“Junta Local”: feira gastronômica “do bem” na Barra da Tijuca

11391192_830124143690988_5350796405116662698_n

“Comida boa não tem rótulos. Somos plurais e juntamos diferentes perfis de produtores e propostas em relação à comida. Nossas feiras são a plataforma para muitos expandirem seus horizontes, experimentarem novos sabores e celebrar uma nova relação com a comida.” Assim se apresenta o projeto Junta Local em seu site.

A feira acontece na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, nos dias 21 e 22 de abril, reunindo um coletivo de pequenos produtores, onde é possível conhecer produtores que fazem parte da plataforma de aproximação e mudança do sistema alimentar proposta pelo projeto (http://www.juntalocal.com), originado em agosto de 2014 em Botafogo.

10127_img1

Veja abaixo alguns dos produtores que estarão na feira:

2cabeças: marca cervejeira criada por Bernardo, um dos principais agitadores da cena cervejeira carioca. A 2cabeças surgiu no final de 2011 por iniciativa de cervejeiros caseiros cariocas que, sem muitas pretensões, lançaram um lote de Hi5 Black IPA feita numa panela em casa. A cerveja ganhou destaque e junto com os sócios Salo Maldonado e Maíra Kimura, Bernardo resolveu levar o negócio adiante.

Cafezal em flor: O sítio produtor está situado a 950m de altitude, na Serra da Mantiqueira, com ótima estação chuvosa no período de florada e enchimento dos grãos e um período seco no final da maturação dos grãos. Noites frias e dias quentes e secos produzem excepcional condição de colheita e pós-colheita, fatores fundamentais para a qualidade do café.

Brasil Pimentas: Denise, a produtora da marca situada na região dos lagos, no estado do RJ, anda com uma maleta de conteúdo explosivo. No seu interior, pimentas de variedade de aromas e sabores. Denise é uma espécie de missionária das pimentas e faz questão de que todo mundo prove nem que seja algumas gotinhas delas. Uma das pioneiras a plantar e produzir pimentas fortíssimas no Brasil, ela cuida de todas as etapas, do plantio até a produção de conservas e molhos. Na Junta está com suas “pimentinhas”, que têm nomes sugestivos como Infinity Chili, Barrackapore, e Carolina Reaper.

Fazenda Marinha Vieiras da Ilha: Um time multidisciplinar de biólogos marinhos e empreendedores estão oxigenando as águas da baía de Ilha Grande com sua fazenda de vieiras nativas. Os franceses chamam essas pérolas carnudas de coquille saint jacques. Na Junta Local elas são as vieiras da Ilha (foto acima).

Tribo japa: O japonês Masanobu Fukuoka faz pratos com agricultura sem fertilizantes ou agrotóxicos (foto abaixo de um dos seus pratos).

10348_img1

 

Rancho das Vertentes: O capril foi criado em setembro de 2014 em Barbacena-MG por Edson Cardoso, Eloisio Francisco e suas respectivas esposas Sandra Canton Cardoso e Rosangela Canton Francisco, com foco em produção e venda de leite de cabra. A construção do capril é rústica e se utiliza de materiais ecologicamente corretos e que concedem conforto aos animais.

Serviço: Cidade das Artes, 21 2 22 de abril, das 11h às 19h, Av. das Américas, 5300, Barra da Tijuca, tel.:  (21) 3325-0102. Grátis.

Anúncios

Salve o Alimento! Brasil participa de campanha contra desperdício

naom_5a43c455464c0-321-424

No 10º lugar no ranking dos países que mais desperdiçam alimentos, o Brasil não ficará de fora da Campanha Stop Food Waste Day – Salve o Alimento!. Com o dia D marcado para 27 de abril, mais de 10 países, entre eles Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, França, Alemanha, Espanha, Turquia, Japão e Austrália, terão ações que visam diminuir o desperdício de alimentos e mostrar a importância do aproveitamento completo em receitas saudáveis e sustentáveis. A campanha visa causar impacto social e ambiental para ajudar a melhorar a posição do Brasil no ranking. A meta global é reduzir 50% do desperdício até 2030.

De acordo com dados da FAO Brasil – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, 28% dos alimentos se perdem no processo de produção agrícola e mais 28% são jogados no lixo após chegarem às casas dos consumidores. No mundo, cerca de 1,3 bilhão de toneladas de comida são descartadas por ano, enquanto quase 800 milhões de pessoas passam fome.

A embaixadora da campanha no Brasil é a Dra. Valéria Paschoal, Nutricionista e Diretora da VP – Centro de Nutrição Funcional, que também é coordenadora e professora de diversos cursos de nutrição funcional em várias cidades, e autora de livros sobre o assunto. Quem acessar o site, terá disponíveis  receitas de alimentos funcionais no site www.stopfoodwasteday.com.br , que ensinam como usar o alimento em sua totalidade, além de dicas para o aproveitamento de cascas e talos.

