“Chef Convida”, novo projeto de gastronomia do Sesc 24 de maio

maxresdefault

Nos dias 19 e 20/5, o cardápio da Comedoria do Sesc 24 de Maio recebe influência do chef Rodrigo Oliveira, em diversas preparações: salada, prato principal, acompanhamento e sobremesa. A ação faz parte do projeto “Chef Convida”, que tem estreia na Virada Cultural.

Fruto de um trabalho conjunto com a equipe de alimentação da unidade, o chef sugere alguns pratos para serem servidos aos públicos durante a Virada Cultural, nos cardápios das cafeterias do Jardim da Piscina e Foyer do Teatro, de sábado para domingo, das 18h às 4h.

A participação se estende após a madrugada: no domingo, 20/5, das 12h às 15h30, Oliveira influencia o menu do restaurante, durante o período do almoço, e interage com os públicos na Comedoria. Por fim, às 16h30 inicia um bate-papo com a temática “Inovação e Tradição na Cozinha Brasileira”, livre e aberto para pessoas interessadas.

No comando do restaurante Mocotó desde 2004, o paulistano Rodrigo Oliveira estagiou com grandes chefs da cidade. Para conhecer melhor as origens da sua cozinha, visitou restaurantes, mercados e feiras livres do Nordeste. E acredita que “a receita para manter uma casa por tanto tempo tem dois ingredientes: boa comida e hospitalidade”.

Sobre o Projeto Chef Convida
Pensado para aproximar os públicos do Sesc com formas de culinária e alimentação, o projeto Chef Convida pretende trazer mensalmente nomes que influenciam os universos gastronômico, sempre priorizando referências regionais e culturais. Preparações são pensadas em conjunto com a equipe de alimentação da unidade e adaptadas para a Comedoria do Sesc 24 de Maio, com interação entre chefs e os públicos, seguidas por bate-papos.

 Serviço:

Chef Convida: Rodrigo Oliveira, 19 a 20/5, 18h às 04h – preparações nas cafeterias; 20/5, 12h30 às 15h30 – interação com os públicos na comedoria; 20/5, 16h30 – bate-papo “Inovação e Tradição na Cozinha Brasileira” – Comedoria (2º andar) – interação com os públicos e Jardim da Piscina (11º andar) bate-papo

Anúncios

“Pizza al taglio” ao estilo romano, em Pinheiros

Da Mooca Pizza Shop_Pizza Veggie_Wellington Nemeth (1).JPG

Uma de minhas melhores lembranças de Roma é me encostar num balcão, depois de um dia inteiro de caminhada e pedir uma pizza al taglio, que, dizem, foi inventada Roma. Essa pizza costuma ser retangular, é preparada em forno à lenha e é exposta em vitrines. O freguês chega, encosta no balcão e escolhe um “taglio” de cada sabor e depois sai pelas ruas da cidade. Quem me apresentou algumas portinhas famosas dessa pizza foi a jornalista de gastronomia Leticia Rocha, em 2014.

Da Mooca Pizza Shop_Pizza Napolitana_Wellington Nemeth (4).JPG

Para meu deleite, na semana passada fui conhecer o Da Mooca Pizza Shop, recém-inaugurada em Pinheiros, SP, por Fellipe Zanuto. Diversos sabores ficam expostos numa vitrine logo à entrada, em assadeiras. Há margherita; napolitana; uma de calabresa à moda do Bronx (com mussarela, linguiça apimentada diavoletti, alho-poró e manjericão); a vegana, que vem com alho, funghi, alcachofra e berinjela; a de alcachofra, que é coberta com mussarela, linguiça e manjericão; uma de polpetinhas de carne, com queijo grana padano, manjericão e alho; e a minha preferida, de batata em rodelas com queijo cacciocavalo e alecrim… além de uma doce, de Nutella. Nas sobremesas, há também cannolis muito bons, como este da foto.

Wellington Nemeth - Fotografo

As massas sao as melhores que provei nos últimos tempos. São crocantes na medida certa. Reguei diversos pedaços com o azeite (bom) da casa e passei uma noite feliz.  As massas descansam por 48 horas, conforme me disse Fellipe. Isso a deixa leve. Como é fermentada antes de ir ao forno, não fermenta na barriga. O parceiro de Fellipe na empreitada é Derek Wagner, que já trabalhou em grandes marcas de foodservice, como o Starbucks.

Da Mooca Pizza Shop_Cannoli_Wellington Nemeth (5).JPG

O ambiente é agradável. Há ali um mercadinho onde é possível comprar desde farinha de trigo importada, queijos e embutidos, até instrumentos para fazer pizza no forno à lenha em casa.    

