Livro ‘Paris-Brest’: lançamentos agendados

paris_brest

Olá, amigos, está chegando a hora! O primeiro lançamento do meu livro ‘Paris-Brest’, acontece amanhã, na 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Seguem datas:

– Lançamento oficial no domingo (dia 28), na 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (auditório do COZINHANDO COM PALAVRAS), às 17h;

– Belo Horizonte, 1 de setembro, na Borracharia Gastropub;

– Tiradentes (MG), 3 de setembro, no Festival Cultura E Gastronomia De Tiradentes;

– São Paulo, na Livraria Cultura – Conj. Nacional – SP., em meados de setembro (data a confirmar);

– Pinhal, 8 de outubro, na Villa do Poeta.

Como aperitivo, publico o texto de orelha do escritor Humberto Werneck:

“Fosse um belo e saboroso prato, como tantos que Alexandre Staut tem criado, este livro mereceria uma fartura de estrelas nos guias da boa mesa. Pode até ser visto assim, aliás, consideradas várias receitas que você encontrará aqui. Paris-Brest é mais do que um repositório de felizes achados culinários. Tem entradas para todo tipo de leitor.

Ei-lo, para começar, em L’Aber Wrach, minúscula localidade à beira-mar na Bretanha, ainda cru em língua francesa, mas já pilotando o fogão do restaurante, Le Patio Gourmand. Audacioso, acrescenta às joias da gastronomia francesa a sua moqueca de peixe, por ele batizada Poisson à la Brésilienne.

Como indissociável tempero da narrativa, o autor nos apresenta fascinantes criaturas às quais se ligou por amizade, entre elas, a Myriam, a Monique, o Pierre, legítimos personagens de romance.

A essa altura, encontra espaço para ampliar vivências não exclusivamente culinárias, mas não menos picantes. É quando o vemos incursionando à vizinha Plounérin, cidadezinha aonde vai saciar outras modalidades de apetite.

Esgotada a experiência na Bretanha, Alexandre vai com mala e cuia para Tours, às margens do rio Loire. A terceira escala será Arromanches-les-Bains, na Normandia, onde haverá de arrematar sua proveitosa aventura em terras de França.

Antes de mergulhar nas delícias que ele nos serve nestas páginas, convém lembrar que Paris-Brest é nome de um clássico da pâtisserie francesa, uma bomba recheada de creme e coberta de frutas ou amêndoas. Excelente escolha de título para um livro não menos saboroso.”

 

Anúncios

Escritor e chef alemão Stevan Paul em noite de conto de fadas no Goethe-Institut São Paulo

GOETHE.jpg

O maître Adam adora sua profissão, apenas os clientes o aborrecem um pouco. Um crítico de restaurante segue sua intuição e comete um pequeno erro de grande impacto. Um blogueiro gastronômico não levá-la muito a sério e compra carne moída normal. A cozinheira de cantina Herta Klöpke se recusa a ser despedida e em uma noite ela cozinha especialmente bem no seu local de trabalho …

Com humor refinado e inteligente, Stevan Paul conta 15 histórias na viagem gastronômica na busca pelo moderno país das delícias. Esse local imaginário e saudoso pode não ter saído de um conto de fadas, pode simplesmente estar atrás do vestiário de uma antiga loja na então Berlim oriental, se passar em vários bosques da Suécia, na praia de Sylt, no fundo da internet, na cozinha de um hotel de montanha há muito fechado ou no fundo de um prato de sopa vazio. É claro que para cada história há uma receita adequada.

Nessa noite gastronômica e literária no Goethe-Institut Sao Paulo, o chef e escritor Stevan Paul irá apresentar 3 histórias emocionantes retiradas de seus livros “Schlaraffenland” e “Heute koche ich morgen brate ich: Märchenhafte Rezepte”, em português “País das delícias” e “Hoje eu cozinho, amanhã eu asso: receitas de contos de fada”. Deixe-se surpreender com o que virá! Stevan Paul não irá apenas ler: naturalmente experimentaremos as receitas das histórias apresentadas! O menu degustação será criado pelos amigos Daniela Narciso e Dan Rolim, que acabam de criar a Menu Content (empresa de consultoria múltipla na área da gastronomia).

Euzinho faço a moderação do bate-papo. Os ingressos estão esgotados, mas não custa ligar para o instituto e perguntar quando será o próximo evento nesses moldes.

Sobre Stevan Paul

Nasceu em 1969 em Ravensburg, no Lago de Constança, e vive há mais de 20 anos em Hamburgo. O chef de cozinha profissional e escritor de inúmeros livros de cozinha que se tornaram bestsellers, escreve textos de culinária e viagens gastronômicas como jornalista autônomo para revistas e outros veículos de comunicação.

Stevan Paul escreve o blog de gastronomia mais lido em países de língua alemã. www.nutriculinary.com http://www.stevanpaul.de Link para a Editora Mairisch: http://www.mairisch.de/programm/stevan-paul-schlaraffenland/

Serviço: Leitura gastronômica com Stevan Paul, Claudia Dornbusch e mediação de Alexandre Staut.  

