Folia Gastronômica de Paraty e mais…

ATENÇÃO: Toda foto deve ser publicada com o crédito do autor, de acordo com a Lei Nº 9.610 de 19/02/1998.

Neste fim de semana acontece, no Pólo Gastronômico de Paraty, a VII Folia Gastronômica [entre 13 a 15 de novembro].  Na Rua Dr. Samuel Costa, da Igreja do Rosário até a Rua da Praia, o turista encontrará quiosques de produtos gourmets, tachadas e espaço para piquenique com tapiocaria, além de uma área especial para as crianças.

Haverá programação cultural, inspirada no universo circense, além de fanfarras e pernas de pau, que vão transportar o público ao mundo fascinante da antiga e mágica Paraty.

Na Casa da Cultura acontecem aulas com chefs e profissionais da gastronomia de todo o país, como Cozinha dos imigrantes – por Heiko Grabolle; Qual o tempero da Sua vida? – por Angélica Vitali; Cajuína – Compartilhando pesquisas, ingredientes e produtores do Piauí – por Ana Luiza Trajano e Flávia Quaresma; Tudo de banana: curd, picles e chutney – por Paula Labaki, entre outros.

É uma chance imperdível de saber o que está acontecendo nessa área pelo Brasil afora. Em frente, no quiosque da Folia, o público poderá obter informações sobre o evento, comprar os produtos oferecidos, e se inteirar do nosso programa educativo, que acontece durante o ano todo em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, alcançando 30 escolas municipais e beneficiando 6 mil crianças da rede.

Para as crianças, a Folia Mirim traz uma programação divertida e diversificada! Recreadores, nutricionistas, educadores, ambientalistas e, claro, cozinheiros!, apresentam o universo gastronômico aos pequenos através de oficinas com muito bate papo e mão na massa! Para os jovens haverá uma gincana com enigmas e atividades relacionados à culinária.

Os restaurantes do Circuito Gastronômico da Folia criaram surpresas saborosas com o ingrediente homenageado do ano: a banana. E com preços promocionais! Juntando três cupons fiscais após comer a Sugestão do Chef, você ganha um prato exclusivo da Boa Lembrança criado para o Festival.

Mas na rua também tem comida! Chefs convidados farão paneladas e oferecerão provas ao público passante! Tachadas de farinha de mandioca e doces também compartilharão os sabores da culinária local.

Uma parceria entre a Folia Gastronômica e os festeiros de São Benedito traz mais festa ainda ao final de semana em Paraty, com missas e apresentações folclóricas.  Ana Bueno, do ótimo restaurante Banana da Terra, está a frente do evento. A convite da Ana, estarei lá gerando conteúdos sobre a festa. \o/

Mais informações, no site da festa: http://www.paraty.com.br/foliagastronomica.asp

***

burnt-kUgB-U101908016278e2H-1024x576@GP-Web

A convite da Paris Filmes, assisti esta manhã, á cabine do filme Pegando fogo. Ambientado no mundo da alta gastronomia, o filme é estrelado por Bradley Cooper no papel do chef Adam Jones, com Sienna Miller (Foxcatcher: Uma História que Chocou o Mundo; A Garota),Daniel Brühl (Bastardos Inglórios; Rush – No Limite da Emoção), Omar Sy (Intocáveis; Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros; X-Men: Dias de um Futuro Esquecido), Emma Thompson (Walt nos Bastidores de Mary Poppins; Simplesmente Amor) e participação especial de Uma Thurman (Ninfomaníaca – Vols 1 e 2; Kill Bill).

No filme dirigido por John Wells (vencedor do Emmy® pela série de TV The West Wing), Adam Jones (Cooper) é um chef fora do mercado, que vive em Londres abrindo ostras em um pequeno restaurante local. Jones causou muita dor aos ex-parceiros do restaurante no qual trabalhava em Paris – com duas estrelas Michelin. Tentando se recuperar de vários vícios, ele vai a Londres procurar seu mâitre, Tony (Brühl), para tentar convencê-lo a retomar a antiga parceria. No caminho, Jones vai encontrando antigos desafetos, talentos promissores e velhos amigos e inimigos, na busca por sua terceira estrela Michelin. Filme leve e sem pretensões, bom para assistir com um refrigerante grande e um saco de pipoca.

Estreia no Brasil dia 10 de dezembro

***

Filet de Frango ao Limão com ervas + Arroz Sírio + Ratatouille

Outro dia, a Jo Gelpi mandou aqui para minha casa alguns pratos da marca Tá na Mesa, provei lagarto com purê de mandioquinha e legumes salteados e lasanha de bacalhau. estavam ótimos.

Para os amantes da comida simples e saborosa, o Tá na Mesa oferece sua linha de pratos para o dia a dia. São sugestões como o Frango ao Curry Picante, uma receita típica da cozinha indiana que aqui é finalizada de uma forma inusitada: um pouco de manjericão colhido na horta, agregando um sabor surpreendente para esse prato. Ou então, o combinado de postas altas de Salmão grelhado acompanhado de emulsão de Maracujá, servido com Purê de Batata e Legumes. Simples, mas muito bom. E precisa de mais?