Serviço:

R. Fradique Coutinho, 154, Pinheiros Tel.: (11) 3062-0422. Horário de funcionamento: 10h/23h (dom., 16h/23h). As fatias são cortadas no tamanho desejado e cobradas pelo peso, de R$ 6 a R$ 14 por 100g.

“Junta Local”: feira gastronômica “do bem” na Barra da Tijuca

11391192_830124143690988_5350796405116662698_n

“Comida boa não tem rótulos. Somos plurais e juntamos diferentes perfis de produtores e propostas em relação à comida. Nossas feiras são a plataforma para muitos expandirem seus horizontes, experimentarem novos sabores e celebrar uma nova relação com a comida.” Assim se apresenta o projeto Junta Local em seu site.

A feira acontece na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, nos dias 21 e 22 de abril, reunindo um coletivo de pequenos produtores, onde é possível conhecer produtores que fazem parte da plataforma de aproximação e mudança do sistema alimentar proposta pelo projeto (http://www.juntalocal.com), originado em agosto de 2014 em Botafogo.

10127_img1

Veja abaixo alguns dos produtores que estarão na feira:

2cabeças: marca cervejeira criada por Bernardo, um dos principais agitadores da cena cervejeira carioca. A 2cabeças surgiu no final de 2011 por iniciativa de cervejeiros caseiros cariocas que, sem muitas pretensões, lançaram um lote de Hi5 Black IPA feita numa panela em casa. A cerveja ganhou destaque e junto com os sócios Salo Maldonado e Maíra Kimura, Bernardo resolveu levar o negócio adiante.

Cafezal em flor: O sítio produtor está situado a 950m de altitude, na Serra da Mantiqueira, com ótima estação chuvosa no período de florada e enchimento dos grãos e um período seco no final da maturação dos grãos. Noites frias e dias quentes e secos produzem excepcional condição de colheita e pós-colheita, fatores fundamentais para a qualidade do café.

Brasil Pimentas: Denise, a produtora da marca situada na região dos lagos, no estado do RJ, anda com uma maleta de conteúdo explosivo. No seu interior, pimentas de variedade de aromas e sabores. Denise é uma espécie de missionária das pimentas e faz questão de que todo mundo prove nem que seja algumas gotinhas delas. Uma das pioneiras a plantar e produzir pimentas fortíssimas no Brasil, ela cuida de todas as etapas, do plantio até a produção de conservas e molhos. Na Junta está com suas “pimentinhas”, que têm nomes sugestivos como Infinity Chili, Barrackapore, e Carolina Reaper.

Fazenda Marinha Vieiras da Ilha: Um time multidisciplinar de biólogos marinhos e empreendedores estão oxigenando as águas da baía de Ilha Grande com sua fazenda de vieiras nativas. Os franceses chamam essas pérolas carnudas de coquille saint jacques. Na Junta Local elas são as vieiras da Ilha (foto acima).

Tribo japa: O japonês Masanobu Fukuoka faz pratos com agricultura sem fertilizantes ou agrotóxicos (foto abaixo de um dos seus pratos).

10348_img1

 

Rancho das Vertentes: O capril foi criado em setembro de 2014 em Barbacena-MG por Edson Cardoso, Eloisio Francisco e suas respectivas esposas Sandra Canton Cardoso e Rosangela Canton Francisco, com foco em produção e venda de leite de cabra. A construção do capril é rústica e se utiliza de materiais ecologicamente corretos e que concedem conforto aos animais.

Serviço: Cidade das Artes, 21 2 22 de abril, das 11h às 19h, Av. das Américas, 5300, Barra da Tijuca, tel.:  (21) 3325-0102. Grátis.

Salve o Alimento! Brasil participa de campanha contra desperdício

naom_5a43c455464c0-321-424

No 10º lugar no ranking dos países que mais desperdiçam alimentos, o Brasil não ficará de fora da Campanha Stop Food Waste Day – Salve o Alimento!. Com o dia D marcado para 27 de abril, mais de 10 países, entre eles Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, França, Alemanha, Espanha, Turquia, Japão e Austrália, terão ações que visam diminuir o desperdício de alimentos e mostrar a importância do aproveitamento completo em receitas saudáveis e sustentáveis. A campanha visa causar impacto social e ambiental para ajudar a melhorar a posição do Brasil no ranking. A meta global é reduzir 50% do desperdício até 2030.

De acordo com dados da FAO Brasil – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, 28% dos alimentos se perdem no processo de produção agrícola e mais 28% são jogados no lixo após chegarem às casas dos consumidores. No mundo, cerca de 1,3 bilhão de toneladas de comida são descartadas por ano, enquanto quase 800 milhões de pessoas passam fome.