A campanha é promovida pelo Grupo Compass, líder mundial em serviços de alimentação e suporte do mundo, com atuação em mais de 55 países, e no Brasil acontecerá por meio da GRSA |Compass, que é responsável pela alimentação diária de mais de dois milhões de pessoas em todo o País.  Como parte da ação, a empresa oferecerá a seus clientes o Teaching & Kitchen que, a partir do dia 27 de abril, dará aulas sobre como evitar o desperdício no dia a dia, com receitas que utilizam alimentos em sua totalidade como, por exemplo, talos e cascas, que seriam considerados sobras.

O Grupo Compass é líder mundial em serviços de alimentação e suporte. Fundado em 1941, tem filiais em mais de 50 países. No Brasil, adquiriu 50% da GRSA em 1998 e os outros 50% em 2008, sendo atualmente detentor da totalidade da empresa, que também é líder no segmento no País. Além de serviços de alimentação coletiva, a GRSA no Brasil também oferece serviços de suporte, como portaria, jardinagem e limpeza. A empresa atende atualmente com mais de 35 mil colaboradores de empresas de diversos segmentos, como Azul, TAM, Gol, Hospital Sírio Libanês, Hospital Bandeirantes, Nestlé, Coca-Cola, Camil, Google, Facebook, Unilever, SulAmérica, Vale do Rio Doce, entre outros.

Sobre a Stop Food Waste Day Brasil – Salve o Alimento!

A campanha está em seu segundo ano em âmbito global e é o primeiro que vem ao Brasil. Em 2017, Estados Unidos, Inglaterra e Austrália promoveram ações com o objetivo de educar e potencializar a mudança em relação ao desperdício que impacta o mundo. Por meio do SFWD, o Compass Group quer chamar a atenção para o problema, criar e compartilhar soluções criativas e impactantes.

Site mundial: www.stopfoodwasteday.com

Site Brasil: www.stopfoodwasteday.com.br

Qual a melhor caipiroska do Brasil?

Botequim carioca

Após percorrer todo o território nacional provando as mais diferentes receitas de caipiroska, a vodka Smirnoff promove evento no dia 15 de abril, na Vila Butantan (R. Lemos Monteiro, 206), em São Paulo, para premiar a melhor receita desse drink amado pelos brasileiros. O evento tão esperado marca o encerramento da competição que começou em novembro de 2017 e contou com 4 mil bares inscritos na primeira fase.

O voto do público foi responsável por escolher 200 finalistas, anunciados em janeiro, que foram avaliados por um júri especializado nos meses seguintes. A nota dos especialistas somada à opinião popular resultou na eleição de 12 bares, que estarão presentes na premiação servindo suas criações pelo preço fixo de R$10,00.

Entre os 12 bares, destacam-se casas da Grande São Paulo, como o bar Estrela da Matriz, da capital, com sua receita de caju e limão siciliano; a MeiMe Pizzaria, também da capital, com sua criação a base de tangerina, maracujá e manjericão; o Botequim Carioca (foto), de Santo André, com sua caipiroska de banana com limão e canela; o Boteco Adoniran, de São Bernardo do Campo, com sua versão que leva limão siciliano, açúcar, melaço de cana e gelo de garapa de cana. Já no interior de São Paulo, continuam no páreo o Senhor Boteco, de Jaboticabal, com sua caipiroska de abacaxi, manjericão, gengibre, açúcar orgânico e picolé de tangerina; o Bar do Haules, de Jundiaí, com seu drink de rúcula e limão; e o Bar do Maurélio, em Barra Bonita, com uma tradicional feita com limão e açúcar. No litoral do mesmo estado, o Esquina do Chopp, em Santos, segue na disputa com sua caipiroska que leva abacaxi, tangerina, maracujá, physalis e gengibre; e, na mesma cidade, também participa o Original Co. Burger, cuja criação é feita a partir de limão siciliano e cereja marasquino.

Ainda entre os finalistas, está o Tribus Bar, de Balneário Camboriú (SC), com versão feita com limão, morango, abacaxi e kiwi; o Deck Bar, em Londrina (PR), com garapa e limão rosa; e o Baco, em Maringá (PR), com limão siciliano, limão tahiti e xarope de rapadura.

Criado por apaixonados pela caipiroska e para os amantes desse drink que é paixão nacional, o evento é aberto ao público e contará com apresentação do grupo de samba Reduto e também do Dj Rico Capeleiro. Além de ter a chance de provar as criações dos finalistas, quem estiver por lá ainda encontrará comidinhas de foodtrucks.

O grande vencedor será anunciado por Álvaro Garcia, Diretor de Marketing da Diageo PUB e leva para casa o troféu da Melhor Caipiroska do Brasil – Smirnoff 2018.

