Opção: volta ao mundo em torno de uma mesa

IMG_20160702_205049.jpg

A culinária fusion, que traz cozinha de várias partes do mundo, às vezes num único prato, não é novidade. Há quem faça bem. E também há quem erre. Gosto de pedir num restaurante uma entrada vietnamita, um prato principal com sotaque espanhol, e de sobremesa algo do receituário de Portugal. Isso não quer dizer que não goste de ir num restaurante em que se serve um único prato.

Outro dia descobri, na Liberdade, bem pertinho de casa, descobri por acaso o Hatiko Lamen, que serve somente lamen, o caldo japonês feito à base de shoyo, massa de arroz, alga e fatias de carne de porco. É o meu restaurante do momento, em São Paulo. Todos os amigos que vêm me visitar, acabo sugerindo um jantar no balcão da casa, que é simples, e aconchegante.

Mas enfim este post é para falar de casas que trazem um pouco de tudo em seus cardápios, realizando boa culinária e domínio das técnicas que fazem um bom restaurante.

IMG_20160702_224041.jpg

Vou citar como exemplo o Opção Trattoria, de Pinhal. Na minha última visita ao local, há algumas semanas, a entrada servida foi um creme de milho com linguiça, prato comfort food (desses que lembram pratos da infância e que nos remetem a gostos de casa, ou da infância), uma receita claramente inspirada na culinária caipira ou mineira.

Depois, no pequeno menu degustação da chef Ale Lourenço, estava uma massa recheada de ossobuco, prato delicado e de massa leve, como poucos sabem fazer. Pude sentir o gosto da farinha, do ovo, da carne do recheio, dos temperos… tudo na medida certa.

O prato principal foi um magret de canard, quase cru, com a pele dourada, como deve ser o prato. Veio com confiture de laranjinha kinkan, com sabores que remetiam ao pato assado com laranja, uma combinação agridoce bastante agradável, servido com arroz negro. A referência aqui era a francesa, num prato difícil de se fazer. Aliás, lembrei do restaurante La Tour d’Argent, que funciona desde 1890, e que serve somente pato!

O menu confiance da Ale Lourenço, ou seja, aquele em que o chef escolhe os pratos por você, terminou com um delicioso crème brûlée, feito com creme de leite, gema de ovo e baunilha, com a casquinha de açúcar maçaricado. Mais uma referência à gastronomia francesa.

opcao3.jpg

Tudo isso em meio a vinhos regionais da Serra da Mantiqueira, e, para finalizar, mais um bebida regional, o café da marca Exotic, produzido em Pinhal.

Num mesmo jantar, pude provar sabores distantes e ao mesmo tempo próximos do dia a dia da cidade. O jantar estava redondo!

Muitos restaurantes erram ao colocar no cardápio pratos dispares, a própria fusion cuisine às vezes é uma profusão de erros. Depois deste jantar no Opção, fiquei com a impressão de que um restaurante pode sim ter pratos de vários locais do mundo. Dizer que um chef especializado em comida italiana vai fazer bem apenas massa, é uma bobagem. Basta que os produtos sejam frescos e de qualidade e que a casa tenha um chef talentoso para interpretá-los. Aí é como se a gente viajasse para vários lugares do planeta em torno de uma mesa. A cozinha tem dessas maravilhas!

Serviço: R. Abelardo César, 152 – Centro, Espírito Santo do Pinhal – SP, tel.: (19) 3661-4646

http://www.opcaotrattoria.com.br/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s