Artista Simone Mattar apresenta gastroperformance sobre a relação do homem com o porco

 gastro

A Galeria Rabieh acaba de inaugurar a exposição “Ópera dos Porcos” de Simone Mattar. Composta da instalação que dá nome à mostra e a gastroperformance “Feijoada Branca”, além um conjunto de fotografias, pinturas e projeção externa, a exposição se propõe a estabelecer uma relação entre o ser humano e as diversas simbologias associadas ao porco a partir de um experiência multi-sensorial.

A artista dá boas-vindas ao visitante com a gastroperformance “Feijoada Branca”, numa extensa mesa sobre a qual são dispostos os pedaços de porco típicos da feijoada como costela, focinho, pé, orelha e língua. Todos eles são esculturas de coloração branca, apenas alguns sendo comestíveis, o que provoca familiaridade e, ao mesmo tempo, estranhamento àqueles que se aproximarem dos ingredientes do celebrado prato nacional. Em sessões alternadas, esses mesmos pedaços de porco podem ser degustados pelos visitantes, que então se convertem em comensais de um surpreendente banquete.

Ainda na sala da feijoada, são apresentados trabalhos de dois artistas do coletivo londrino “Food of War”, de que Simone faz parte. O colombiano Omar Castañeda exibe três pinturas figurativas de cabeça de porco cujo tom sanguíneo de vermelho é de fato feito de sangue, ao passo que a artista Quintina Valero expõe três fotografias.

Na Instalação “Ópera dos Porcos”, que empresta nome à mostra, seis cabeças de porco moldadas e presas à parede (que ao final da ópera serão servidas aos participantes) recebem projeções em vídeo que dão vida à face dos animais, emulando as vozes de uma canção como se os porcos de fato cantassem os versos da irônica composição original com letra de Simone e direção musical de Renata Mattar.

Por fim, a parede do fundo da galeria serve de tela para a projeção noturna do vídeo “Pig Calling Contest”, dialogando com uma cantora lírica presente, liberdade curatorial que a artista tomou para questionar a cultura americana como exemplo de potência mundial, em contraposição à fragilidade do artista na busca de sua expressão. No vídeo, os participantes se desafiam a imitar o guincho de seu animal predileto.

Serviço: Galeria RabiehAlameda Gabriel Monteiro da Silva, 147 | Cerqueira César – São Paulo – SP, Tel.: (11) 3081 0017. Período expositivo: de 05 de abril a 06 de maio de 2017. No domingo, dia 09/04, a galeria fica aberta das 11 até às 18 horas. Entrada gratuita e livre para a exposição. Datas e horários das gastroperformances (capacidade de 30 pessoas por sessão):  05 a 8/04: às 19h30 e 20h30;  09/04: às 14h30. 

Anúncios

Performance na SP-Arte une boa gastronomia e arte

image

A obra “Trinta e cinco fragmentos”, da artista Simone Mattar é um dos destaques da 12ª edição da SP-Arte, que acontece entre 7 e 10 de abril, no Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, em São Paulo.

Na obra, a artista que recentemente criou o conceito de “gastroperformance”, une gastronomia com diversas manifestações artísticas, como teatro, música, pintura e escultura, empregando a materialidade da comida como forma de expressão.

“O projeto evidencia a efêmera sensação do pertencer no âmbito individual e coletivo por meio de um diálogo entre 35 pessoas de culturas diferentes. Simultaneamente, coloca em questão a existência da proposta como linguagem. As falas e o som mesclam memórias e sonhos, revelando o não-lugar. Inicia-se uma atmosfera caótica em que as cabeças questionam a sua presença e propõe o sacrifício como solução”, diz Simone.

Nesse ritual antropofágico, o público é convidado a comer as cabeças recheadas. As receitas são diversas, unem doce e salgado, e são elaboradas por meio de tecnologia sofisticada concebida pela artista e sua equipe.

A obra foi criada este ano e apresentada em Madri, na Embaixada Brasileira, da capital espanhola, pela primeira vez em janeiro.

Para conhecer mais a obra da artista, clique em seu site.

 Serviço: Gastroperformance ‘Trinta e cinco fragmentos’, Na SP-Arte, no Pavilhão da Bienal, em São Paulo, Longe AIR FRANCE, no 2º andar. Horários: 6 de abril: 13h30, 15h, 17h e 19h; 7 de abril: 19h; 8 de abril: 17h e 19h; 9 de abril: 17h e 19h; 10 de abril: 16h. Grátis

 

Comida boa e arte de tirar o fôlego

1E2A2776[1]

O evento relacionado à gastronomia de que mais gostei no ano passado (talvez nos últimos anos) foi a exposição multissensorial “Como Penso Como”, da artista Simone Mattar. A mostra trazia uma mistura de arte, música, história e gastronomia numa série de peças de food design a partir de uma pesquisa de quatro anos da história brasileira e da alimentação do nosso povo, em evento que aconteceu no Sesc Pompeia, em São Paulo. Agora, para sorte de quem ainda não participou, a mostra volta em cartaz, na Casa Electrolux, a partir do dia 11.

ComoPensoComo-30[1]

Não apenas porque euzinho aqui participei do projeto, pesquisando e fazendo alguns textos, que gosto e indico esta mostra. O evento vale mesmo a pena!

Conflito[1]

Com cenografia de Marko Brajovic, “Como Penso Como” inclui projeção de vídeos, odores, sons, textos declamados ao vivo por atores e sensações táteis, numa experiência emocionante e inesquecível. Tem seu ápice na degustação das nove obras comestíveis, sendo três sobremesas. São duas sessões diárias para 20 pessoas cada. Antes de cada imersão, os convidados são entretidos por atores que declamam textos relacionados a cada um dos pratos que serão servidos.

Orixás_Final2[1]

Entre os pratos, destaque para a “A Cabeça do Bispo”, inspirado no Movimento Antropofágico de Oswald de Andrade, que apresenta pequenas cabeças prateadas comestíveis, com o rosto do Bispo Sardinha, personagem histórico que foi devorado pelos índios caetés, evento que inspirou o manifestou antropofágico escrito por Oswald. Este prato é recheado com mousse de sardinha, representando um banquete indígena.

sss

Entre as sobremesas, “A Preço de Banana” é inspirada em Carmem Miranda e é questionada a imagem de um Brasil “vendido a preço de banana”. Neste prato, servido por uma atriz que interpreta a cantora, de uma escultura de porcelana branca sai uma banana dourada, feita de mousse de chocolate branco caramelizado com recheio de doce de banana.

Serviço: “Como Penso Como”, por Simone Mattar @ Casa Electrolux;  abertura para convidados: 10 de novembro, segunda-feira, às 18h30 e às 21h30; Período: de 11 a 16 de novembro, com degustações diárias às 18h30 e às 21h30.

Ingressos: R$ 250 por pessoa (vale cada centavo)

Para mais informações, acesse o site www.casaelectrolux.com.br/comopensocomo