batatas no fundo do prato e, por cima, os frutos do mar. Decore com manjericão.

3) Penne Allá Norma, com berinjela grelhada, aeite, tomilho, tomate pelado e ricota fresca – receita do restaurante Pasta – do chef Du Cabral – rendimento: 2

Ingredientes:
400 gramas Penne já cozido em água
1 colher de sopa de cebola picada finamente
1 xicara de berinjela fatiada em cubos
1 colher de chá de tomilho desfolhado
400 gramas de tomate pelatti batido
100 ml vinho branco
2 colheres de sopa de ricotta fresca italiana
2 colheres de sopa de azeite extra virgem
Sal a gosto
Pimenta do reino a gosto
Açúcar a gosto (se necessário)

Modo de preparar:
Em uma frigideira, aqueça o azeite e doure as cebolas. Adicione a berinjela e refogue bem. Adicione o tomate já batido e deixe cozinhar por 5 minutos. Ajuste o sal e a pimenta do reino e, se necessário, adicione um pouco de açúcar para tirar a acidez.
Coloque o penne e salteie com o tomilho. Ao servir, coloque uma colher de sopa em cima de ricotta fresca.

4) Salmão marinado e curado servido com lascas de rabanete e coração de alcachofra tostado – receita do restaurante Le Verdure e Il Crudo – Chef Du Cabral – rendimento: 1

Ingredientes:
150g de Salmão curado
40ml de creme de leite
1 capim-limão
20g de rabanete
30g de coração de alcachofra em conserva
Brotos para decorar
Sal a gosto
Pimenta do reino a gosto

Modo de preparar:
Aqueça o creme de leite em uma panela com o capim-limão dentro. Depois de ferver, desligue o fogo, deixe esfriar, descarte o capim-limão e leve à geladeira. Reserve.
Corte os corações de alcachofra ao meio e grelhe em uma frigideira apenas até deixar as marcas de tostado.
Corte o rabanete em fatias finas e reserve.
Na hora de servir o prato, tempere o creme de capim-limão com sal e pimenta do reino e bata com um fuet até que o creme ganhe ar e fique com a consistência de uma espuma leve.
Coloque o creme no fundo do prato e ponha o salmão curado cortado em fatias sobre esse creme. Coloque a alcachofra sobre tudo. Finalize as lascas de rabanete ao redor e decore com os brotos.

5) Panzanella de vegetais com tartare de robalo e emulsão de ervilha – receita do restaurante Le Verdure e Il Crudo – chef Du Cabral – rendimento: 1

Ingredientes:
100g de Robalo
10g de tomate italiano
10g de palmito pupunha
10g de abóbora kabocha
10g de rabanete
10g de abobrinha
10g de salsão
10g de alho-poró
10g de pepino
50g de ervilha congelada
Suco de 1 limão siciliano
Raspas da casca de 1 limão siciliano
Azeite
Sal a gosto
Pimenta do reino a gosto
Flor de sal a gosto

Modo de preparar:
Coloque a ervilha em água fervente por 1 minuto, retire e coloque diretamente em água com gelo para parar a cocção. Bata em um liquidificador com um pouco da água do cozimento para que fique liso. Passe por uma peneira e reserve.
Corte todos os vegetais em cubos de cerca de 3cm. Asse a abóbora kabocha (já cortada) por 5 minutos a 180ºC com azeite. Depois que a abóbora esfriar, misture todos os vegetais e tempere com azeite, sal, limão e pimenta do reino.
Corte o robalo em cubos do mesmo tamanho dos vegetais e tempere com azeite e sal.
Com o auxílio de um aro, monte no centro de um prato. Primeiro os vegetais e, sobre, o robalo. Decore com raspas de limão e flor de sal. Coloque o purê de ervilha ao lado e sirva.

