Vinícola do Sul aposta em tradição

 

vinhosbertolini.JPG

A família Bertolini está produzindo um vinho que resgata a sua trajetória, marcada pelo empreendedorismo, união e tradição italiana.

Os vinhos Bertolini têm como filosofia a naturalidade no processo de elaboração, ou seja, com o mínimo de intervenção mecânica e a preferência por métodos naturais durante a fermentação e afinamento (folaturas, decantações, sem filtração – com exceção do Chardonnay). O mesmo vale para as correções de acidez, açúcar, feitas sem o aporte de produtos químicos, além do SO2.

Assim, inspirados na tradição europeia, mas com um gosto contemporâneo, expressam o terroir de uma nova região produtora no Brasil, que vem se destacando pelos excelentes resultados: a Encruzilhada do Sul. Cidade localizada na Serra do Sudeste do Rio Grande do Sul, onde a natureza revela-se com grande vocação para o cultivo de videiras nobres como a Teroldego, Nebbiolo, Merlot, Touriga Nacional e Chardonnay.

Seu clima, com dias quentes e secos, e noites frias, proporciona o amadurecimento completo das uvas. O solo franco-arenoso é bem drenado e com baixo teor de matéria orgânica. Neste ambiente naturalmente favorável são cultivadas as uvas das quais derivaram os vinhos da Bertolini.

Na primeira safra da Riserva Di Famiglia, dos anos de 2012 e 2014, foram elaborados quatro vinhos, em edição limitada. A produção tem a assinatura da enóloga Monica Rosseti. “Fizemos uma bela parceria com a família Bertolini, que traduz a paixão em comum que temos pelos vinhos e pela Itália, expressa em cada garrafa”, adianta a enóloga. Conheça a série especial Vinhos Bertolini:

Teroldego: o varietal Teroldego é representado pela bigorna, ferramenta símbolo não só da profissão, mas especialmente da solidez e da determinação que acompanham a história da família Bertolini. Destaca-se, neste vinho, a intensidade cromática e púrpura, convidando à degustação. Seus aromas acentuam notas de frutas pretas, principalmente a ameixa, além de descritores como couro, alcaçuz e café, revelando grande expressão varietal. O primeiro gole confirma a sua riqueza: corpo consistente, taninos maduros e generosos, com equilíbrio e elegância. Um vinho de caráter e persistência que se torna uma excelente companhia em muitos momentos.

Chardonnay: o varietal Chardonnay ganha representação pela ferramenta tenaz, instrumento de trabalho dominado com destreza pelo patriarca Francisco Bertolini, e que expressa a combinação entre força e sutileza – atributos que vingaram e ajudaram a construir uma emocionante história de ousadia e superação. Este vinho apresenta aromas elegantes de flores brancas, notas tropicais de abacaxi, melão, pera e toque mineral. Ao paladar, é envolvente, equilibrado, persistente e possui ótimo frescor.

Balança 2014 – Merlot 62,5% + Touriga Nacional 37,5%: na busca pelo equilíbrio perfeito, a Balança é a inspiração característica desse vinho, que cumpre o desafio de apresentar o justo percentual de cada uma das uvas. Combinadas, são o reflexo de uma composição em harmonia. Neste corte, a Touriga Nacional é fundamental para os descritores de aroma: rosas, jasmim, fruta silvestre, ameixa passa, dando intensidade e expressão ao vinho. A Merlot contribui para o volume e estrutura em boca, conferindo taninos elegantes e retrogosto frutado.

Cadinho 2014 – 41,7% Merlot + 33,3% Nebbiolo + 25% Touriga Nacional: da fusão de elementos, surge o novo. Esse vinho, representado pelo Cadinho, integra diferentes uvas, extraindo o que cada uma tem de melhor. Estas características são unidas, após um atento estudo enológico, convergindo em um sabor original, que apresenta novas sensações na degustação. Cada uva foi vinificada individualmente, permitindo a sua melhor expressão. Cada variedade evidencia características que aparecem perfeitamente integrada neste corte. O perfil aromático é composto por notas florais, frutadas e de ervas finas. Em boca, este vinho se apresenta equilibrado, com taninos firmes e bom volume, retrogosto agradável e prolongado.

Sobre a enóloga Monica Rosseti: inspirada pelo avô, começou seus estudos técnicos em Enologia aos 15 anos. Especializada na Itália, é enóloga e diretora técnica da mítica ‘Lídio Carraro’, tendo atuado na expansão da vinícola, que hoje emprega o conceito de boutique. Acumula experiência em diversos países e em 2012 enfrentou um dos desafios de maior peso de seu currículo: esteve à frente da elaboração do vinho licenciado oficial da Copa do Mundo Fifa 2014. A coleção Faces, desenvolvida pela Lídio Carraro, foi formada de três rótulos: um tinto, um branco e um rosé. Também alcançou projeção internacional ao desenvolver o projeto Animavitis, que consiste em um modelo de gestão moderno, mais econômico e preciso. Frequentemente é case em reportagens de veículos especializados brasileiros e estrangeiros.