A embaixadora da campanha no Brasil é a Dra. Valéria Paschoal, Nutricionista e Diretora da VP – Centro de Nutrição Funcional, que também é coordenadora e professora de diversos cursos de nutrição funcional em várias cidades, e autora de livros sobre o assunto. Quem acessar o site, terá disponíveis  receitas de alimentos funcionais no site www.stopfoodwasteday.com.br , que ensinam como usar o alimento em sua totalidade, além de dicas para o aproveitamento de cascas e talos.

A campanha é promovida pelo Grupo Compass, líder mundial em serviços de alimentação e suporte do mundo, com atuação em mais de 55 países, e no Brasil acontecerá por meio da GRSA |Compass, que é responsável pela alimentação diária de mais de dois milhões de pessoas em todo o País.  Como parte da ação, a empresa oferecerá a seus clientes o Teaching & Kitchen que, a partir do dia 27 de abril, dará aulas sobre como evitar o desperdício no dia a dia, com receitas que utilizam alimentos em sua totalidade como, por exemplo, talos e cascas, que seriam considerados sobras.

O Grupo Compass é líder mundial em serviços de alimentação e suporte. Fundado em 1941, tem filiais em mais de 50 países. No Brasil, adquiriu 50% da GRSA em 1998 e os outros 50% em 2008, sendo atualmente detentor da totalidade da empresa, que também é líder no segmento no País. Além de serviços de alimentação coletiva, a GRSA no Brasil também oferece serviços de suporte, como portaria, jardinagem e limpeza. A empresa atende atualmente com mais de 35 mil colaboradores de empresas de diversos segmentos, como Azul, TAM, Gol, Hospital Sírio Libanês, Hospital Bandeirantes, Nestlé, Coca-Cola, Camil, Google, Facebook, Unilever, SulAmérica, Vale do Rio Doce, entre outros.

Sobre a Stop Food Waste Day Brasil – Salve o Alimento!

A campanha está em seu segundo ano em âmbito global e é o primeiro que vem ao Brasil. Em 2017, Estados Unidos, Inglaterra e Austrália promoveram ações com o objetivo de educar e potencializar a mudança em relação ao desperdício que impacta o mundo. Por meio do SFWD, o Compass Group quer chamar a atenção para o problema, criar e compartilhar soluções criativas e impactantes.

Site mundial: www.stopfoodwasteday.com

Site Brasil: www.stopfoodwasteday.com.br

Stefan Behar apresenta seu mundo lúdico para a Páscoa

Stefan-Behar-Sucré-chocolate-docinhos-são-paulo-melhor-chocolate.jpg

A primeira vez que comi os chocolates do Stefan Behar foi na casa da minha amiga Ana Luiza Marques Nascimento. E sempre que vou lá ela apre uma das caixas lindas da loja e me oferece os bombons deliciosos do mestre chocolatier.

Referência em chocolates e doçuras desde 2012, Stefan Behar Sucre mostrou na semana passada, no Hotel Unique, sua coleção de Páscoa. Fui lá provar. Com inspiração lúdica, colorida em tons pastel, Stefan, que é fã de artigos de papelaria e decoração, embarcou em referências afetivas para desenvolver modelos baseados em Peter Rabbit (personagem do início do século 20 de quem ele coleciona objetos), assim como para desenhar o ovo-compoteira pavão em cerâmica filetada com ouro 24 quilates (uma homenagem aos chás servidos pela mãe, sempre pontuados por peças lindas e devidamente recheadas de gulodices) ou para espalhar flores pelas louças e embalagens (outra das paixões do doceiro).

23031609_1573696622727104_7044718181725898053_n

Entre as criações exclusivas do confeiteiro, uma das grandes novidades é o Ovo Pão de Mel (R$ 426, 1kg), baseado no bolo-hit da grife de chocolates, feito com mel orgânico. Junto a ela, ele aproveitou o sucesso de suas tradicionais latinhas (como a de waffer ou a de palha italiana) para rechear sua nova linha de ovos.

 Objeto de desejo – já com fila de espera – a Compoteira Ovo é apresentada em duas versões este ano: a clássica de flor e a pedestal pavão (R$ 436 – 500g). Ambas acompanham refil de doce de colher (de leite, goiabada ou crocante de avelã) e são uma ótima alternativa para a sobremesa do almoço de Páscoa. Outras opções de sucesso: a Caixa de Doces Fabergé (R$ 268 com 25 bombons de chocolate ao leite e branco com recheios diversos) e a Caixa de Doces Pavão (R$ 146 com 18 doces). Outro mimo que está disponível na Stefan Behar nessa páscoa são as Galinhas de Chocolate que podem ser a unidade (160g – R$ 68,00) ou o Trio: Ao Leite, Caramelo e Chocolate Branco com tons de rosa (480g – R$ 172).