6) Peixe branco com bisque de camarão e feijão branco – receita do restaurante Il Pesce – chef Du Cabral – rendimento: 2

Ingredientes:
Para o peixe:
400 gramas de Congrio já limpo e dividido em duas porções iguais
sal a gosto
pimenta do reino branca a gosto
50 ml de azeite extra virgem

Para o feijão branco:
150 gramas de feijão branco já cozido
2 tomates cortados sem pele e sem semente
1 colher de sopa de guanciale (ou pancetta) frito em cubos pequenos
1 colher e café de salsa picada finamente
1 colher de chá de azeite extra virgem
1 colher de sopa de suco de limão siciliano

Para o bisque de camarão:
300 gramas de cabeça de camarão
1 cebola media cortado em cubos
1 colher de sopa de cenoura picada finamente
½ alho-poró cortado em cubos pequenos
½ cálice de Cognac
1 litro de água
1 colher de sopa de azeite extra virgem

Para a montagem:
Ciboulette ou brotos de beterraba para decorar

modo de preparo:
Para o bisque:
Em uma panela média, aqueça o azeite e doure os legumes. Adicione a cabeça de camarão. Adicione o cognac e deixe evaporar o álcool. Adicione a água e deixe reduzir até a metade. Retire da panela e bata tudo num liquidificador. Coe e reserve.

Para o feijão branco:
Em uma frigideira, doure o guanciale ou pancetta, adicione os feijões brancos já cozidos e refogue por 2 minutos. Adicione o tomate, a salsa, o suco de limão e finalize com azeite, sal e pimenta.

Para o peixe:
Aqueça o azeite em uma frigideira média e doure o peixe já temperado com sal e pimenta, começando pelo lado da pele. Doure por 3 minutos. Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC por 6 minutos.

Para a montagem: Em um prato fundo, coloque a bisque, os feijões e, por cima, o peixe. Decore com ciboulette ou broto de beterraba.

Serviço: Eataly

Foto: divulgação

Taglioline ao molho de mascarpone e limão siciliano tem gostinho da Itália

eataly_receita_blog

A receita é do chef Ronaldo Canha, do Quadrucci, do Rio de Janeiro. É simples e rápida.  

Ingredientes (para uma pessoa): 100 g de taglioline fresco; 60 g de mascarpone; 60 ml de creme de leite fresco; 5 g de raspas de limão siciliano; 10 ml de suco de limão siciliano; 60 g de tomate cereja confitado; 180 g de camarões limpos; 15 g de alho poró; 15 ml de azeite; sal e pimenta á gosto.

Modo de fazer: Cozinhe o taglioline “al dente ” e reserve Refogue o alho poró no azeite , acrescente o creme e deixe reduzir até 2/3. Acrescente o mascarpone e deixe por mais 2 minutos. Acrescente o suco de limão tempere e reserve. Grelhe os camarões , coloque o Taglioline no molho, sirva com os camarões grelhados e polvilhe as raspas de lmão por cima.

Serviço: Rua Dias Ferreira, 233 – Leblon, Rio de Janeiro, tel. (21) 2512-4551

Foto: divulgação

Marca aposta em alimentos saudáveis

pao_sem_gluten_blog_gastronomia

Há mais de dez anos, o francês Charles Piriou trocou o seu país natal pelo Brasil, dedicando-se inteiramente à gastronomia. Agora, está à frente da marca S Simplesmente, empresa que tem como objetivo oferecer produtos frescos e artesanais preparados na hora do pedido.

A cozinha do novo empreendimento segue uma filosofia saudável e por essa razão, todas as receitas são ricas e equilibradas em nutrientes, sem glúten, sem lácteos, adição de açúcares, conservantes ou corantes. Além disso, nenhuma opção possui carne entre seus ingredientes e são adequadas para pessoas que possuem alguma intolerância alimentar. “A marca S foi pensada para as pessoas que buscam qualidade de vida, unindo saúde com sabores deliciosos.” comenta o empresário Charles Piriou, que concedeu a entrevista abaixo ao Tudo al dente, que aproveita para  desejar ‘joyeux aniversaire!’ ao Charles, que faz aniversário hoje!

Tabule de quinoa_blog_culinária

Em uma frase curta, poderia explicar o S Simplesmente? Uma marca saudável, simples e muito saborosa, pensada para incentivar as pessoas a comer bem, viver bem, todos os dias.

Como surgiu a ideia de abrir a marca? Surgiu da união do talento do chef Thiago Medeiros junto com o meu conhecimento da área de gastronomia, para propor produtos simples e práticos, com um foco na saúde sem esquecer o mais importante, os sabores.

Depois de todos estes anos de dedicação à gastronomia nacional, o que tem te chamado a atenção nesta área? Mudança de estilo de vida e momento pessoal de busca por mais alimentos saudáveis no meu dia a dia, além do crescimento constante desse mercado graças a procura e conscientização das pessoas nesse sentido.

blog_culinária

E o que ainda falta para a gastronomia/restaurantes do país?  Não falta nada, estamos muito bem servidos. Talvez um pouco de visão empresarial e profissionalismo as vezes.