 

Anúncios

Senac lança dois livros sobre vinhos

978-85-396-0868-3 Uvas e Vinhos978-85-396-0875-1 A qualidade no consumo do vinho

A editora Senac está lançamento dois livros importantes sobre uvas e vinhos. Uvas e vinhos: química, bioquímica e microbiologia apresenta discussão sobre a química, a bioquímica e a microbiologia aplicadas a uvas, sua transformação em vinhos e a qualidade final da bebida obtida.

A obra, em coedição da Editora Unesp, foi produzida por professores e pesquisadores de diferentes instituições de ensino, nacionais e internacionais, com o objetivo de transmitir conhecimentos em língua portuguesa sobre a vitivinicultura. Organizado de modo didático e com estilo acessível, irá contribuir para a ampliação do conhecimento sobre o tema não apenas no meio acadêmico e técnico, como também nos grupos de apreciadores da “arte” do vinho.

No livro A qualidade no consumo do vinho, Míriam Aguiar reúne informações variadas, que compõem um vasto painel sobre temas relacionados ao vinho, abrangendo aspectos de sua história, dos sistemas de avaliação que o classificam e das modernas tecnologias desenvolvidas para criar produtos que satisfaçam o gosto dos consumidores, com destaque para as menções de harmonização com a culinária brasileira.

A autora registrou os resultados de um projeto de enogastronomia, baseado na experiência de degustação de vinhos e iguarias realizada em três cidades brasileiras que, de modo pioneiro, estabeleceu a harmonização entre vinhos e alguns pratos típicos da cozinha nacional. O livro traz ainda um panorama da evolução da produção e do consumo de vinhos no Brasil.

Míriam Aguiar recorre à rica literatura da sociologia de consumo para iluminar as trajetórias do vinho em diferentes culturas e contextos sociais, explorando tradição, distinção e inovação que caracterizam a história do vinho. O conteúdo, a profundidade da abordagem e o estilo elegante são elementos-chave que definem a qualidade da obra.

Serviço

Uvas e vinhos: química, bioquímica e microbiologia [Organizadores: Roberto da Silva, Ellen Silva Lago-Vanzela e Milla Alves Baffi, Editora Senac São Paulo – coedição Editora Unesp, R$ 43, 200 págs.]

A qualidade no consumo do vinho [de Míriam Aguiar, Editora Senac São Paulo, R$ 59,90, 240 págs.] 

Para entrar no clima da Itália

vin_italia

Para entrar no clima da Itália, minha próxima viagem, em meados de outubro (vou para Roma e Nápoles), vou falar de alguns vinhos de qualidade que a La Pastina está importando: Terre Barolo DOCG, Terre Langhe DOC Nebbiolo, Terre Dolcetto D´Alba e Terre Barbera D´Alba, disponíveis no Brasil desde agosto.

iii

Produzidos na vinícola Terre, propriedade familiar de mais de 120 hectares, os vinhos estão entre os mais emblemáticos de Piemonte, ao norte do país. São frutos de mais de 25 anos de tradição da vinícola, elaborados com as mais famosas castas da região de Langhe (“língua” em italiano), uma das mais importantes regiões vitivinícolas italianas.

xxxx

Langhe, uma cidade medieval fundada nos tempos da Roma Antiga, é uma área montanhosa espalhada pela Província de Cuneo, cercada por cidades como Barbaresco e Barolo, que inspiram os nomes de seus vinhos. É nos vinhedos com cerca de 300 metros de altura, esparsos entre montanhas de 400 a 500 metros, que nascem uvas como Barbera, Nebbiolo e Dolcetto, matérias-primas dos mais refinados tintos da região.

vin2_italie

Algumas características das bebidas:

Terre Barolo DOCG, safra: 2006, uva: Nebbiolo, tinto, 24 meses em tonéis de carvalho de Eslavônia, 14,5%, serviço: 16ºC – 18ºC, preço para o consumidor: R$ 168,00.

Terre Langhe DOC Nebbiolo, safra: 2010, Nebbiolo, tinto, seis meses em barricas de carvalho francês, 12,5%, serviço: 16ºC – 18ºC, preço para o consumidor: R$ 94,00.

Terre Dolcetto D´Alba, 2012, Alba, Piemonte, Dolcetto, tinto, sem estágio em carvalho,

12,5%, serviço: 16ºC – 18ºC, preço para o consumidor: R$ 75,00.

Terre Barbera D´Alba, 2011, Alba, Piemonte, Barbera, tinto, 12 meses em barricas de carvalho de Eslavônia, 13%, 16ºC – 18ºC, preço para o consumidor: R$ 94,00.

DOLCETTO D'ALBA DOC TERRE copy BAROLO TERRELANGHE DOC NEBBIOLO TERRE copy022748 - BARBERA D'ALBA TERRE

Serviço:

www.lapastina.com

www.emporioeat.com.br