28151810_203298420418072_5643431080976449536_n

Por fim, há também as belíssimas Caixas de Borboleta, sucesso absoluto entre os clientes. Todas são feitas de chocolate branco com recheio de Nutella e Oreo e pintadas a mão. A caixa com 12 bombons custa R$ 126 e a com 25 R$ 260.

 E claro, como não poderia deixar de ser, Stefan apresenta seus deliciosos ovos de Páscoa, que tradicionalmente vem em belíssimas latas. Neste ano, o Ao Leite, Ao Leite Crocante, Caramelo Flor de Sal e o Branco – puro e crocante, saem por R$ 186 com 300g. Já as opções com 600 g custam R$ 286. As versões de 1kg – todas por R$ 426 – são as Cascas Recheadas, apresentadas em lindíssima caixa baú em quatro opções de sabores: pistache, pão de mel, Nutella e waffer.

17932339_657507704441203_4469201479109967872_n

 Graças ao sucesso de seus panetones, Stefan resolveu produzir bolos originais, igualmente deliciosos: as Colombas Pascais, recheadas com Nutella, doce de leite ou de frutas, todas cobertas com chocolate ao leite francês (R$ 236, 1,5kg).  

Sobre Stefan Behar

Em 2013, graduado em propaganda e marketing e executivo em ascensão em um conglomerado de luxo francês, Stefan decidiu mudar os rumos de sua carreira. Começou a fazer brigadeiros, tirou um ano sabático para pesquisar outras guloseimas mundo afora e, quando viu, tinha passado por ateliês na França, Itália, Bélgica e Estados Unidos e estava apto para dar vida a doçuras originais, instintivamente.

O empurrãozinho essencial veio na sequência: sua mãe, Marcia Behar, montou uma cozinha-laboratório e passou a apresentar os doces às amigas empresárias e de longa data. Assim surgiu a grife Stefan Behar Sucré, que alia a criatividade do confeiteiro a ingredientes premium – o chocolate francês, o pistache siciliano do Bronte, as avelãs piemontesas, a baunilha de Madagascar, os ovos frescos e free-range, o mel orgânico, entre outras matérias-primas minuciosamente selecionadas.

 Desde outubro com sua nova Flagship no Shopping Iguatemi, Stefan conta com mais uma vitrine para os produtos de tirar o fôlego, caso da must have barra dourada gigante recheada com mais de um quilo de Nutella e do bolo favos de mel.

17333305_225567221181937_2343451855981379584_n

Serviço: Stefan Behar Sucré – Shopping Iguatemi (Av. Faria Lima, 2232) – Piso Térreo | Tel.: 11.2082-7090

Sonia Sahão lança o livro “Hotéis para sonhar”

Sonia Sahão

Hoje, a amiga Sonia Sahão lança seu esperado livro “Hotéis para sonhar“, delicioso livro que reúne 20 dos tantos hotéis em que a autora já se hospedou pelo mundo.

chefs-at-le-meurice-alain

Sonia é apaixonada por viagens, representa no Brasil verdadeiros palácios, como Le Maurice (foto do restaurante e do chef Alain Ducasse acima) e o Plaza Atheneé (foto do atrium com os tradicionais toldos em vermelho abaixo), em Paris; 45 Park Lane, Dorchester e Coworth Park (foto da fachada e do jardim abaixo), na Inglaterra…

 

coworthparkexterior_main.jpg

Ela ainda representa por aqui  The Beverly Hills HotelHotel Bel-Air, ambos dos  Estados Unidos; Hotel Principe di Savoia e Eden (foto do restaurante abaixo), ambos na Itália; e todos da Dorchester Collection. Nem é preciso falar que a autora conhece bem o assunto. Fala com autoridade.

hotel-plaza-athenee-franca

Sonia diz no livro que viaja sempre com uma mala de mão, onde leva apenas o essencial. Seu objetivo é o mínimo de preocupação onde quer que vá.

rome-hotel-eden-la-terrazza_landscape-1600x900

Cada um dos hotéis presentes no volume foi eleito por um motivo, seja pela cama dos sonhos, pela paisagem, pelos jardins, ou pela gastronomia. Todos, além do luxo e requinte, têm em comum aquilo que ela considera fundamental em qualquer hotel: o calor humano e a forma que o cliente é tratado.