Goethe-Institut São Paulo, Quinta-feira, 25.8.2016, às 19:00h, Rua Lisboa, 974 – Pinheiros – São Paulo Inscrições e reservas: biblioteca@saopaulo.goethe.org / 11-3296-7051

 

‘Ragu de rabada’ e ‘fettuccine artesanal com camarão’: duas receitas deliciosas para seu fim de semana

As receitas abaixo são da chef Ale Lourenço, do Opção Trattoria, de Espírito Santo do Pinhal (SP).

14034986_651056171717998_1818114507945270360_n

Ragu de rabada com banana da terra (rendimento 3 porções)

Ingredientes

500 g de rabada limpa

1,5 L de água

500 ml de caldo de legumes (modo de preparo na receita anterior)

Sal e pimenta o quanto baste

100 ml de vinho do porto

3 bananas da terra em fatias finas cortadas na horizontal

30 ml de azeite extra virgem

Agrião para decorar

Modo de preparo

Coloque a rabada para ferver, troque a água por no mínimo 3 vezes. Tempere a rabada com sal e pimenta a seu gosto, depois coloque na panela de pressão com o caldo de legumes por 40min ou até ficar bem macia. Escorra, desfie e faça um ragu. Em uma frigideira doure as bananas dos dois lados com azeite, recheie com o ragu, enrole e decore com agrião se preferir.

14079459_651055151718100_7175239598343134683_n.jpg

Fettuccine artesanal com camarão ao alho, rúcula e flor de sal (rendimento 5 porções)

Ingredientes

5 ovos inteiros

500 g de semolina

Sal o quando baste

25 camarões médios limpos

1 maço de pequeno de rúcula

5 dentes de alho picado

200 ml de azeite extra virgem

Flor de sal o quando baste

Modo de preparo para massa

Em um recipiente coloque os ovos, a semolina e o sal, amasse a mistura até que fique uma massa homogênea e elástica. Passe pelo cilindro até que fique bem fina (pode fazer isso por partes para que seja mais fácil), corte a massa em tiras finas e longas, polvilhe com semolina e reserve.

Modo de preparo para os camarões

Em uma frigideira grande coloque o azeite, acrescente os camarões já temperados e o alho até dourar. Cozinhe o fettuccine, escorra e junte com os camarões. Acrescente a rúcula e sirva imediatamente, finalize com flor de sal.

Serviço: Opção Trattoria, R. Abelardo César, 152 – Centro, Espírito Santo do Pinhal, tel.: (19) 3661-4646 http://www.opcaotrattoria.com/

Vinícola do Sul aposta em tradição

 

vinhosbertolini.JPG

A família Bertolini está produzindo um vinho que resgata a sua trajetória, marcada pelo empreendedorismo, união e tradição italiana.

Os vinhos Bertolini têm como filosofia a naturalidade no processo de elaboração, ou seja, com o mínimo de intervenção mecânica e a preferência por métodos naturais durante a fermentação e afinamento (folaturas, decantações, sem filtração – com exceção do Chardonnay). O mesmo vale para as correções de acidez, açúcar, feitas sem o aporte de produtos químicos, além do SO2.

Assim, inspirados na tradição europeia, mas com um gosto contemporâneo, expressam o terroir de uma nova região produtora no Brasil, que vem se destacando pelos excelentes resultados: a Encruzilhada do Sul. Cidade localizada na Serra do Sudeste do Rio Grande do Sul, onde a natureza revela-se com grande vocação para o cultivo de videiras nobres como a Teroldego, Nebbiolo, Merlot, Touriga Nacional e Chardonnay.

Seu clima, com dias quentes e secos, e noites frias, proporciona o amadurecimento completo das uvas. O solo franco-arenoso é bem drenado e com baixo teor de matéria orgânica. Neste ambiente naturalmente favorável são cultivadas as uvas das quais derivaram os vinhos da Bertolini.

Na primeira safra da Riserva Di Famiglia, dos anos de 2012 e 2014, foram elaborados quatro vinhos, em edição limitada. A produção tem a assinatura da enóloga Monica Rosseti. “Fizemos uma bela parceria com a família Bertolini, que traduz a paixão em comum que temos pelos vinhos e pela Itália, expressa em cada garrafa”, adianta a enóloga. Conheça a série especial Vinhos Bertolini:

Teroldego: o varietal Teroldego é representado pela bigorna, ferramenta símbolo não só da profissão, mas especialmente da solidez e da determinação que acompanham a história da família Bertolini. Destaca-se, neste vinho, a intensidade cromática e púrpura, convidando à degustação. Seus aromas acentuam notas de frutas pretas, principalmente a ameixa, além de descritores como couro, alcaçuz e café, revelando grande expressão varietal. O primeiro gole confirma a sua riqueza: corpo consistente, taninos maduros e generosos, com equilíbrio e elegância. Um vinho de caráter e persistência que se torna uma excelente companhia em muitos momentos.