O que mais sente falta da gastronomia do seu país? Cada lugar tem suas especialidades, e gosto de descobrir a cultura local e me nutrir disso. Sinto falta de ter mais produtores locais e sabermos de onde vem os ingredientes.

Nas fotos, pão sem glúten de azeitonas pretas e tabule de quinua; divulgação.

Tempo de pinhão em Visconde de Mauá

foto 4

Todos os anos, nos meses que antecedem o inverno, Visconde de Mauá (RJ) se transforma na terra do Pinhão e da gralha azul. O pinhão (semente da araucária) é o principal alimento da ave e, graças a ela, o pinheiro tem conseguido se perpetuar em trechos da Mata Atlântica brasileira.

foto 5

Esses pássaros desmancham a pinha no galho, derrubam sementes e fazem germinar novas árvores pela serra.

foto 2

A importância do pássaro azul turquesa, de cabeça e peito negros – hoje em extinção -, é aprendida cedo na escola, pela meninada local.  Essas mesmas crianças envolvem-se diretamente com essa história.

foto 3 (1)

Como explica a chef Mônica Rangel, “elas catam pinhões no mato para ajudar os pais, que vendem a semente cozida, fazem farinha etc, movimentando a economia informal local.” Pensando na relação dos moradores do lugar com esta semente, Mônica pensou na Festival do Pinhão há 23 anos.

foto 1 (1)

Todos os anos, após a extração no meio do mato, mais de 50 restaurantes locais, entre Visconde de Mauá, Maromba, Maringá e Penedo oferecem em seus cardápios diversos pratos com a semente, muito identificada no Brasil com festas juninas, quando são assadas na fogueira.

foto (2)

“O ingrediente é a cara de Mauá, é uma das bases da gastronomia local. Por isso, a cada ano, criamos um concurso, em que os restaurantes locais devem apresentar receitas originais que tragam pinhão, da entrada a sobremesa”, diz Mônica. Ela conta que além de servido em receitas diversas, o pinhão ainda vira farinha, que é usada por diversas famílias locais, durante um ano todo, para a criação de pães, bolos e biscoitos.

Geleia para rainha nenhuma botar defeito

blog_de_gastronomia_culinaria

Outro dia fui conhecer a fábrica de geleias Queensberry, em Itatiba (SP). Para a minha surpresa, numa grande fábrica, em meio a um cenário mágico de montanhas, encontrei um lugar que preza pelo artesanal. Engano meu achar que por se tratar de produtos feitos em grande escala, as geleias da marca eram resultado de algo mecanizado e sem vida.

Foi uma surpresa ver o cuidado que cada receita recebe, desde a chegada das frutas na estação de trabalho. No fim, trouxe para a casa a linha gourmet da marca, com geleias de pimenta, cebola caramelizada, chutney de manga e geleia de menta.

Segue receita que aprendia  fazer com o chutney da marca. Trata-se da sopa fria ao mango chutney e camarões salteados – servida no restaurante La Casserole, em São Paulo, na ocasião da comemoração dos 25 anos da Queensberry.

Receita – Ingredientes: 2 cenouras médias; 1 cebola; 2 talos de aipo; 2 alhos porós; 4 dentes de alho com casca amassados; 5 folhas de louro; tomilho; talos de salsinha; pimenta rosa a gosto; 500 ml de água; 30 ml de vinagre de maçã; 2 mangas; 200 g de Mango Chutney Queensberry. Para o camarão: 8 camarões-rosas grandes; sal a gosto; pimenta do reino branca; curry a gosto; 4 colheres (sopa) de azeite

Finalização e decoração: violetas; brotos de coentro.

Modo de fazer a sopa: Corte a cenoura, o aipo, o alho-poró e a cebola em cubos médios. Coloque em panela alta e não muito larga, acrescentando o alho amassado, o louro, o tomilho e os talos de salsinha. Complete com água. Quando chegar à fervura, abaixe o fogo e cozinhe por cerca de 20 minutos (escumando sempre). Coe em peneira bem fina para que o caldo fique límpido. Em outra panela, coloque o vinagre, a manga cortada em pedaços, o Mango Chutney Queensberry e a pimenta rosa. Adicione o caldo de legumes e deixe cozinhar por aproximadamente 10 minutos. Retire as pimentas e bata em um mixer ou liquidificador. Peneire novamente. Resfrie em uma tigela com gelo. Camarão: Tempere os camarões com sal, pimenta do reino e curry. Em uma frigideira bem quente, acrescente o azeite e em seguida os camarões. Sele dos dois lados deixando-os malpassados em seu interior.