17363664

“Nós somos servidores. Quem trabalha com hotel, serve o próximo. A hotelaria é o local onde você pratica o amor ao próximo, isso é o mais importante. Sempre falo que o hotel é como uma orquestra. Você tem que ter um maestro – que é o diretor geral -, e os componentes, cada um desempenhando a sua função harmoniosamente, porque se um falhar, todo o trabalho de uma equipe inteira vai por água abaixo.”

O projeto do livro teve início em 2002 e foi adiado durante alguns anos, até que foi retomado no ano passado. O resultado é um table book super bem editado, e com texto primoroso. O lançamento em São Paulo acontece hoje, na Livraria da Vila, da Alameda Lorena.

Um dos textos mais bacanas do livro é sobre o Hotel Dieu, em Marselha (foto acima), em que ela relembra seus antepassados. Mais não vou dizer, para não estragar a surpresa do leitor.

Leia abaixo trecho do livro sobre o Baur au Lac, em Zurich, na Suíça (foto abaixo).

aussenansicht-6

“Lugar em que se hospedavam Richard Wagner e Franz Liszt

BAUR AU LAC

Zurich, Suíça

Elegância na medida certa. Sur mesure. Assim defino o Baur au Lac, meu hotel preferido há muitos anos, em Zurich.

Dá gosto hospedar-se na casa criada em 1844 pelo austríaco Johannes Baur. A excelente experiência no lugar começa com o senhor Helder,

concierge que sempre nos recebe com um sorriso, chamando-nos pelo nome. Ele está sempre à disposição. Tem dicas precisas de passeios pela cidade.

Carole Baumann, diretora de vendas e marketing, é outro nome a ser lembrado. Sempre envia um cartão afetuoso, acompanhado de uma caixa do delicioso chocolate artesanal local, personalizado com o nome do hotel.

Creio que a definição de hotelaria elegante, tradicional e moderna está nesse hotel, que existe há mais de 176 anos, dirigido há quatro gerações pela família Kratch, proprietária do estabelecimento, local em que já se hospedaram e se apresentaram músicos da estirpe de Richard Wagner e Franz Liszt.”

baur-au-lac-team-bild-5.jpg

 

Um viva para as mulheres da gastronomia

Janaina_rueda_lgbt_gay_hamburgueria

No próximo dia 8 o mundo celebra mais um Dia Internacional da Mulher. Na gastronomia, temos bons exemplos de mulheres que brilham com talento e força. Veja nossas dicas abaixo:

Fundadora do Le Vin, que conta com cinco bistrôs em São Paulo e Brasília e ainda com uma boulangerie e uma pâtisserie, Nancy Mattos abriu a primeira unidade do bistrô em São Paulo há 18 anos e hoje comanda a rede em companhia de suas filhas, Patrícia, Vivian e Daniela Mattos. “Formamos o time das Mattos, unidas, fortes e totalmente independentes”, brinca Nancy.  Especializado em gastronomia francesa, o Le Vin serve café da manhã, almoço e jantar em suas inconfundíveis toalhas em xadrez azul e branco.

Outro grande exemplo de restauratrice é Ida Maria Frank. No comando do Due Cuochi Cucina há mais de dez anos e presente em três endereços na capital paulista, o sucesso da casa fala por si só: salões lotados, gastronomia de excelência e bom atendimento, monitorados sob o olhar da empresária. Ida também foi responsável por outros sucessos na capital, como o saudoso Galuska que encerrou atividades em 2017 deixando o público com gostinho de quero mais.

Quem frequenta o Restaurante Marakuthai se surpreende com a cara de menina da chef Renata Vanzetto. Por trás do sorriso meigo existe uma cozinheira talentosa com apetite para negócios. Aos 18 anos, ela abriu o moderninho Marakuthai, em Ilhabela, e não parou mais. Hoje, comanda outros cinco empreendimentos, incluindo um bufê para eventos sob encomenda, o contemporâneo  Restaurante Ema e o Me Gusta bar nos jardins e o bar Lambisgoia, em Ilhabela.

Autodidata, sommelière e chef responsável pelo Bar da Dona Onça, Janaína Rueda e a personificação da mulher multitarefa. Nascida e criada na região central de São Paulo, sua cozinha faz um resgate da comida paulistana boemia, influência de sua mãe, que trabalhava nos extintos Hipopotamus e Gallery. Janaína é casada com o também chef Jefferson Rueda, e juntos colecionam sucessos como A Casa do Porco e o recém inaugurado Hot Pork, também no centrão de São Paulo.

