“Junta Local”: feira gastronômica “do bem” na Barra da Tijuca

11391192_830124143690988_5350796405116662698_n

“Comida boa não tem rótulos. Somos plurais e juntamos diferentes perfis de produtores e propostas em relação à comida. Nossas feiras são a plataforma para muitos expandirem seus horizontes, experimentarem novos sabores e celebrar uma nova relação com a comida.” Assim se apresenta o projeto Junta Local em seu site.

A feira acontece na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, nos dias 21 e 22 de abril, reunindo um coletivo de pequenos produtores, onde é possível conhecer produtores que fazem parte da plataforma de aproximação e mudança do sistema alimentar proposta pelo projeto (http://www.juntalocal.com), originado em agosto de 2014 em Botafogo.

10127_img1

Veja abaixo alguns dos produtores que estarão na feira:

2cabeças: marca cervejeira criada por Bernardo, um dos principais agitadores da cena cervejeira carioca. A 2cabeças surgiu no final de 2011 por iniciativa de cervejeiros caseiros cariocas que, sem muitas pretensões, lançaram um lote de Hi5 Black IPA feita numa panela em casa. A cerveja ganhou destaque e junto com os sócios Salo Maldonado e Maíra Kimura, Bernardo resolveu levar o negócio adiante.

Cafezal em flor: O sítio produtor está situado a 950m de altitude, na Serra da Mantiqueira, com ótima estação chuvosa no período de florada e enchimento dos grãos e um período seco no final da maturação dos grãos. Noites frias e dias quentes e secos produzem excepcional condição de colheita e pós-colheita, fatores fundamentais para a qualidade do café.

Brasil Pimentas: Denise, a produtora da marca situada na região dos lagos, no estado do RJ, anda com uma maleta de conteúdo explosivo. No seu interior, pimentas de variedade de aromas e sabores. Denise é uma espécie de missionária das pimentas e faz questão de que todo mundo prove nem que seja algumas gotinhas delas. Uma das pioneiras a plantar e produzir pimentas fortíssimas no Brasil, ela cuida de todas as etapas, do plantio até a produção de conservas e molhos. Na Junta está com suas “pimentinhas”, que têm nomes sugestivos como Infinity Chili, Barrackapore, e Carolina Reaper.

Fazenda Marinha Vieiras da Ilha: Um time multidisciplinar de biólogos marinhos e empreendedores estão oxigenando as águas da baía de Ilha Grande com sua fazenda de vieiras nativas. Os franceses chamam essas pérolas carnudas de coquille saint jacques. Na Junta Local elas são as vieiras da Ilha (foto acima).

Tribo japa: O japonês Masanobu Fukuoka faz pratos com agricultura sem fertilizantes ou agrotóxicos (foto abaixo de um dos seus pratos).

10348_img1

 

Rancho das Vertentes: O capril foi criado em setembro de 2014 em Barbacena-MG por Edson Cardoso, Eloisio Francisco e suas respectivas esposas Sandra Canton Cardoso e Rosangela Canton Francisco, com foco em produção e venda de leite de cabra. A construção do capril é rústica e se utiliza de materiais ecologicamente corretos e que concedem conforto aos animais.

Serviço: Cidade das Artes, 21 2 22 de abril, das 11h às 19h, Av. das Américas, 5300, Barra da Tijuca, tel.:  (21) 3325-0102. Grátis.

Anúncios

Sete feijoadas para comer no Rio de Janeiro

Academia da Cachaça - Feijoada 1 - Berg Silva.jpg

O Carnaval acabou, mas o verão continua aí, e ainda tem Olimpíadas este ano. Prato mais do que clássico da Cidade Maravilhosa, a feijoada é servida em cada esquina. Selecionamentos ótimas dicas para quem está no Rio, ou pretende passar por lá em breve.  

Academia da Cachaça – Preparada com carnes nobres como charque, paio, linguiça fina, lombo e costelinha vem com uma dose de cachaça, mel e limão para acompanhar. Além disso, o prato ainda chega com arroz branco, couve refogada e farofa (R$ 88,90 para duas pessoas) – foto acima.

Aconchego Carioca_bolinho de feijoada_crédito Berg Silva.jpg

Aconchego Carioca – De autoria da chef Kátia Barbosa, o bolinho de feijoada é uma das mais famosas criações do Aconchego Carioca. Por lá, o petisco que é a cara do samba ainda vem acompanhado de torresmo e de uma batidinha de limão (R$ 28,80 – 4 unidades).

Botequim Informal - Feijoada - Foto Rodrigo Castro - 01 - Imprensa.jpg

Botequim Informal – Em todas as filiais da rede, o prato chega completo, em caldeirões de barro individuais e serve duas pessoas. Leva paio, carne-seca, toucinho, tudo no caldeirão de feijão (R$ 71,50 – duas pessoas). Para completar o ritual, torresmo, arroz branco, farofa e malagueta, laranja-bahia ou seleta.