Chardonnay: o varietal Chardonnay ganha representação pela ferramenta tenaz, instrumento de trabalho dominado com destreza pelo patriarca Francisco Bertolini, e que expressa a combinação entre força e sutileza – atributos que vingaram e ajudaram a construir uma emocionante história de ousadia e superação. Este vinho apresenta aromas elegantes de flores brancas, notas tropicais de abacaxi, melão, pera e toque mineral. Ao paladar, é envolvente, equilibrado, persistente e possui ótimo frescor.

Balança 2014 – Merlot 62,5% + Touriga Nacional 37,5%: na busca pelo equilíbrio perfeito, a Balança é a inspiração característica desse vinho, que cumpre o desafio de apresentar o justo percentual de cada uma das uvas. Combinadas, são o reflexo de uma composição em harmonia. Neste corte, a Touriga Nacional é fundamental para os descritores de aroma: rosas, jasmim, fruta silvestre, ameixa passa, dando intensidade e expressão ao vinho. A Merlot contribui para o volume e estrutura em boca, conferindo taninos elegantes e retrogosto frutado.

Cadinho 2014 – 41,7% Merlot + 33,3% Nebbiolo + 25% Touriga Nacional: da fusão de elementos, surge o novo. Esse vinho, representado pelo Cadinho, integra diferentes uvas, extraindo o que cada uma tem de melhor. Estas características são unidas, após um atento estudo enológico, convergindo em um sabor original, que apresenta novas sensações na degustação. Cada uva foi vinificada individualmente, permitindo a sua melhor expressão. Cada variedade evidencia características que aparecem perfeitamente integrada neste corte. O perfil aromático é composto por notas florais, frutadas e de ervas finas. Em boca, este vinho se apresenta equilibrado, com taninos firmes e bom volume, retrogosto agradável e prolongado.

Sobre a enóloga Monica Rosseti: inspirada pelo avô, começou seus estudos técnicos em Enologia aos 15 anos. Especializada na Itália, é enóloga e diretora técnica da mítica ‘Lídio Carraro’, tendo atuado na expansão da vinícola, que hoje emprega o conceito de boutique. Acumula experiência em diversos países e em 2012 enfrentou um dos desafios de maior peso de seu currículo: esteve à frente da elaboração do vinho licenciado oficial da Copa do Mundo Fifa 2014. A coleção Faces, desenvolvida pela Lídio Carraro, foi formada de três rótulos: um tinto, um branco e um rosé. Também alcançou projeção internacional ao desenvolver o projeto Animavitis, que consiste em um modelo de gestão moderno, mais econômico e preciso. Frequentemente é case em reportagens de veículos especializados brasileiros e estrangeiros.

 

Claude e Thomas Troisgros: três estrelas para carta de vinhos

claude_troisgros

O restaurante carioca Olympe, dos chefs Claude e Thomas Troisgros, entrou para o seleto grupo das melhores cartas de vinho do mundo pela prestigiada revista inglesa World of Fine Wines. É o único da cidade a obter 3 estrelas. Em 2016 apenas 8 restaurantes da America do Sul foram contemplados com 3 estrelas, entre eles o Central, do chef Virgilio Martinez. Assim como o Guia Michelin, a revista confere de uma a três estrelas a partir votos de um juri composto por enólogos e sommeliers de vários continentes.

Ao todo foram avaliados inicialmente cerca de 4 mil restaurantes em seis regiões: Asia, Australia, Europe, the Middle East & Africa, America do Norte e  America do Sul. A partir da deliberação do Juri chegaram na etapa final apenas 1 mil.

As cidades mais premiadas são Nova York com 46 restaurantes, seguida por Londres com 23 casas. Foram juízes da edição 2016 personalidades como o editor Neil Beckett da WFW, Elin McCoy colunista da Bloomberg News, o Ch’ng Poh Tiong colunista de vinhos do Lianhe Zaobao , maior jornal de circulação de Singapura, o Alder Yarrow colunista do site Jancis Robinson.com , o expert em champagne e autor da Sotheby’s Enciclopédia Tom Stevenson, entre outros.
 
Os chefs Claude e Thomas conferem o mérito ao sommelier  Alexander de Oliveira, uma das grandes promessas no mercado do vinho no Brasil. Morador da Baixada Fluminense, trabalha há 10 anos no grupo Troisgros Brasil , onde começou como cumin  e atualmente exerce a função de Sommelier Executivo da empresa.

Chefs especiais, dez anos!

_SNC2476.jpg

Imagine participar de uma experiência inusitada, divertida e saborosa e ainda fazer o bem? Este é o projeto “Chefs Especiais 10 anos”. Para comemorar, serão realizados eventos beneficentes em que os grandes anfitriões serão os Chefs Especiais, recepcionando e interagindo com os convidados.

O Instituto insere jovens com Síndrome de Down na sociedade por meio da gastronomia, realiza um trabalho que muda a vida de pessoas especiais, mostrando um novo mundo e ampliando os horizontes de cada um deles.

Vendas no site da Foodpass à partir de 05/07; parte da renda será revertida para o Instituto. Faça o bem! Participe!
Anote na agenda:
04/08 – Jantar Secreto
23/08 – Banquetes de Cinema
#foodpass #tánamesa #chefsespeciais #ChefsEspeciais10anos #jantares #beneficentes #experiências #gastronomicas