Há muitas outras, que nós amamos… a frente de restaurantes, bufês, bares, confeiteiras, padeiras, sommelières, baristas etc. Elzinha Nunes (restaurante Dona Lucinha, SP), Monica Rangel (Gosto com Gosto, Visconde de Mauá), Edir Nascimento (339 Gastronomia Bufê, SP), Flavinho Quaresma (RJ), Helena Rizzo (Mani, SP), Lia Quinderé (Sucre, Fortaleza), Dona Carmen Virginia (Altar, Recife), Carla Pernambuco (Carlota, SP), Ana Bueno (Banana da Terra, Paraty), Tereza Paim (Casa de Tereza, Bahia), Carole Crema (Carole Crema Doces), Mara salões (Tordesilhas, SP), Roberta Sudbrack (RJ), Paola Carossela (Arturito, SP), Marie Henry (Casserole, SP), e tantas, tantas outras que amamos!

Um viva para todas elas!

Le Vin Bistro: São PauloLe Vin Jardins – Al. Tietê, 184 / tel.: 11 3081-3924 / Le Vin Itaim – Rua Pais de Araujo, 137 / tel.: 11 3168-3037 / Le Vin Vilaboim – Rua Armando Penteado, 25 / tel.: 11 3668-7400 / Le Vin Morumbi Shopping – Av Roque Petroni Jr, 1088 / tel.: 11 5183.2982 Brasília – ParkShopping / SAI/SO Área 6850 / tel.: 61 3028-6336

Due Cuochi Cucina: Rua Manuel Guedes, 93 – Itaim bibi tel.3078-8092 / Shopping Cidade Jardim, 3º piso tel. 3758-2731 / Av. Dr. Chucri Zaidan, 1240 – Morumbi tel.3957-9580

Marakuthai: Al. Lorena, 1295 – Jardins tel.3061-1015 / Rua Pais de Araújo, 77 – Itaim bibi tel.3078-3246

Dona Onça: Av. Ipiranga, 200 – Repúlbica tel.3257-2016

Vin Santo e Concha y Toro, promoções

unnamed
Quando o Castelo estava em construção, foi invadido por que vagavam por Valdelsa. Foi ocupado e depois devolvido ao Puccis diversas vezes durante a guerra entre Siena e Florença. Durante a sangrenta guerra entre os adeptos da família Medici (entre os quais os Puccis) e a República Florentina, ocorreram algumas batalhas cruéis e durante uma dessas batalhas, todos os adultos da família Pucci foram mortos, de modo que a família arriscou-se a sair do local. Felizmente, uma das suas crias negras tomou um menino e fugiu pela passagem subterrânea, salvando assim a linha daquela nobre família.

Vin Santo (foto) é um tipo de vinho doce tradicional da Toscana e feito com as uvas trebbiano e malvasia, onde após os cachos de uvas serem selecionados, vão para a chamada “vinsantaia” onde ficam pendurados em ganchos para “apassificarem“, ou seja, perder água aumentando a concentração de açúcar. Existem várias teorias sobre a origem do nome. A versão mais conhecida fala de um frade franciscano que em 1348 curava as vítimas da praga com um vinho que era comumente usado pelos frades para celebrar a missa e logo a crença  de que o vinho tinha propriedades milagrosas se espalhou, trazendo o nome de santo. A tradição na Toscana é clara! Vin Santo acompanha Cantucci! (biscoito elaborado com manteiga e amêndoas). A maneira correta de saboreá-los é molhar o cantucci no vinho para amolecê-lo um pouco e se deliciar com a textura que ele adquire! Preço: R$ 199,00 com frete rodoviário grátis ou mais R$ 15,00 para frete aéreo.  atendimento@winelands.com.br 

*
Até o dia 31 de março, os amantes de vinho terão a oportunidade de degustar rótulos da marca TRIO, da vinícola chilena Concha y Toro, a preços promocionais na Vinheria Percussi, localizada no Jardim América em São Paulo. Além do TRIO Chardonnay e Cabernet Sauvignon, as taças da marca também serão disponibilizadas aos consumidores com valores especiais. A promoção é válida às terças-feiras, a partir das 20h, durante as noites de Jazz, com Paulo Martins (contrabaixo) e Fernando César (teclado), e aos sábados e domingos, das 12h às 16h, no Bar TRIO, que fica na entrada do próprio restaurante. As taças estão sendo vendidas a R$ 28 e a garrafa a R$140.

“A linha TRIO é leve e sofisticada, e a ação estimula o consumidor a provar os rótulos de mais uma das marcas da Vinícola Conha y Toro”, avalia Danielle Rossini, gerente de Marketing da VCT Brasil. Vinheria Percussi | Rua Cônego Eugênio Leite, 523 – Jd. América, SP.