Cota 20 Restaurante_Feijoada_Credito Tomas Rangel (3)_resize.jpg

Cota 200 Restaurante – Localizado no Morro da Urca, o Cota 200 Restaurante apresenta uma grande novidade. Todo sábado o restaurante oferece uma feijoada, de 12h às 16h. O bufê inclui ainda sobremesas diversas com doces típicos brasileiros. Reservas: 2543-8200 ou www.cota200restaurante.com.br (R$74,90). Entrada para o Bondinho gratuita e exclusiva mediante a reserva.

Garden_Feijoada do Rio_foto Rodrigo Azevedo.jpg

 Garden – A tradicional feijoada do local acontece aos sábados de 12h às 18h. Um bufet de feijoada completa  com tem arroz, farofa, couve mineira, torresmo, linguicinha frita e laranja. Outra novidade para esse período é uma carta só de caipirinhas, que podem ser feitas com cachaça Salina (R$ 16,50), Lua Nova (R$ 16,50) e Ypioca (R$ 14,50). As opções de sabor são limão, lima da pérsia, morango, maracujá, abacaxi, uva, caju, tangerina, tangerina com gengibre, kiwi e melancia.

Naturalie Bistrô_ feijoada veggie _Alexander Landau_DSC6625 (9).jpg

Naturalie Bistrô – Para quem é fã de feijoada, mas prefere uma receita mais leve e saudável, a chef Nathalie Passos aposta em uma versão sem glúten e sem lactose. A feijoada veggie, conhecida por ser um dos pratos carros-chefes da casa, é feita com feijão com abóbora, tofu defumado, arroz integral com linhaça, couve e farofa de cenoura (R$ 29,90).

Nanquim_Feijoada_foto Rodrigo Azevedo (4).jpg

Nanquim – O cardápio é alterado diariamente e possui bufê de frios, com saladas, pratos quentes e sobremesas. Toda sexta-feira e sábado, além do cardápio usual, é servido uma feijoada só com carnes magras, acompanhada por batidinhas de limão por conta da casa. (R$91,30 o quilo).

Serviços:

 Academia da Cachaça Leblon – Rua Conde Bernadote, 26/ lojas E, F e G. Tel.: 2529-2680/ 2239-1542. Capacidade: 180 lugares. Domingo a quarta das 12h à 01h; Quinta a sábado das 12h às 02h.

Aconchego Carioca – Rua Barão de Iguatemi, 379, Praça da Bandeira – Rio de Janeiro. Capacidade: 86 lugares. Tel: 2273- 1035. Terça a sábado, 12h às 23h; domingo, 12h às 17h.

Botequim Informal Niterói: Avenida Quintino Bocayuva 151, lojas 103, 104 e 105, São Francisco, Niterói. Tel.: 2610-3031 (144 lugares). Horário de funcionamento: Segunda a quinta, 12h até 1h. Sexta e sábado de 12h até 3h, e domingo 12h até 1h.  Botequim Informal Barra (NYCC) – Av. Américas 5000 / lojas 119 e 120, Barra da tijuca. Tel.: 21 2408-3105. 200 lugares. Todos os dias a partir das 12h até o último cliente.

Cota 200 Restaurante – Av. Pasteur, 520, Urca – Rio de Janeiro. Tel: 2543-8200. Segunda e terça das 12h às 19h. Quarta, quinta, sexta, sábado e domingo das 12h à meia noite.

Garden – Rua Visconde de Pirajá, 631, loja B, Ipanema, Cep: 22410 001. Tel: 2259-3455. Capacidade: 100 lugares. Horário: De seg. a sáb., das 12h às 1h, dom., das 12h às 18h Cc.: Mastercard, Dinners e Visa. Manobrista. www.gardenrestaurante.com.br

 Nanquim Flamengo – Rua do Pinheiro, n°10 – Flamengo. Tel: (21) 2556-5119 (160 lugares). Segunda à sexta de 12h às 15h30; sábados, domingos e feriados de 12h às 16h. Cc: todos. Cd: todos. www.restaurantenanquim.com.br

Naturalie Bistrô – Rua Visconde de Caravelas, 11 – Botafogo. Tel.: 2537-7443. Número de lugares: 80. Horário de funcionamento: De segunda a sábado das 11h30 às 16h. Sábado e domingo de 12h às 17h. Cartões de crédito: todos. Cartões de débito: todos.www.naturaliebistro.com.br

Fotos: divulgação

 

Rio de Janeiro português

Rancho Português_arroz de pato2_crédito Marcelo Cabral.jpg

Na minha viagem ao Rio, no fim de ano, aproveitei para conhecer mesas do Rio de Janeiro português. Elas são muitas, e todas caprichadas. Bem em frente à Lagoa Rodrigo de Freitas, ao entrar no Rancho Português, a sensação é de ter cruzado fronteiras e desembarcado em Portugal. Inaugurado em 2014, o Rancho é um legítimo reduto lusitano na Zona Sul.