Na foto: filé de frango ao limão com ervas + arroz sírio + ratatouille

http://www.tanamesa.com.br

***

mendoa_01

O Blog de gastronomia Tudo al Dente também provou o panetone de brigadeiro da Mendoá. Criada em 2013, em Ilhéus, a empresa possui um laboratório de pesquisa onde são produzidas mais de 80 toneladas de chocolate por ano e alguns produtos sazonais: ovos de páscoa e panetones. Em São Paulo, a Mendoá está presente no St. Marche, Eataly, Santa Maria é Santa Luzia. delícia, gente. Corre para comprar.

http://mendoachocolates.com.br/

***

VANILLACARDAMOM

A Nespresso lança neste fim de ano três Variations: Vanilla Cardamomo, Ciocco Ginger e Vanilla Amaretti. As edições limitadas serão comercializada a partir do dia 9 de novembro com o preço de R$ 25,00 a embalagem com 10 unidades.

Estive no lançamento e aprendi a fazer um drink, o Festive Gin, que tem aroma de cardamomo [do Vanilla Cardamomo].

Ingredientes
40 ml do café Vanilla Cardamomo
25 ml de gim
1 rodela de limão siciliano
50 ml de tônica
20 ml de xarope de cardamomo (Monin, por exemplo)
20 g de pepino (2 palitos)

Preparo
Coloque o pepino e a rodela de limão no copo, adicione o xarope de cardamomo, o gelo, o o gim e a tônica. Em uma coqueteleira,coloque o café extraído e gelo e bata. Adicione o café gelado ao drinque.

http://www.nespresso.com.br

***

imagem_release_534599

A Escola Sorvete, que é uma escola especializada em cursos de gelados, com aulas ministradas pelo mestre Francisco Sant´Ana oferece cursos profissionalizantes que ensinam os alunos a criarem diversos tipos de sorvetes, como: picolés à base de leite e fruta, sorvetes de massa e gelatos; e confeitaria gelada, como glacées.

Para o verão 2016, a tendência são os sorvetes com nitrogênio e gelo seco. “A ideia é aproveitar o frio extremo do gelo seco e do nitrogênio líquido, explorando as texturas e as frutas da estação”, explica Francisco.  No decorrer da aula, as receitas à base de fruta, leite e chocolates serão criadas junto aos alunos. O primeiro curso à R$ 1.500/pessoa e acontece por dois dias, sendo 30/11 e 01/12, das 13h às 18h.

Escola Sorvete, Rua Apinajés, 1720, SP, Telefone: (11) 3862-1698

***

Fotos: Divulgação

Anúncios

“Mineira à la française”

bretagne france tourism

Por Maria Carolina Freire R. de Lima *

Quando criança eu era uma expert em piqueniques. Os fazia praticamente todos os dias. Tinha uma bicicleta Caloi modelo Ceci, daquelas com cestinha na frente, na cor rosa e lá ia eu depois da escola, sempre acompanhada de amigos e nossas respectivas lancheiras, por aí.

Nasci em Jacutinga, em Minas Gerais, cidade que hoje tem 23 mil habitantes, mas naquela época devia ter uns 15 mil, contando com a população rural, e, por isso, eu tinha muita liberdade.

Um dos ápices dos meus piqueniques era o caminho que fazíamos. Em uma das saídas de Jacutinga, em direção à cidade de Albertina, existia uma olaria cuja entrada se localizava em uma curva com certa declividade. Do lado de dentro do portão, que era aberto, ficava um cachorrão pretão “estilo Cérbero” (o cão guardião da porta do inferno) que não gostava de bicicletas.

Então, sempre quando chegávamos perto do portão pedalávamos com muita força as bicicletas e quando já na frente da entrada da tal olaria levantávamos as pernas enquanto o cachorro corria latindo nervoso ao nosso lado ou atrás da gente e a bicicleta descia o morro por seus próprios meios nos levando na garupa. Na volta, descíamos das bicicletas para empurrá-las a pé e o cachorro não se importava.

Eu adorava piqueniques por todos os motivos do mundo inclusive esse. Anos mais tarde descobri que quem entende mesmo de piqueniques são os franceses.

Outro dia, fui convidada a apresentar minha empresa de café aos alunos do curso de MBA da Audencia Nantes – École de Management, que fica na região francesa da Bretanha. A palestra aconteceu em São Paulo e depois de finalizada ganhei muitos presentes deles. A maioria foram produtos alimentícios produzidos em sua região.

Voltei para Jacutinga, coloquei todos os cadeaux sobre a mesa e me senti dentro de um piquenique francês. Caramelos, biscoitos amanteigados, confitures e vinho faziam parte do Menu. Fotografei-os todos e comecei uma degustação. Provei não apenas pelo paladar, mas tentando compreender o que os alunos de Nantes sentem quando comem. O que comemos e como comemos tem muito a dizer sobre nós. Então, quis decifrá-los devorando sua comida. Uma variedade moderna de canibalismo intelectual/social/glamoroso gastronômico.

Ainda quando criança, em Jacutinga, uma das minhas primas ganhou uma boneca alemã que falava alemão. Minha vida era tão restrita que essa foi a primeira vez que escutei outro idioma. Não tinha a menor ideia de que outras pessoas ao redor do mundo se comunicavam diferente de mim.

Anos depois estava na Champs-Elisées, em Paris, com um amigo jordaniano. Estávamos indo em direção a Galerie Laffaiette quando ele disparou a falar em francês me levando a reclamar: “Em inglês, Omar, não consigo entender francês tão bem!”, e ele retrucou: “Carol, algumas coisas só são ditas em francês.”

Rimos muito.

Hoje, continuo falando inglês muito melhor do que francês, mas vou mudar esse paradigma em minha vida.

E para começar vou comer outro caramelo francês. Oh-la-lá!

Maria Carolina Freire R. de Lima é empresária, cafeicultora e criadora da marca Café da Condessa.