Pensando a comida no Centro de São Paulo

unnamed

O coletivo P.U.R.A. (foto), que comanda a operação da Cafeteria do Red Bull Station, em São Paulo, está fazendo uma série de workshops gastronômicos sobre processos naturais de conservação de alimentos, como fermentação, desidratação e conserva com probióticos. O foco são picles, pimenta, azeite, gengibre, chucrute e bitters, além de fermentações, como mostarda e tempeh.

Sobre o P.U.R.A.
O Coletivo P.U.R.A. é um grupo de pessoas que busca refletir sobre boas histórias por trás das refeições e no sabor que fica para sempre na memória. Desde abril de 2017, está no comando da operação da Cafeteria, restaurante localizado no piso térreo do Red Bull Station, no centro de São Paulo, apostando em ingredientes sazonais, naturais e sem processo de industrialização, para um melhor aproveitamento de frutas e vegetais de cada época do ano.

Sobre o Red Bull Station
Localizado em um prédio de 1926, no centro de São Paulo, o Red Bull Station ocupa a antiga subestação Riachuelo, desativada desde 2004 e tombada como patrimônio histórico pelo Conpresp. Com foco em projetos  experimentais de arte, música e tecnologia, os cinco andares do Red Bull Station contam com estúdio de música, makerspace, três espaços expositivos, um terraço e uma cafeteria. Para informações sobre a programação gratuita, consulte a agenda no site www.redbullstation.com.br.

Feira Viva de Verão reúne grandes chefs no Parque Villa Lobos, dia 24

image002

No dia 24 de fevereiro acontecerá a Feira Viva de Verão, no Parque Villa – Lobos, em São Paulo, com entrada gratuita, participação de chefs, agricultores e barraquinhas com pequenos produtores rurais. Essa é a terceira edição do evento, que acontece de acordo com as estações do ano devido a sazonalidade de produtos, e já contou com participação de nomes como Alex Atala, Rodrigo Oliveira, André Mifano, Eudes Assis, Mario Portella.

 Esta edição da Feira Viva será  em torno de feituras de processos e produtos tradicionais – como o da elaboração de farinhas produzidas a partir de plantas tropicais, o plantio com muvuca de sementes e a extração e a preparação da polpa da Jussara – todos em formato de palestras e demonstrações gratuitas, intercaladas por sessões de curta metragem que estarão dentro da temática apresentada em cada uma.  Estão confirmadas as presenças das chefs Helena Rizzo, do Maní, Bel Coelho, do Clandestino e Mara Salles, do Tordesilhas.

 Além disso, haverá a degustação, a partir das 11h, de pratos a preços populares (até R$25) – como o sanduíche de pastrami da Linguiçaria Real Bragança e a comida de índio Corupaytiba, feita com feijão verde, milho criolo, farinha de mandioca, ora-pro-nobis e Içá, finalizado com molho de tucupi, da Fazenda Coruputuba e a Jussara na tigela (semelhante ao açaí), do Murique Polpa de Fruta Nativa.

Programação de feituras e filmes

(10h30) Feitura da Muvuca de Sementes

Rede de Sementes do Vale do Ribeira – A técnica de “Muvuca de Sementes” para o plantio de florestas é um método que vem de antigas práticas agrícolas e, hoje, pode significar a possibilidade de restauração florestal das vastas áreas degradadas no país – além de possibilitar a organização e valorização de um dos preciosos elos da cadeia da recuperação ambiental, os coletores de sementes. Essas pessoas muitas vezes ainda detém parte dos conhecimentos perdidos acerca da natureza.

 (11h45) Filme: Saberes do Vale – Morar Projeto Saberes do Vale

(12h) Feitura do Doce de Jaracatiá

Eduardo Esperanza Modesto (Fazenda Jaracatiá)

Chefe Convidado: Bel Coelho

 O uso do açúcar na conservação de frutas é uma técnica tradicional utilizada fartamente no Brasil. É a partir dela que podemos preservar e apreciar frutos nativos das nossas matas durante todo o ano. A feitura do doce no tacho tem forte ligação regional, onde cada bioma, cada cultura, tem sua fruta e modo de preparação típicos. O Jaracatiá é uma árvore símbolo na Mata Atlântica e sua preservação está fortemente atrelada à preservação do meio ambiente. São utilizados, além de seu fruto, uma espécie de mamão selvagem, o seu tronco para a preparação de um doces típicos em diversas regiões brasileiras.