A Smirnoff foi fundada em 1864 por Piotr Arseneevich (P.A.) Smirnov, que, em pouco tempo, se tornou um dos mais famosos fabricantes de vodka da Rússia e Fornecedor da Corte Imperial. Quando os Bolcheviques assumiram o poder, as destilarias foram fechadas, e o filho de P.A., Vladimir, acabou expulso do país, indo se refugiar na França, onde passou a vender vodka com o nome “Smirnoff”, que deu nova vida à marca.

Emiliano e Fôrno: novos cardápios

Risotto2 copy

O novo cardápio do restaurante Emiliano é inspirado nas experiências gastronômicas do chef Andrea Montella por diversas cidades em que trabalhou. Traz experiências italianas com o melhor de todas as partes do Brasil e do mundo. Os amantes do mar terão difícil escolha entre Robalo em molho acqua pazza com mini legumes, peixe do nosso litoral e a Merluza negra com gnocchi de batata viola, brócolis, molho de limão e alcaparras, um peixe de água fria que vem diretamente do Chile, muito saborosa e delicada, o azedo da alcaparra combina muito bem com a gordura do peixe. O risoto da foto é feito com o arroz Acquerello, um dos melhores da Itália, é um arroz carnaroli envelhecido pelo menos um ano e produzido na Tenuta Colombara, Piemonte na plana de Vercelli. O chef o apresenta nas versões com beterraba orgânica assada e gorgonzola; com abóbora caramelizada, alho poró, camarões e essência de trufas.

*

image002

Inaugurado no ano passado, o também paulistano Fôrno acaba de renovar seu cardápio. Localizado no centro de São Paulo e dos mesmos sócios do Holy Burger, a casa apresenta 12 novidades em seu menu casual, sendo quatro sanduíches, duas entradas, três pizzas, duas schiacciata e uma nova sobremesa. O novo cardápio traz Cracker (R$ 26) – massa de pizza acompanhada de caponata ao forno com queijo Scamorza gratinado; Mozzarella in Carozza (R$ 30) – mussarela de búfala empanada, molho de tomate da casa, Grana Padano e pão; e pizzas como a Pepperoni (R$ 30) – Molho de tomate da casa, peperoni, Scamorza e pimentão (foto).

 

“Fartura – Comidas do Brasil” lança calendário com festivais gastronômicos em SP, BH, Tiradentes, Brasília, Porto Alegre, Fortaleza, Belém e Lisboa

Mônica-Rangel-Gosto-com-Gosto-Foto-Divulgação-3-770x536

Desde 2012, a plataforma Fartura – Comidas do Brasil percorre o país pesquisando a origem dos ingredientes e seu caminho até a mesa por meio da Expedição Fartura, que já visitou os 26 estados brasileiros e Distrito Federal. Todo o conhecimento adquirido é transformado em conteúdo e disponibilizado no site e redes sociais, livros, programas de rádio e em projetos customizados. Os Festivais Fartura, principal produto da plataforma, levam esse conteúdo pesquisado ao público em forma de experiência.

Sempre com o tema “Comidas do Brasil – da origem ao prato”, os Festivais Fartura – Comidas do Brasil agora acontecem em todas as regiões do país – do Sul ao Norte – com o lançamento do calendário 2018 em Porto Alegre, nos dias 5 e 6 de maio. Segue para Brasília (junho); São Paulo (agosto); Tiradentes (agosto), Belo Horizonte – nas versões tradicional e Kids (setembro); Fortaleza (novembro) e Belém (janeiro/19). A plataforma também expandiu suas fronteiras e foi atrás de suas origens, em Portugal. Em outubro, acontece a segunda edição do Festival Fartura – Comidas do Brasil Lisboa.

“A gastronomia tem um poder transformador não só no aspecto cultural, mas também econômico no Brasil. Em 2016, a indústria da alimentação faturou 614,3 bilhões de reais e recebeu um investimento de mais de 20 bilhões. Gerou 1,6 milhões de empregos diretos. Em 2017, depois de dois anos de recessão, a economia do Brasil voltou a crescer e  boa parte veio do campo, já que o PIB da agropecuária aumentou 13% em 2017. A safra agrícola bateu recorde com de grãos – 240 milhões de toneladas, 29,5% a mais que 2016. Esses números só exemplificam uma parte da grandiosidade do setor. O prato é o ponto final dessa cadeia e o consumidor – seja um restaurante ou o consumo doméstico – precisa entender o que está por trás de uma refeição. Só assim vamos dar mais importância ao que comemos”, explica Rodrigo Ferraz, diretor da Plataforma Fartura – Comidas do Brasil, que recebeu o prêmio de Inovação em Turismo, do Second Runner-up – United Nation World Tourism Organization.

Serviço: www.farturabrasil.com.br

Na foto, a chef Monica Rangel, do Gosto com Gosto, de Visconde de Mauá (RJ).