Na seleção de entradas, destacam-se o polvo à provençal (R$ 69) e a porção de leves e sequinhos bolinhos de bacalhau (R$ 26,90). Pedi os dois. Nos pratos principais, há um capítulo inteiro dedicado ao bacalhau, em porção para duas pessoas. São 15 opções. Pedi o carros-chefe, Bacalhau a Lagareiro (posta de bacalhau assada com cebola, batatas assadas, brócolis, pimentão, alho, salsinha e azeitonas com caroço; R$ 205). Há ainda o Narciso (em postas, assado na brasa, puxado no azeite, alho, cebola, salsinha e pimentão, acompanhado de batatas ao murro; R$ 205).

Rancho Português_Sobremesas Tradicionais Portugueses_crédito Marcelo Cabral.jpg

No capítulo de sobremesas, além dos doces conventuais (R$ 18,90), incluindo o exótico Pudim do Abade de Priscos (que leva com toucinho e vinho do Porto), há rabanadas ao vinho do Porto (R$ R$ 16,80), arroz doce (R$ 16,80) e outros. O destaque fica para o doce Natas do Céu (R$ 18,90), composto por camadas de ovos moles, creme de claras e farofinha de biscoito. De segunda a sexta, no almoço, é servido menu executivo com entrada e prato principal (R$ 52).

A adega é 100% portuguesa, com 210 rótulos das mais famosas regiões do país, indo dos Vinhos Verdes aos encorpados do Douro e do Alentejo, passando pelos fortificados Madeira e Porto. E, como não poderia deixar de ser, a carta de bebidas inclui as típicas Ginginha, Macieira e Bagaceira Neto Costa. Rancho Português – Rua Maria Quitéria 136, Ipanema, tel.: (21) 2287-0335

Garden_Ambiente03_credito Rodrigo Azevedo.jpg

O Garden [foto acima] é um dos mais tradicionais restaurantes da cidade. Funciona em Ipanema desde 1955. Típico restaurante de bairro, oferece ambiente acolhedor e serviço atencioso, com garçons que conhecem os clientes pelos nomes e sabem suas preferências, além de ser uma das poucas casas da cidade que ainda tem maître para receber as pessoas na porta e acomodá-las no amplo salão.

Com cardápio de comida variada, serve receitas clássicas com toques contemporâneos, com sugestões de entradas, saladas, frutos do mar, massas e carnes.

Garden_medalhao de mignon ao camembert com maça caramelada e batata frita_credito rodrigo azevedo02.jpg

Outra característica marcante do Garden é ser um restaurante que oferece festivais temáticos ao longo do ano, com pratos especiais a preços promocionais. Fui à casa para provar pratos do Festival de Bacalhau, que aconteceu no fim do ano, com uma dezena de bacalhau. Provei a moqueca com o peixe, que estava deliciosa. Minhas fotos ficaram meio ruins, então posto aqui uma do salão e outra do medalhão grelhado com maçãs [acima]. Anote este restaurante na sua agenda, certo? Garden – Rua Visconde de Pirajá, 631, loja B, Ipanema, tel.: (21) 2259-3455.

Assemblage- Souflê de Bacalhau 2- Foto Bruno de Lima .jpg

Uma mescla de carros-chefes das gastronomias brasileira, italiana, francesa portuguesa e espanhola é o ponto alto do Assemblage, casa recém inaugurada na avenida Ministro Ivan Lins, na Barra da Tijuca.

Entre as entradas, pedi o souflé de bacalhau [foto acima]. Nos pratos principais, vá no bacalhau assemblage, servido desfiado, com batata palha, ovos, azeitona e alho poró ou no arroz de pato, um belo exemplar da gastronomia portuguesa. nas sobremesas, vá de mil folhas com frutas vermelhas.

Assemblage_Mil Folhas _Foto Bruno de Lima 2

 

Neta de portugueses, a proprietária da casa, Patricia Azevedo, sempre teve na cozinha o seu ponto de referência em casa. Cresceu vendo a avó cozinhar, sentindo o cheiro e aromas dos refogados que sempre se tornavam deliciosas receitas. Assim, a casa traz receitas lusitanas originais e muito boas, criadas por ela, e por André Vasconcelos, restaurateur ao lado de Patrícia. Assemblage – Avenida Ministro Ivan Lins, 270 – Barra da Tijuca, tel.: (21) 3624-5014.

Fotos: divulgação