(13h15) Filme: Saberes do Vale – Brincar
Projeto Saberes do Vale

(14h) Feitura Farinhas Tropicais

Zé Ferreira

Chefe Convidado: Helena Rizzo e Mara Salles

A preservação de diversos alimentos como cereais e raízes através da feitura de pós e farinhas, faz parte do acervo técnico e cultural das populações tropicais. Vamos aprender algumas dessas técnicas com as comunidades tradicionais litorâneas, como o Quilombo de Picinguaba – SP e do Camburi – RJ. Entre as farinhas produzidas e consumidas por essas populações estão a farinha de inhame, farinha de banana verde, pó de gengibre e cúrcuma, e a famosa farinha e polvilho de mandioca, entre outras.

  (15h45) Filme: Saberes do Vale – Comer
Projeto Saberes do Vale

(16h15)  Feitura PANC na feira
Valdely Kinupp
Chef Convidado: Henrique Nunes

O plantio de plantas de fácil cultivo e adaptação à realidade tropical do país é essencial para a manutenção da saúde humana e do meio ambiente. Vamos conhecer plantas tradicionais que foram esquecidas, as hoje já famosas PANCS,  entendendo seus modos de preparo e curiosidades culturais e nutricionais.

(17h45) Filme: Saberes do Vale – Criar
Projeto Saberes do Vale

(18h)  Feitura Extração da polpa da Jussara
Dr. Leandro Carmo

  Dr. Leandro é especialista em pós-colheita e beneficiamento de frutas nativas e vai demonstrar a extração da polpa do fruto da palmeira Jussara. A Jussara é uma planta nativa da Mata Atlântica, e ficou em grave risco de extinção por causa da extração do palmito. Para estimular seu plantio e inibir o corte ilegal da palmeira, uma alternativa é o consumo do fruto, o que garantiria que a arvore fosse mantida em pé por muitos anos. Alem disso o fruto do Jussara, muito semelhante ao açaí, tem mais nutrientes (antioxidantes e cálcio) do que o açaí. O cultivo geralmente precisa ser feito em ambiente florestal, pois a planta é muito exigente, o que também pode ser um estímulo para o plantio de florestas.

 Sobre a Feira Viva

 A Feira Viva foi idealizada em 2016, em conjunto pelo produtor rural Patrick Assumpção, pela agrônoma Keila Malvezzi e pela Sociedade Rural Brasileira (SRB), uma das principais entidades representativas do agronegócio, com patrocínio do banco Santander. O projeto, que realizou em maio a sua primeira edição, a de outono, e em agosto a edição de inverno, chega a edição de verão com o mesmo objetivo, o de aproximar o produtor rural e as demandas dos consumidores, sobretudo, das zonas urbanas.

 “O Brasil pode oferecer uma variedade gigantesca de produtos de altíssima qualidade e identidade regional, produzidos com técnicas modernas que conciliam a agricultura, meio ambiente e gastronomia”, destaca João Adrien, diretor da SRB. Segundo Patrick Assumpção, o consumidor precisa saber como os alimentos são produzidos, onde e por quem, para ser capaz de definir um cardápio saudável para sua família. “Por isso, fizemos questão de oferecer somente produtos sazonais e locais”, enfatiza o produtor rural. “A Feira Viva nos traz a possibilidade de disseminar, por meio da gastronomia, novos modelos de negócio que conciliam produção agrícola e preservação ambiental, demonstrando que essas duas atividades podem caminhar juntas.”, diz Assumpção.

 Fundamentado neste contexto, o Santander patrocina a realização do evento como grande oportunidade de mostrar ao público o formato de novos modelos de negócios para todo o agro brasileiro. Com o incentivo, o Santander também reforça sua participação no apoio às inovações empreendedoras e culturais, uma vez que, a gastronomia está entre as grandes expressões da cultura de um País.

 Serviço

Quando: 24 de fevereiro (sábado)

Horário: 9:30h às 18:30h

Local: Parque Villa-Lobos – Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 2001 – Alto de Pinheiros

 No mesmo espaço, mais de 25 produtores rurais estarão vendendo, diretamente para o consumidor, produtos e comidinhas com uma variedade e identidade cultural, como o Sítio Agroflorestal São José (farinhas de mandioca, mandioca com açafrão, fruto de pupunha e banana verde, polvilho, conservas de fruto de pupunha e palmito de palmeira real e geleias de frutas nativas), Maria Preta Jabuticaba (compotas, geleias, polpa congelada, licor e massas de jabuticaba), Fazenda Jaracatiá (cocada paulista, compota de fruto de jaracatiá, mudas de jaracatiá) e Pardinho artesanal (queijo cuesta, mandala e cuesta azul).