Finalização e decoração: Monte a sopa em prato fundo deixando o camarão em evidência. Decore com violetas e brotos de coentro.

Foto: divulgação

Livros de gastronomia do Senac etc

222777A

Na minha mesa de trabalho estão três livros recém-lançados pela editora do Senac São Paulo, A virtude da gula, Espessantes na confeitaria e Enciclopédia da gastronomia italiana. Todos imperdíveis!  

No decorrer da História, a visão sobre a gula tornou-se plural; dependendo da cultura, pode ser vista como sinal de status, ou como fundamento para celebrações religiosas e rituais sociais. No livro de Raul Lody, a gula é apresentada como uma virtude, liberta de seu princípio moral de pecado, e, ao longo dos capítulos, o leitor poderá se deliciar com as descrições, histórias e impressões do autor a respeito de pratos tradicionais da mesa brasileira.

No livro Espessantes na Confeitaria – Texturas e sabores, rapidamente se estabelece como uma referência primária para uma informação prática e técnica nessa importante categoria de ingredientes culinários.

Além de uma informação técnica dos vários tipos de agentes espessantes e gelificantes, a autora Sandra Canella-Rawls oferece uma extensa aplicação prática em mais de 250 receitas, como massas, líquidos, molhos, doces, produções domésticas ou industriais, testadas pela professora em sua prática executiva e acadêmica.

A Enciclopédia é um dos livros mais completos e bacanas de gastronomia que caíram em minhas mãos. São 250 receitas com técnicas e passo a passo de importantes chefs como Massimiliano Alajmo, Massimo Bottura e Teresa Buongiorno. O livro ainda traz QR codes que dão acesso a vídeos detalhados de receitas.

*

Editora_senac_blog_gastronomia

Ontem, fui ao almoço de lançamento da campanha “Do mar à mesa: consumo consciente do pescado”, no restaurante Cantaloup, em São Paulo. Promovido pela Abrasel, em parceria com a revista Prazeres da Mesa e o WWF-Brasil, a promoção visa valorizar a pesca tradicional sustentável em pequena escala, criando uma conexão direta dos pescadores com grandes chefs nacionais.

Para celebrar a campanha, restaurantes da capital e do litoral de SP fazem festival de pescados entre 14 e 31 de maio, apenas com os peixes que podem ser pescados nesta época do ano. Veja a lista dos pescados e dos restaurantes no www.guiadeconsumodepescados.eco.br

 

Testei o leite moça light em casa… veja o resultado

leite moça light dieta dukan

Testei em casa o leite condensado Moça light que a Nestlé acaba de lançar no Brasil. A embalagem é bonita e o produto tem 95% menos gorduras. É um produto 0% gordura, como está na embalagem. Os ingredientes são: leite desnatado, açúcar e lactose.

Apesar de não ter gordura, o açúcar continua presente. Tive a impressão que o produto é muito mais doce do que o leite condensado tradicional da marca. Então, vejam bem, diabéticos, nada de mergulharem na latinha. O gosto é quase igual, quase, não chega a ser idêntico.

leite moça condensado light Nestlé

Fiz um brigadeiro com Toddy, bem simples, para saber da textura e do gosto. A textura é boa, dá para enrolar facilmente. Já o gosto deixou a desejar. Em partes por conta do Toddy, que não é lá um chocolate potente. Mas, enfim, o doce ficou com gostinho de sobremesa que criança gosta.

Para ser sincero, prefiro o leite condensado light/diet que faço em casa – inspirado na dieta Dukan. É muito melhor.

Uso 2 xícaras de chá de leite desnatado em pó (o Molico é de longe o melhor dos produtos disponíveis no mercado); 1 xícara de chá de água fervente e 5 colheres de sopa de adoçante culinário. Modo de preparo: Bater os ingredientes no liquidificador por 5 minutos, colocar em uma vasilha no freezer por meia hora. Para incrementar, quando tenho em casa, uso umas quatro gotinhas de essência natural de baunilha. É uma receita fácil de barata. Pode ser consumida por diabéticos e por aqueles que fazem o regime das proteínas.